segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dar preferência aos produtos nacionais


Banana da Madeira


Banana da Colômbia

Como boa patriota que sou...e também porque considero que os produtos nacionais são muito melhores que os estrangeiros, quando vou ás compras dou sempre preferência ao que é nacional.Mas é em tudo! A nossa batata é muito mais saborosa e firme, quando "acaba?" a nossa e metem a estrangeira á venda, é um absoluto desconsolo. A nossa fruta marcadinha na casca pelo nosso extraordinário sol e pelo excelente chão... tem aquele sabor tão especial e docinho. As nossas nozes - eu gosto muito de nozes - têm um verdareiro sabor a noz...aquele paladarzinho que no fim fica na boca e que é inegualável. O nosso leite...todo ele bom, mas salientando o dos Açores...que me sabe ao leite das vacas da minha infância, quando se acabava de mugir a vaca, muitas vezes até diante dos nossos olhos...e logo a seguir estávamos a beber o leitinho! Esse leite fornecido por quela vacas que pastam pachorrentamente nos verdes prados e verdes montes da bela ilha portuguesa! tambem o queijo da mesma ilha, o famoso queijo de S. Miguel e a manteiga. As nossas carnes, toda diferentes consoante a zona do país, mas saliento aqui a carne do Barroso, a carne de Mirandela, a carne alentejana e a carne do Oeste... qual delas a melhor! Os nossos enchidos...saborosos, deliciosos, curados mo fumeiro, como por exemplo o excepcional chouriço da Guarda, de Arganil, de Trás- os - Montes, alentejo.
O nosso feijão catarino, manteiga, frade, etc. O nosso vinho, conhecido e apreciado em todo o mundo, com especial relevo para o vinho do Porto!
O nosso peixinho que é uma maravilha! Branquinho, saboroso, rijo. E muitos , muitos outros produtos que são na verdade de qualidade.
Mas... e há sempre um mas! Surgem coisas que não parecem estar lá muito corretas.Eu explico:
Anda por aí "esta boa alma" a procurar e a preferir produtos nacionais, não só por o motivo que atrás expliquei, mas tambem para ajudar a dar um empurrãozinho á economia portuguesa que anda por a hora da morte... e, eis senão quando, num destes dias num grande super-mercado aqui da minha zona, estando eu no espaço da fruta, apercebo-me de uma caixa contendo bananas da Madeira, que eu gosto muito! logo me aproximei para levar algumas para me consolar a papá-las.
Quase não se vêm bananas destas por aqui á venda; lembro-me que antigamente abundava por os mercados e lojas.
Ela é muito saborosa, muito docinha e tem uma textura diferente:
è cultivada, de um modo geral á beira-mar e sob um clima muito especial.Eu estive lá e vi.
Quando já estava com a água na boca, olhei o preço, e aí é que que foi o pior...
eu pensei não estar a ver bem...mas chamando o Jorge ele confirmou o preço: um euro e oitenta e nove cêntimos!
Olho o caixote ao lado, onde estavam as conhecidíssimas e vulgaríssimas bananas da Colômbia... a oitenta e nove cêntimos! ou seja, a menos um euro que a da Madeira!
Em escudos, para quem ainda "funciona" em escudos...seria 178 escudos a da Colômbia e 378 escudos a da Madeira!

Eu não queria acreditar!
Pois a banana da Madeira é muito pequenina em relação a todas as outras e que eu me lembre, creio que ela era muito mais barata que a esrangeira, que é grande e tem melhor aspecto.
Bom, confesso que perante este quadro, o meu patriotismo não funcionou! Não comprei as tão desejadas bananas da Madeira.
Sim, porque ser patriota é uma coisa... ser parvinha é outra!
Alguém me saberá explicar a razão deste fenomeno?
Confesso que gostaria mesmo de perceber.

domingo, 29 de novembro de 2009

Porque hoje é Domingo (79)


Imagem da net

Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.

Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.

Pois assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também deu ao Filho ter vida em si mesmos;

e deu-lhe autoridade para julgar, porque é o Filho do homem.

Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão:

os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.

Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não procuro a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

Se eu der testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.

Outro é quem dá testemunho de mim; e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.

Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade;

eu, porém, não recebo testemunho de homem; mas digo isto para que sejais salvos.

Ele era a lâmpada que ardia e alumiava; e vós quisestes alegrar-vos por um pouco de tempo com a sua luz.

Mas o testemunho que eu tenho é maior do que o de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que faço dão testemunho de mim que o Pai me enviou.

E o Pai que me enviou, ele mesmo tem dado testemunho de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua forma;

e a sua palavra não permanece em vós; porque não credes naquele que ele enviou.

Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim;

mas não quereis vir a mim para terdes vida!

Eu não recebo glória da parte dos homens;

mas bem vos conheço, que não tendes em vós o amor de Deus.

Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, a esse recebereis.

Como podeis crer, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus?

Não penseis que eu vos hei de acusar perante o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais.

Pois se crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim ele escreveu.

Mas, se não credes nos escritos, como crereis nas minhas palavras?

(Ev. S. João cap. 5:24 a 47)

sábado, 28 de novembro de 2009

Ajudar


Imagem da net

«Uma das maiores compensações desta vida é que ninguém poderá tentar ajudar outra pessoa sem ajudar a si mesmo.»

(Ralph Waldo Emerson)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Lembrando um Homem Grande - o Dr. Fernando Valle


O Dr. Fernando Valle

Fez ontem quatro anos que morreu o Dr. Fernando Valle.
Faleceu aos 104 anos, portanto se fosse vivo teria agora 108.
Médico de profissão, deu-se de corpo e alma aos outros.
Empobreceu, imaginem! como médico, pois não só cuidava carinhosamente da saúde das pessoas, como repartia o que tinha com os mais necessitados.
Contemporâneo, e grande amigo de Miguel Torga, que era médico tambem, valorizava muito estes encontros e uma boa conversa.
Segundo o poeta Miguel Torga o Dr. Fernando Valle “teve tempo para ser no mundo a imagem paradigmática do jovem irreverente, do bom chefe de família, do amigo leal, do médico devotado, do político isento, do governante capaz, do cidadão exemplar”.
Foi um Homem Grande que foi exemplo de vida, e por isso, eu hoje quero recordá-lo aqui.
Creio que todos os Homens e Mulheres Grandes devem ser sempre recordados, para que sejam honrados, e continuem presentes, e possam assim influenciar e ser exemplo e modelo de vida.
Num tempo tão complexo e confuso que vivemos, onde há tanta falta de valores, de moral e de ética, e onde aparentemente, escasseiam os Homens Grandes, será bom que olhemos para este Homem e meditemos na sua vida.

«Convicção, clareza e frontalidade eram algumas das características de Fernando Baeta Cardoso do Valle, natural da Cerdeira, concelho de Arganil, nascido a 30 de Julho de 1900. Filho do dr. Alberto da Maia e Cruz do Valle e de D. Maria Adelaide da Costa Cardoso do Valle.
Coja, a Princesa do Alva, foi a vila eleita pelo médico do povo para passar alguns momentos da sua vida na sua casa solarenga com vista sobre o rio Alva.

Foi presidente honorário do Partido Socialista e um lutador nato pelos ideais da Revolução Francesa: liberdade, fraternidade e igualdade deixando registado os seus ideias de vida através de um desejo “o facto de a determinante de toda a minha vida ter sido o lutar pela libertação do homem, no sentido de se conseguir efectivamente, um regime de direito em que seja possível, de facto, a paz, a liberdade e a justiça social”.

Para aqueles que tiveram oportunidade de privar com ele e a sorte de partilhar o seu dia-a-dia, a simpatia e a humildade são os adjectivos que mais se ouvem nas bocas dos cojenses.
António Lopes Machado no seu livro Crónicas Regionalistas: Região de Arganil, conta-nos que o dr. “herdou de seu pai essa missão de médico-apóstolo, conquistando assim a simpatia e o reconhecimento das gentes humildes do concelho de Arganil a que durante tantos anos assistiu na doença, manifestando tais sentimentos humanos que só quem pudesse pagava”.
Um homem de hábitos, inesquecíveis, não passava despercebido pelas gentes da sua terra. Sempre que passava a ponte do rio Alva, em Coja, “com a bengala furava os buracos por onde a água escoava, por forma a tirar o lixo para a água passar mais facilmente. A gente quando passava lá, sabia quando passava o sr. dr.”, relembra António Augusto.
Este homem do povo “falava bem para toda a gente, rico ou pobre, era uma pessoa que não fazia distinções de classes, tinha sempre um sorriso. Era engraçado tinha sempre um sorriso”, como nos explica Rui Tavares, sócio da firma José Feiteira & Companhia Limitada frequentada pelo “médico-apóstolo”, “nos últimos anos da sua vida quando passava um tempo em Coja. Ele tinha preferência em ir ao café da antiga Havaneza, que hoje pertence à firma José Feiteira & Companhia, entre as 10 e as 12 horas da manhã.

Com os seus hábitos vincados pelos seus 104 anos de vida, fizesse chuva ou fizesse sol o dr. percorria sempre o trajecto de sua casa ao café a pé, num percurso de cerca de 500 metros, passando em primeiro pelo vendedor de jornais.
“Comprava o jornal Público, passo a publicidade, e, então, entrava no café cumprimentava-nos e sentava-se sempre na mesma mesa. O que só não aconteceria se por qualquer motivo estivesse ocupada. Mas, algumas vezes aconteceu estar ocupada por pessoas que o conheciam e que sabiam do seu hábito, imediatamente, davam-lhe o lugar, ele dizia que não, “deixem-se estar”, mas as pessoas faziam questão de ele ocupar aquele lugar. E, então, estendia o jornal em cima da mesa, tirava a sua lupa, o seu caderno de apontamentos e fazia as suas leituras. Nós, claro, já sabíamos o seu hábito. Preparávamos-lhe o galãozito, a torradinha e colocávamos na mesa dele. Ele parava as leituras e tomava o galão e a torrada até por volta do meio-dia, sensivelmente”, recorda Rui Tavares.

Apaixonado pela vida este Homem “a todos os títulos excepcional” não vivia intimidado pela certeza da morte. Rui Tavares conta que “já quase no final da vida dele houve um senhor que entrou (no café) e que o conhecia, também, e que o cumprimentou. Fez-lhe uma festa e depois disse-lhe: «o sr. dr. inda cá vai andar muitos anos, o sr. inda está um jovem» e o dr. Fernando assim com aquele sorriso, aquele ar, digamos que de alguma maneira maroto pelas palavras olhou para o homem e disse: «mas olhe que eu gosto bem de cá andar»”.

Assim, a firma José Feiteira & Companhia Limitada encontrou uma forma simples de homenagear o dr. do povo, sem a intenção de obter qualquer tipo de contrapartida, através de uma fotografia simbólica de alguns momentos mais importantes da vida deste cidadão que se sentia bem próximo das pessoas, fossem ricas ou pobres.
“Embora, não o fizéssemos com qualquer ideia de agradecer, mas como reconhecimento da preferência que ele ao longo da sua permanência em Coja, deu à nossa casa. E, então, colocámos por cima do lugar que ele habitualmente ocupava a tomar a sua torrada e a ler o seu jornal. É uma homenagem digamos que também para perpetuar, e não precisa porque ele já está perpetuado de muitas maneiras até pela sua própria vida, mas pronto. Para perpetuar a nível de quem nos visita a casa, perpetuar um cliente ilustre e que nos deu sempre a sua preferência”, afirma Rui Tavares.
A razão pela qual Fernando Valle preferia a mesa, talvez encontre explicação no facto de existir uma saliência na parede que o abrigava da corrente de ar da porta de entrada. E deste modo, descobrimos, provavelmente, um dos segredos de uma vida longa, segundo Rui Tavares “ele chegou àquela idade, porque se protegeu, porque teve cuidados que muitas vezes nós não temos. Ele, possivelmente, deve ter tido esses cuidados, e, penso eu, escolheu aquela mesa porque o protegia da corrente de ar da porta da rua”.
A verdade é que este Ser vai ficar para sempre na memória de todos. José Eduardo Mendes Ferrão, ex-ministro da agricultura, numa homenagem ao médico-apóstolo referiu que “o dr. Fernando Valle vai permanecer pelos tempos fora, não tanto por causa das placas das ruas ou no nome da ponte que delicadamente e firmemente recusou, mas no coração daqueles que o conhecem e o seu exemplo e postura hão-de ser contados às gerações, que na continuidade dos tempos se irão seguir”.
E é com saudade, carinho e com um enorme orgulho que todos aqueles que privaram e partilham os mesmos ideais deste Ser que o recordam e perpetuam ao longo dos tempos o Homem, o amigo e o exemplo de um lutador que guerreava pela paz, pela liberdade e pela justiça social, tendo como arma preferida o amor pelos outros.»
( Cristina Correia Pinto)
http://sabiosmestres.blogspot.com/2007/07/simplesmente-fernando-valle.html

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Chegaram mais coisas bonitas




Presentinho da Sandra


Oferta da amiga Sandra


Oferta da amiga Angela


Presentinho da Ana
«Quem dá com alegria como o sol brilhará,
Como o sol brilhará, como o sol brilhará!
Quem dá com alegria como o sol brilhará,
E Deus o recompensará!»

Este é um "corinho" que gosto muito de cantar".
Quero dedicá-lo hoje, aqui, ás minhas queridas e lindas amigas:

Ana, do blogue - http://anamgs.blogspot.com/
Angela, do blogue - http://angelabeneguedes.blogspot.com/
Sandra, do blogue - http://aotoquedoamor.blogspot.com/


Recebi ainda este presentinho lindo, que por não ter tomado nota do nome da amiga em questão, não recordo quem mo ofereceu...
Se essa amiga vier aqui, por favor informe-me.
Obrigada
Pelos presentinhos lindos que me ofereceram...e tambem por todo o seu carinho, amizade e afecto para comigo.
Bem hajam.

NOTA:
Ofereço com muito gosto estes selinhos, aos meus amigos que habitualmente passam por aqui, caso desejem levá-los.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ser Fiel a si próprio


Imagem da net
«Ser fiel a si próprio é ser íntegro consigo mesmo em todas as circunstâncias, diante de qualquer interlocutor.Nós calamo-nos sobre as nossas convicções mais profundas, ou sobre as dúvidas que chegam inevitavelmente.Nós velamos os nossos sentimentos ou manifestamo-los mais ardentes do que eles são.
Ser fiel a si próprio é ser natural, espontâneo, sem medo do julgamento dos outros.»

(Paul Tournier)
Culpa e Graça

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Carta de uma mãe em procura de respostas


Imagem da net
Recebi este texto de uma grande amiga que me pedia para o ler até ao fim, embora fosse muito longo.
Li-o e impressionou-me muito.
Publico-o aqui, porque creio que ele poderá em circunstâncias idênticas ás de esta mãe, ser um forte apoio.
È natural que alguns já o conheçam, sobretudo no Brasil onde isto aconteceu, se assim for peço desculpa, mas mesmo assim, ele aí vai.
È um texto longo, porém peço-lhe que faça o favor de o ler até ao fim.. Vai valer a pena


Anapolis, 29 de setembro de 2009.

«Querido pastor Caio Fábio,
Eu sou uma mãe que acaba de perder uma filha linda, maravilhosa de 26 anos, com apenas cinco meses de casada... Hoje faz sete dias que a perdemos...
Ela era poesia, cor, música e sensibilidade...
Nós somos uma família que conheceu Jesus quando as nossas três meninas tinham entre três e oito anos. Passamos por grandes lutas e desafios e congregamos na igreja presbiteriana do sector sul de Anápolis com o PR Ronaldo Cavalcante.
Caio Fabio, seguimos os seus passos todas as vezes que você esteve por aqui.
Quarta feira passada por volta das 13 horas meu marido me falou que tínhamos que ir para Goiânia porque a nossa filha do meio, a Polyanna, tinha desaparecido...as minhas pernas sumiram....mas eu levantei e entrei no carro para ir para Goiânia pois ela morava lá e estava casada e feliz.....
Apenas com 26 anos a publicitária mais conhecida da cidade por causa da sua alegria e capacidade de incentivar empresários a acreditarem em seus próprios negócios.
Os homens da família foram para a delegacia... e nós as mulheres da família ficamos 30 horas orando, clamando a Deus e esperando o pedido de resgate, tendo em vista que o carro já havia sido encontrado com seus pertences dentro e o mesmo havia sido queimado para apagar provas e digitais, dificultando o trabalho da polícia...
Oramos sem cessar e ouvimos, e lemos a Palavra; e tivemos a certeza de que o resgate seria pedido e esperamos que ela voltaria para nós e com sua tremenda capacidade poética e criativa e como uma menina apaixonada por Jesus ainda escreveria um livro para promover quebrantamento e conversão em muitas vidas....
A única palavra que eu queria ouvir nestas 30 horas de vigília e emoção, aflição e angustia profunda era: "a encontraram"...; ou um toque de telefone com o pedido de resgate...
Finalmente alguém entra naquela casa onde estávamos amigos e parentes amontoados na sala escorregando do sofá para o chão, então ouvimos: “achou”, mas foi encontrada morta com dois tiros...
Acabei de ler sobre o amor dum pai que agradeceu a Deus por saber que seu filho, para ficar livre desse mundo tenebroso, foi chamado por Jesus...

Não consigo neste momento ter este sentimento de gratidão porque tenho certeza de que não era esse o desejo dela também...
Nós todos estávamos fazendo uma campanha de oração e eu sei quais eram os planos dela para o futuro... Planos de paz, de criação, de crescimento, para que o mundo conhecesse o talento gratuito que Deus lhe deu...
Não posso considerar que a minha não aceitação é egoísta... ela queria viver aqui com o seu querido marido a lua de mel que a esperou por 8 anos, ela queria ter filhinhos e levá-los para jogar bola com o avô que não teve meninos, só meninas, ela queria realizar sonhos comunitários.
No ano passado ela criou um site: www.amigoinedito.com.br para movimentar os internautas a fazerem boas acções e registrarem seus depoimentos neste site.
E agora, voltar a falar com Deus está difícil demais...
Ainda não sabemos quem foi o sujeito que atirou nela, mas eu não posso acreditar que foi vontade de Deus... se foi o ódio do inimigo das nossas vidas eu pergunto por que Jesus deixou assassinos interromperem a caminhada de uma mensageira de Deus ???
_______________________________
Resposta:

Minha irmã amada: Graça e Paz!

Do meu ponto de vista...
, Adão não deveria ter pecado; Caim não deveria ter matado Abel; os filhos de Caim não deveriam ter construído Babel; Cão não deveria ter “abusado” na nudez do pai, Noé; Abraão não deveria ter gerado filho de sua serva, Hagar; Jacó não deveria ter enganado Esaú e nem Esaú deveria ter trocado a “bênção” por um prato de lentilhas; os filhos de Jacó não deveriam ter traído José; Moisés deveria ter entrado na Terra de Canaã; a filha de Baraque não deveria ter sido morta pelo voto do pai; Sansão não deveria ter morrido daquele jeito; Davi não deveria ter surtado nunca; e, por isto, não deveria ter perdido nenhum filho; Isaías não deveria ter sido serrado pelo meio; a mulher de Ezequiel não deveria ter sido morta como parábola para ensinar os incrédulos; Oséias não deveria ter sido tão infeliz no casamento; os inocentes deveriam ter sido poupados em todas as chacinas; nenhuma criança deveria ter morrido pela ambição dos adultos; nenhuma mãe jamais deveria ter comido seus filhos no auge da fome; João Baptista deveria ter vivido vida longa e honrada, ao invés de acabar sem cabeça em razão de uma bunda bonitinha; Jesus, O Verbo, A Palavra, não deveria ter sido morto; a Ressurreição não deveria ter sido tão discreta...; os apóstolos, como Tiago irmão de João, não deveriam ter sido mortos por nenhum capricho [e todos foram...]; Paulo não deveria ter sido morto justamente quando os cristãos mais precisavam dele; milhares de testemunhas também nunca deveriam ter morrido uma morte sem sentido, banal; enquanto os maus prosperam; enquanto a injustiça foge do juízo; enquanto a verdade é pisoteada; enquanto a maldade se torna poder; enquanto gente boa some... sem explicação...
Sim, entregue a minha visão menor do que a de uma ameba e mais egoísta do que eu mesmo consigo discernir a profundidade do egoísmo, eu poderia consertar o mundo; impedir todas as injustiças; ajudar Deus a ser Deus; determinar o melhor pro mundo, pros meus filhos, pra minha vida; enfim, eu, entregue a mim mesmo, seria tão cheio de boas idéias..., que ninguém que eu amasse morreria; sim, ninguém...; e se morresse seria com meu consentimento, entendimento, compreensão e apoio a Deus na Sua soberania!...
Ah, se eu fosse o Deus do mundo ninguém morreria; ou, então, ninguém que eu gostasse; e, da minha casa, certamente ninguém morreria; não enquanto eu estivesse vivo...
Eu, todavia, há muito aceitei e vi que de fato não vejo; percebi que de fato não discirno; entendi minha limitação de entendimento; constatei que meu melhor amor é ainda por mim mesmo e por meus sonhos; aprendi que meus amores são “meus” e por “minha causa”; pois, morre o vizinho, e não sinto; morre o jovem da esquina, e logo esqueço; milhares são vitimados, e eu apenas lamento; o mundo acaba em vários lugares da terra, e eu agradeço que não seja AQUI...; e, aqui, é onde moro, vivo; e AQUI não posso conceber que aconteça o que no mundo inteiro acontece...
O que não dá é para sofrer em nome de sua filha os sofrimentos que ela não está sofrendo...
Sim, pois você queria ver a sua filha casada e feliz no casamento; tendo filhos; se realizando profissionalmente; etc... Esses são os seus sonhos e um dia foram os dela... Mas saiba: AGORA já não são [...] mais sonhos dela, mas apenas seus [...] por e para ela...
Hoje, para ela, o melhor marido é névoa perto da Glória; a melhor lua de mel é amarga se comparada à alegria dela; os filhos mais lindos são miragens quando comparados aos encontros de amor que ela está tendo; as realizações profissionais que lhe orgulhariam, hoje, agora, para ela, são as canseiras e os enfados que cessaram...
O problema é que você não teve tempo para se realizar nela!...
É claro que a dor é indescritível... E ninguém pode dizer que não conheço tal dor... Mais de uma vez...
Todavia, é como pai que perdeu filho; como filho que perdeu pai; como irmão que perdeu irmão; como amigo que já perdeu milhares de amigos, que lhe digo que meus sentimentos seriam todos como os seus, não fosse o fato de que discerni faz tempo, que a maior dor dos enlutados é ainda egoísmo pelo outro [...] cuja alegria está plena, mas não a nós...; e, também, vi que tais sentimentos são todos o resultado de minha vontade de me ter nos meus filhos, de me reproduzir neles e assistir tal fato; ou seja: descobri com toda honestidade que minha frustração era não poder gozar a vida neles [...], nos que foram...
Entretanto, hoje, o que lhe digo parece sem coração e fácil de dizer...
Mas não é...
O que é então que me faz dizer o que digo?...
Ora, é a simples coerência com a fé que professo; é a simples coerência com Jesus; é a simples coerência com a existência que mata os homens dos quais o mundo não é digno; é coerência com João Baptista, que não era inferior ao meu filho Lukas, e, mesmo assim, morreu por um capricho...
O que posso lhe dizer é que somente a transcendência da fé que se projecta para a Vida que é, sim, somente tal poder pode nos fazer vencer tal dor; a qual, por mais legitima que seja, sempre mistura amor e egoísmo; sempre mistura fé com privilegio; sempre crê que a vida eterna é uma belezinha apenas para quando a gente estiver caquéctico...
Leia os evangelhos e veja se é justo você pensar que a vida dos discípulos de Jesus esteja para além da calamidade!...
Sei que no momento minha resposta chega a você como vinagre na ferida... Infelizmente, no entanto, não tenho consolações vazias; e nem digo a ninguém o que Jesus jamais disse... Jesus nunca consolou ninguém dizendo “Que Pena! Tão Novinho!”...
Na realidade, ao olhar o mundo, mais creio e internalizo como verdade a declaração que diz que é preciosa aos olhos do Senhor a morte dos Seus santos!...
O que eu digo [...] você não entende agora, mas compreenderá depois!...
É justo e sadio chorar os nossos amados...
O que não é certo é perguntar por que em mundo que mata tanto todos os dias, gente que amemos também possa e venha a morrer?...
Além disso, o fato de ter sido um sequestro seguido de assassinato, do ponto de vista de Jesus, não muda nada; posto que Lhe tenham falado das desgraças e maldades praticadas por Pilatos, ou do acidente idiota na Torre de Siloé, e, a tais narrativas, Ele não acrescentou nada em especial; visto que Dele não se tenha havido um “Oh!”; ou um “Ô”; ou um “Que coisa!”...
Não! Ele apenas disse: “Se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis!”...
O fato é que Jesus não tem misericórdia e pena por ninguém que esteja partindo desse mundo para a morada do Pai!
Você teria?...
Sinto saudades... Choro... Abraço as memórias... Beijo meu filho no meu coração todos os dias... Mas não o traria de volta se pudesse... Sim, jamais desejaria a ele tal maldade de tê-lo de volta a esse mundo, uma vez que dele meu filho esteja livre para sempre...
Você acha mesmo que o sucesso Publicitário é para comparar com o nome dela publicado no Livro da Vida?...
Seu olhar está enterrado neste mundo, e, por isto, fica impossível hoje para você o alegrar-se na Glória de Deus!
Entretanto, eu lhe digo:...
Se tais “perdas” não nos projectarem para Deus pelo menos pelo afecto eternizado por filhos que já se foram para a Casa Eterna, pergunto: quando então se amará a eternidade ainda vivendo neste mundo?...
Será que um crente só deseja e celebra a eternidade quando o câncer já comeu tanto os órgãos, que a dor é tão desesperadora que a pessoa quer ir para Deus não por Deus, mas apenas para ficar livre da dor?...
É mesmo assim?...
Deus é apenas uma alternativa ao desespero da dor sem cura neste mundo?...
Ora, se é assim Deus ainda não é amado por nós!...
Chore! Chore! Chore! Pois dói demais!...
Mas chore enquanto vê sua filha em Glória; e, portanto, ao chorar, chore por você e não por ela; posto que se ela visse você lamentando a gloria dela, ela lhe diria:
“Mãe! Você não viveu para a minha felicidade?... Então, por que se entristece com minha plenitude em Deus?”
Além do que já disse, não tenho nada para dizer a ninguém e nem a você, minha amada irmã no Evangelho e no luto!...
Entretanto, sei que somente o Espírito Santo pode tornar alguém apto para discernir [...] e se consolar com tais realidades invisíveis...
Oro por você e pela sua casa... Oro pelo seu genro... Oro para que vocês se gloriem na esperança da glória de Deus, conforme se mande que seja para quem de fato crê em tudo o que confessa como fé em tempos de bonança...
Receba meu amor e minha solidariedade!
Nele
, que ama nossos filhos mais do que em nosso egoísmo a gente consegue conceber o que seja amor.»
Caio
30 de setembro de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A Madalena Machado partiu para a casa do Pai


A Madalena no seu último aniversário.

Foi ontem, ao entardecer.
Sem que ninguem estivesse á espera, a minha querida amiga e irmã em Cristo Madalena Machado, partiu para a casa do Pai.
Amiga de longa data, com quem trabalhei muito em Acampamentos em Àgua de Madeiros, e na União Feminina Missionária da Convenção Baptista Portuguesa.
A Madalena era uma pessoa maravilhosa.
Ao recordá-la, o que assoma á minha memória, é aquele sorriso transparente e límpido, cheio de bondade, e aquela risadinha que ela dava práticamente sempre, depois de cada frase que dizia.
Mulher exemplo, mulher amor, mulher dedicação.
Deu a sua vida inteirinha, á causa das crianças e jovens orfãos e desprotegidos, e aos idosos.
Os seus pais, os grandes e fiéis servos de Deus, Joaquim Eduardo Machado e Isménia Fontes Machado, já na glória, foram os fundadores do Lar Evangélico Português, na cidade do Porto, no longínquo ano de 1948.
O "Lar" começou na sua casa, onde além do pai e da mãe, havia seis filhos.
Com escassos recursos, este extraordinário casal começou a abrigar na sua casa crianças orfãs e desamparadas.
Muitas vezes não sabiam o que haviam de comer no dia seguinte; porém o seu Deus, em quem confiavam totalmente, sempre haveria de providenciar o necessário. E a este respeito há histórias comoventes de como o Senhor agiu e sempre abençoou a obra de amor, daquele casal.
Foi neste ambiente que a Madalena e os irmãos se criaram e foram preparados para a vida.
No ano de 1948, pela graça e misericórdia de Deus, o Lar Evangélico Português era inaugurado.
Já lá vão 61 anos...e o Lar lá está, sempre acolhendo, amando e ajudando dezenas de crianças, jovens, e de idosos.
Foi a este ministério de Amor que a Madalena dedicou a sua vida inteirinha.
Nunca casou, nunca "constituiu" família..deu-se na totalidade.
A sua família era aquela: todas as crianças, todos os jovens, todos os idosos, e todos os companheiros de trabalho que ali gastaram e gastam as suas vidas.
A Madalena ficará na história das mulheres Baptistas Portuguesas, como uma grande e extraordinária mulher.
Eu, lembra-la-ei sempre como uma carinhosa amiga, e como alguém que deixou um rasto de luz e de esperança, neste conturbado mundo em que vivemos.
Que o Senhor Deus seja louvado e engrandecido por a vida desta mulher.
Neste momento, no meio de lágrimas de saudade, eu digo:

O Senhor a deu, o Senhor a tomou.
Bendito seja o nome do Senhor.

«Então ouvi uma voz do céu, que dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham.»

(Livro do Apocalipse 14:13)

domingo, 22 de novembro de 2009

Porque hoje é Domingo (78)


Imagem da net

Jesus no Templo aos doze anos de idade

E o menino ia crescendo e fortalecendo-se, ficando cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.

Ora, seus pais iam todos os anos a Jerusalém, à festa da páscoa.

Quando Jesus completou doze anos, subiram eles segundo o costume da festa; e, terminados aqueles dias, ao regressarem, ficou o menino Jesus em Jerusalém sem o saberem seus pais; julgando, porém, que estivesse entre os companheiros de viagem, andaram caminho de um dia, e o procuravam entre os parentes e conhecidos; e não o achando, voltaram a Jerusalém em busca dele.
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
E todos os que o ouviam se admiravam da sua inteligência e das suas respostas.
Quando o viram, ficaram maravilhados, e disse-lhe sua mãe:
Filho, por que procedeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
Respondeu-lhes ele:
Por que me procuráveis?
Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?
Eles, porém, não entenderam as palavras que lhes dissera.
Então, descendo com eles, foi para Nazaré, e era-lhes sujeito.
E a sua mãe guardava todas estas coisas em seu coração.
E crescia Jesus em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens.

(Ev.S.Lucas cap. 2:40 a 52)

sábado, 21 de novembro de 2009

"Da minha aldeia" - um poema de Fernando Pessoa


Longroiva - Distrito da Guarda

Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver.

Alberto Caeiro - O Guardador de rebanhos

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Declaração de Amizade (3)

Da minha querida amiga Sónia Regina, do blogue "Eu vou gritar para todo o mundo ouvir" - http://sonreglom.blogspot.com/ - recebi esta deliciosa Declaração de Amizade, a qual agradeço de coração.

Muito obrigada, boa e fiel amiga por todo o carinho, por todo o afecto, por toda a amizade e por toda a estima e consideração.

BEM HAJA.

«DECLARAÇÃO DE AMIZADE



O âmago do mistério da vida, o cotidiano, o miudinho, tudo aquilo que parece que não tem importância é a base, a trama de qualquer grandeza!"

Rose Marie Muraro, postado por Sonia Regina *************************************************************************************

AMIGO



"Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós,
mas sei que nada do que vivemos
tem sentido se não focamos o coração das pessoas.

E isso não é coisa de outro mundo.
É o sentido da vida!
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais.

Mas que seja intensa, verdadeira, enquanto durar.
Muitas vezes basta ser
colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
desejo que sacia,
amor que promove."
*
Cora Coralina

************************************************************************************
"Declaração de Afeto"

A amizade é um sentimento, que chega devagarzinho pelos atos, pelo carinho, pela lembrança...E na net não é diferente, você visita um dia um blog, gosta, volta...E assim vai crescendo o número de amigos, das atenções recebidas e dos carinhos ganhos.

Funciona assim:

1) Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade e os nomeamos num post.

2) Em seguida visitamos seus blogs e comunicamos a nomeação.

3)Cada um deverá nomear mais dez, e assim sucessivamente.

4)Não há selos ou prêmios, apenas nossa declaração sincera de afeto.

5)Se receber de volta é porque você realmente é considerada uma grande amiga.

6)Repasso para vocês com carinho e amizade!

Indico os seguintes amigos:

Vilma
Jorge Oliveira
Alice
Marlene
Paulo
Pedro
Miguel
João

Eunice

Para todos eles, a quem muito estimo e a quem muito bem quero... o meu grande e apertado abraço

Que sejam profusamente abençoados por o Deus de Amor.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Os meus Hinos queridos (5)


Charlotte Elliott - imagem da net

Na sequência dos meus"Hinos queridos" já aqui apresentados, trago hoje um hino muito conhecido que eu considero um hino precioso.
Trata-se do hino número 266 do Hinário - O Cantor Cristão.
Folheando ontem a Revista "A Mensagem Baptista", orgão oficial da Associação de Igrejas Baptistas Portuguesas, sem esperar, encontrei a linda e comovente história deste belo Hino que passo a transcrever:

«TAL QUAL ESTOU...»

História de um hino célebre

No nosso «Cantor Cristão» sob o número 266 encontra-se um hino , talvez não muito cantado,cuja letra é assim:

«Tal qual estou, eis-me Senhor,
Pois o teu sangue remidor
Verteste pelo pecador;
Ó Salvador, me achego a ti!

Tal qual estou, sem esperar
Que possa a vida melhorar,
Em Ti só quero confiar,
Ó Salvador, me achego a Ti!

Tal qual estou, e sem poder,
As faltas podes preencher
E tudo quanto me é mister;
Ó Salvador, me achego a Ti!

Tal qual estou me abrigarás,
E Tu minha alma limparás,
Com Teu amor me aceitarás;
Ó Salvador, me achego a Ti!

Em Ingês

Just as I Am

Just as I am, without one plea,
But that Thy blood was shed for me,
And that Thou bid'st me come to Thee,
O Lamb of God, I come, I come.

Just as I am, and waiting not
To rid my soul of one dark blot,
To Thee whose blood can cleanse each spot,
O Lamb of God, I come, I come.
.
Just as I am, tho' tossed about
With many a conflict, many a doubt,
Fightings and fears within, without,
O Lamb of God, I come, I come.

Just as I am, poor, wretched, blind-
Sight, riches, healing of the mind,
Yea, all I need in Thee to find-
O Lamb of God, I come, I come.

Just as I am, Thou wilt receive,
Wilt welcome, pardon, cleanse, relieve,
Because Thy promise I believe,
O Lamb of God, I come! I come!

O maravilhoso poema que, certamente, perdeu muito do seu sabor significativo na tradução, é a expressão da experiência da conversão a Cristo da autora, Carlota Eliott.
Carlota Eliott era uma artista inglesa, poetista e música que deliciava, com as suas interpretações ao piano, todos quantos a escutavam. Um dia visitou o Dr. César Marlan, dedicado pregador do Evangelho, na cidade de Londres, procurando dar em toda a parte testemunho de Cristo. Em certo lugar, encontrou-se com a jovem artista e observou a sua grande habilidade musical quando ela executava primorosamente algumas músicas ao piano.Inquiriu a respeito dela e soube que não se interessava pelas coisas espirituais, dada inteiramente á arte. Pensou em lhe falar de Cristo e da salvação de Deus e procurou a direcção de Deus para que a mensagem que desejava entregar-lhe fosse verdadeiramente positiva.Então o Dr. Marlan dirigiu-se a ela nestes termos: «Deus concedeu-lhe um magnífico dom que deve consagrar-lhe porque Ele aprecia que nós he sejamos reconhecidos pelas bençãos.»
A jovem artista parecia não ter compreendido o sentido destas palavras; isto levou o evangelista a dizer-lhe claramente:
«Lembre-se de que se não entrega o seu coração a Cristo, continuará uma pecadora sem esperança de salvação.»E então chamou a sua atenção para um pobre homem que passava do outro lado da rua e que mais parecia um farrapo humano que uma pessoa, insistindo: »Se vos não arrependeis e não aceitais Cristo, não sereis mais do que aquele farrapo humano que além passa.»
A artista ficou indignada e subiu.lhe ao rosto o rubor da sua cólera. Despediu-se e voltou para sua casa, considerando atrevidas as palavras do pregador.
Procurou serenar buscando no seu leito o sono reparador, mas não conseguiu dormir. As palavras do homem de Deus ressoavam aos seus ouvidos como marteladas insistentes. Começou a examinar cuidadosamente o conteúdo da mensagem e, embora reconhecesse que havia nela uma certa verdade, achava-a um tanto violenta e dura. Contudo era um aviso e desprezar este aviso poderia trazer.lhe graves consequências!... Agora, porém, queria dormir descansar, repousar os nervos excitados por aquelas duras palavras. Mas não conseguia conciliar o sono e constantemente lhe soava aos ouvidos em tom de apelo: «Se não entrega o seu coração a Cristo...»
Finalmente, por volta das duas horas damanhã, ela tomou a suprema decisão da sua vida e entregou o seu coração a Jesus, confessando-lhe os seus pecados e implorando o perdão. Veio então a paz á sua alma e dormiu tranquilamente o resto da noite. Ao acordar, decidiu escrever o maravilhoso hino que permanece, com a sua preciosa mensagem, há mais de um século e manifestando aquela experiência da autora e repetida em tantas almas:
»Tal como sou, me aceitarás,...»Porque é realmente tal como somos que devemos apresentar-nos perante a face do Senhor para confessar e crer no poder purificador do precioso sangue que o Filho de Deus por nós derramou na cruz do Calvário.
Carlota Eliott escreveu mais de uma centena de outros hinos mas este tem sido cantado pr multidões e só a eternidade pode revelar os frutos produzidos na conversão de pecadores por este firme testemunho daquela que inteiramente se rendeu ao Senhor, depois de uma luta tão violenta mas em que o Espírito do Senhor triunfou plenamente.
Seja pra nós um exemplo. que tambem nas nossas lutas seja sempre o triunfo do Espírito o que nos outorga o repouso espíritual para prosseguirmos dedicando ao Senhor os dons que Ele nos outorgou.

(Mensagem Baptista)
Dezembro de 1968

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Um poema de Guilherme de Almeida


Imagem da net

A Hóspede

Não precisa bater quando chegares.
Toma a chave de ferro que encontrares
sobre o pilar, ao lado da cancela,
e abre com ela
a porta baixa, antiga e silenciosa.

Entra. Aí tens a poltrona, o livro, a rosa,
o cântaro de barro e o pão de trigo.

O cão amigo
pousará nos teus joelhos a cabeça.
Deixa que a noite, vagarosa, desça.
Cheiram a relva e sol, na arca e nos quartos,
os linhos fartos,
e cheira a lar o azeite da candeia.

Dorme. Sonha. Desperta. Da colméia
nasce a manhã de mel contra a janela.
Fecha a cancela
e vai. Há sol nos frutos dos pomares.

Não olhes para trás quando tomares
o caminho sonâmbulo que desce.
Caminha - e esquece.

(Guilherme de Almeida)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Homenagem - Declaração de Afecto (2)


Amigos á chuva - Imagem da net
Recebi da minha querida amiga Ana, do blogue - Pelos caminhos da vida -
http://anamgs.blogspot.com/
esta linda Homenagem.

Declaração de Amizade.

"Declaração de Afeto"

A amizade é um sentimento, que chega devagarzinho pelos atos,
pelo carinho, pela lembrança...
E na net não é diferente, você visita um dia um blog, gosta, volta...
E assim vai crescendo o número de amigos,
das atenções recebidas e dos carinhos ganhos.

A AMIZADE NÃO SE EXPLICA.

Os Amigos sabem quando ser amigos
Pois compartilham momentos......
dão força...

Estão sempre lado a lado... Nas conquistas, nas derrotas...
Nas horas boas e nas difíceis...
Amizade nem sempre é pensar da mesma maneira
Mas abrir mão, de vez em quando...

Amizade é ter um irmão
Que não mora na mesma casa...
É compartilhar segredos, emoções...
É compreensão, é diversão...
É contar com alguém, sempre que precisar

É ter algo em comum...
É não ter nada em comum...
É não ter nada em comum mesmo...
É saber que se tem mais em comum do que se imagina...

É sentir saudade, é querer dar tempo...
É dar preferência, é bater um ciúme
Amizade que é amizade nunca acaba...
Mesmo que a gente cresça,
E apareçam outras pessoas no nosso caminho...

PORQUE A AMIZADE NÃO SE EXPLICA...ELA, SIMPLESMENTE EXISTE.

Obrigada Ana linda!
Para mim, a sua amizade e afecto são uma preciosidade.

Seria suposto indicar aqui dez amigos com blogue, a quem dedicaria esta Homenagem, porém, tomei a decisão de dedicar antes esta Homenagem aos bons e fiéis amigos que não tendo blogue, me visitam fielmente, acarinhando-me e incentivando-me.
Mesmo correndo o risco de esquecer alguem...por o que peço desde já desculpa, atrevo-me a citar aqui alguns desses amigos do coração:

Fernando
André
Rosa
Mimi
Esperança
Vitor
Gil
Renato
Rute
Raquel
Teresa
Anabela
Fábio

Para estes, o meu abraço sincero e o meu MUITO OBRIGADA pelo Afecto e Amizade que me dedicam.
Voltem sempre.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Das mãos de Deus, chegou o Alexandre


Imagem da net

Todos nós na família estamos a viver um momento de alegria muito especial!

È que, directamente do Céu, aconchegadinho nas mãos de Deus, chegou-nos o Alexandre.

Ele é o bébé de todos nós...
Um tesouro precioso!

È filho da Susana e do Miguel, e neto da minha irmã Esperança.

De rosto redondinho, cabelinho escuro mas não preto, olhinhos escuros também...robusto, perfeitinho, chorãozinho, lindo!

Entra num mundo conturbado por problemas sem fim...

Não sabe ao que vem nem o que o espera...

Espreitam-no perigos mil.

Mas estamos tranquilos e despreocupados, pois ele trás consigo um "Seguro" que lhe servirá de escudo e protecção: O Deus Criador, a quem nós, família, o entregámos desde o começo, quando as primeiras células se dividiam e iniciavam a construção desta vida preciosa e maravilhosamente bela.

Agora que ele chegou iremos todos nós, que o amamos, continuar a suplicar ao Senhor:

Senhor Deus
Todo - Poderoso,
Criador do céu e da terra
e de tudo quanto existe,
Senhor da vida,
misericordioso e bom,
Continua a tomar
nas tuas benditas e santas mãos,
a vida do pequenino Alexandre.
Nós o entregamos ao teu cuidado
por todos os dias que viver,
por toda a eternidade.
Por favor, Pai,
livra-o de todos os perigos,
dirige a sua vida
e acompanha-o passo a passo
no seu caminhar.
Te imploramos,
humildemente,
encarecidamente,
que faças dele
um homem de bem.
Um homem bom,
um homem íntegro,
um homem de carácter,
que não passe por a vida em vão...
mas que seja útil,
mas que seja exemplo,
que de alguma forma
contribua, ainda que pouco,
para tornar este terrível mundo,
melhor e mais justo.
Mas, Pai,
Acima de tudo, te pedimos
que faças morada
no seu coração,
que te reveles a ele,
que lhe abras os olhos da alma
para te poder ver,
reconhecer e amar.
Dá por favor
aos seus pais,
a sabedoria,
a capacidade,
e o AMOR,
para o ensinar,
educar
e preparar para a vida.
Que a vida do Alexandre
possa ser
uma fonte
de constante e contínua alegria,
para Ti,
e também para nós.
Te pedimos
em nome de Jesus .
Amen.

domingo, 15 de novembro de 2009

Porque hoje é Domingo (77)


Imagem da net


A cura do cego de Jericó

Ora, quando ele (Jesus) ia chegando a Jericó, estava um cego sentado junto do caminho, mendigando.

Este, pois, ouvindo passar a multidão, perguntou que era aquilo.

Disseram-lhe que era Jesus, o nazareno, que ia passando.

Então ele se pôs a clamar, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!

E os que iam à frente repreendiam-no, para que se calasse; ele, porém, clamava ainda mais: Filho de Davi, tem compaixão de mim!

Parou, pois, Jesus, e mandou que lho trouxessem.

Tendo ele chegado, perguntou-lhe Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu veja.

Disse-lhe Jesus: Vê; a tua fé te salvou.

Imediatamente recuperou a vista, e o foi seguindo, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isso, dava louvores a Deus.

(Ev.S.Lucas18:35 a 43)

sábado, 14 de novembro de 2009

Homenagem - Delaração de afecto


Imagem da net

A Amizade não se compra, conquista-se!
"A amizade permanente não se compra e não se vende, não se ensina e nem se aprende, nasce e morre com a gente."

Recebi esta linda homenagem da minha querida amiga Sandra do blogue:
http://aotoquedoamor.blogspot.com/
Obrigada, muito obrigada, boa e fiel amiga, pelo carinho e pela amizade que me dispensa.
Recebi-a também de mais duas queridas amigas, mas como são um tanto diferentes umas das outras,e todas as três são lindas, conto publicar as outras duas na próxima semana, por a ordem em que as recebi.

Agradeço, ao Senhor pela linda amizade que temos

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos
os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!”
(Fernando Pessoa)

Quero ser teu amigo
Nem demais e nem de menos...
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te como próximo, sem medida...
E ficar sempre em tua vida
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade,
Sem jamais te sufocar,
Sem forçar a tua vontade.
Sem falar quando for a hora de calar
E sem calar quando for a hora de falar.
Nem ausente nem presente por demais...
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo,
Mas confesso:
É tão difícil aprender...
Por isso, eu te peço paciência.
Vou encher este teu rosto
De alegrias, lembranças...
Dê-me tempo
De acertar nossas distâncias !
( Fernando Pessoa)

Esta Homenagem funciona assim:
- Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade e nomeamos-los num post.
- Em seguida visitamos seus blogs e comunicamos a nomeação. - Cada um deverá nomear mais dez, e assim sucessivamente. - Não há selos ou prêmios, apenas nossa declaração sincera de afeto.
- Se receber de volta é porque você realmente é considerada uma grande amiga.

Dedico esta Homenadem de Afecto e carinho ás seguintes amigas:

Anita
São
Sónia
Neli
Carmen
Angela
Jhacy
Fernandinha
Florbela
Isabel

Agradeço reconhecida, a Deus, pela nossa amizade, e rogo-lhe que Ele a abençoe, de modo a perdurar por toda a eternidade.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A lógica de Einstein



Conta certa lenda que duas crianças estavam a andar de patins num lago gelado.
A tarde estava nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo quebrou-se e uma delas caiu, tendo ficado presa na fenda que se formou.
A outra, ao ver o seu amiguinho preso no gelo e enregelado, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.
Alguém entretanto chamou os bombeiros para prestar socorro.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como é que tu conseguiste fazer isto? É impossível que tenhas conseguido quebrar
o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples. - respondeu o velho - Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

"Deus fez-nos perfeitos e não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos.
Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade e perseverança."

(Albert Einstein)

Conclusão:

Preocupe-se mais com a sua consciência do que com a sua reputação.
Porque a sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de si.

E o que os outros pensam é problema deles.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Hoje é dia de luto nacional em Andorra


Luto- Imagem da net

Hoje, quinta-feira, dia12/11/09, é dia de luto nacional em Andorra.
O motivo tem a ver, tristemente, com cinco trabalhadores portugueses que no passado sábado morreram soterrados, quando ruiu um túnel em que trabalhavam, em los Valires.
Segundo as notícias que ouvi, eram todos naturais do norte de Portugal.
Gente que não encontra oportunidades de trabalho na sua zona, e que por isso vai trabalhar na construção civil em Espanha e em Andorra.
Segundo as estatísticas, já morreram 40 homens este ano, naqueles dois países.
È muita gente. È gente a mais.
Mas, infelizmente, tambem aqui no nosso país, estão constantemente a acontecer acidentes deste género.
Práticamente, todas as semanas ouvimos sobre isso.
Os que me conhecem, sobretudoo o Jorge e o Zé, sabem como eu reajo mal a essas notícias.
Impressiona-me que morra tanta gente nessas condições e que não se faça NADA,mas mesmo NADA, para impedir esse terror.
Se há leis...elas não são cumpridas.
Não entendo, não consigo perceber, como com tantas vidas ceifadas quase diariamente, não se tomem medidas drásticas, para impedir essas mortes prematuras de pais de família, de "meninos da sua mãe", e de maridos.
Mesmo sendo uma leiga no assunto, parece-me que é urgente que se elaborem leis rígidas sobre as condições de trabalho desses cidadãos, que são tão importantes e tão portugueses, como qualquer um outro, seja dignatário de cargos políticos ou administradores de grandes empresas.
Olho para a Assembleia da República e vejo aqueles 230 deputados, preocupados por vezes com tantas coisas menos urgentes, ou mesmo não urgentes... e pasmo e revolto-me, que nada façam por estes pobres trabalhadores; nem mesmo os chamados partidos de esquerda, que enchem a boca com a defesa dos interesses dos trabalhadores, mas que na prática se preocupam muito pouco com isso, tendo por mais urgente ligitimar os casamentos entre pessoas do mesmo sexo, por exemplo.
Não sei como esta indiferença possa ser resolvida, mas sinto que é necessário, e exijo, que se tomem medidas e se acabe ou pelo menos se minore, esta ceifa de vidas humanas que têm todo o direito a serem protegidas no seu local de trabalho.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

ESTE MÊS EM MIRA-SINTRA


Programa Cultural de Novembro - Clique em cima para ver melhor

terça-feira, 10 de novembro de 2009

O Sono da Água


Fonte japonesa - Imagem da net

«Há uma hora certa,
no meio da noite, uma hora morta,
em que a água dorme.
Todas as águas dormem:
no rio, na lagoa,no açude, no brejão,
nos olhos d’água,
nos grotões fundos.
E quem ficar acordado,
na barranca, a noite inteira,
há de ouvir a cachoeira
parar a queda e o choro,
que a água foi dormir...
Águas claras, barrentas, sonolentas,
todas vão cochilar.
Dormem gotas, caudais, seivas das plantas,
fios brancos, torrentes.
O orvalho sonha
nas placas da folhagem.
E adormece até
a água fervida,
nos copos de cabeceira dos agonizantes...
Mas nem todas dormem, nessa hora
de torpor líquido e inocente.
Muitos hão de estar vigiando,
e chorando, a noite toda,
porque a água dos olhos
nunca tem sono... »

(Guimarâes Rosa)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Ainda e sempre, a AMIZADE.


Imagem da net

"A AMIZADE DESENVOLVE A FELICIDADE E REDUZ O SOFRIMENTO,DUPLICANDO A NOSSA ALEGRIA E DIVIDINDO A NOSSA DOR."
(Joseph Addison)

Vale a pena investir nela!

domingo, 8 de novembro de 2009

Porque hoje é Domingo(76)


Imagem da net

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios.

É ele quem perdoa todas as tuas iniqüidades, quem sara todas as tuas enfermidades,

quem redime a tua vida da cova, quem te coroa de benignidade e de misericórdia,

quem te supre de todo o bem, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.

O Senhor executa actos de justiça, e juízo a favor de todos os oprimidos.

Fez notórios os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel.

Compassivo e misericordioso é o Senhor; tardio em irar-se e grande em benignidade.

Não repreenderá perpetuamente, nem para sempre conservará a sua ira.

Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniqüidades

Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua benignidade para com os que o temem.

Quanto o oriente está longe do ocidente, tanto tem ele afastado de nós as nossas transgressões.

Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem.

Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó.

Quanto ao homem, os seus dias são como a erva; como a flor do campo, assim ele floresce.

Pois, passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não a conhece mais

Mas é de eternidade a eternidade a benignidade do Senhor sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos,

sobre aqueles que guardam o seu pacto, e sobre os que se lembram dos seus preceitos para os cumprirem.

O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo.

Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!

Bendizei ao Senhor, vós todos os seus exércitos, vós ministros seus, que executais a sua vontade!

Bendizei ao Senhor, vós todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio! Bendize, ó minha alma ao Senhor!

(Salmo 103)

sábado, 7 de novembro de 2009

Magnólia


Magnólia - Imagem da net

UMA FLOR.
UMA COR
ACORDADA.
UMA VIDA FELIZ,
QUE O DIZ
NUMA VOZ PERFUMADA

(Miguel Torga)
Poesia completa 1

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Mais um gesto bonito para comigo


Da querida amiga Ana, do blogue: http://anasique.blogspot.com/, recebi este Meme.

As regras do Meme são:

Você tem que levar o selo acima e dizer quem te convidou
a participar e quem você vai convidar.

Completar as frases...

1- Eu já...
2- Eu nunca...
3- Eu sei...
4- Eu quero...
5- Eu sonho...

Indicar 5 blogueiras e completar as frases acima.

1- Eu já curei muitas feridas e ajudei a salvar muitas vidas.

2- Eu nunca pactuei com a injustiça, com a mentira, ou com a falsidade.

3- Eu sei que posso crêr, confiar, esperar, e descansar no meu Deus.

4- Eu quero viver cada dia com alegria,sorrindo, cantando, e amando o meu próximo como a mim mesmo.

5- Eu sonho com um mundo sem guerras,sem fome, e onde cada ser humano tenha direito a ser feliz

Passo este Meme ás seguintes blogueiras amigas:

1 - Anita
2 - São
3 - Ana Maria
4 - Carmen
5 - Sónia

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Isto é AMOR de MÃE


Uma mulher chinesa caminhou 2 mil quilómetros para salvar a vida do filho

«Uma chinesa de 55 anos caminhou mais de 2 mil quilómetros nos últimos sete meses para perder peso e poder transplantar parte do seu fígado ao filho de 31 anos.
Segundo a agência chinesa de notícias Xinhua, Chen Yurong caminhou 10 quilómetros diários perto de casa, no distrito Jiang´an, na província de Hubei, depois de saber que o filho, Ye Haibin, precisava de um transplante de fígado.
O fígado de Chen tinha acumulado muita gordura para poder ser utilizado no transplante, disseram os médicos, em Fevereiro, pelo que a mulher iniciou também uma dieta à base de arroz e vegetais. Graças a esses esforços, Chen perdeu oito quilos.
A 19 de Outubro, os médicos disseram-lhe que o seu fígado tinha alcançado as condições requeridas para o transplante, que foi realizado numa operação de 14 horas.
O filho de Chen tem a doença de Wilson, um transtorno hereditário pouco comum causado pela absorção e acumulação de excessivas quantidades de cobre no corpo, que pode produzir a degeneração do fígado e de outros órgãos.
Segundo o cirurgião, Chen Xiaoping, a operação foi um sucesso e o novo fígado contribuirá para aumentar a expectativa de vida de Ye.»

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Que saudades dos Pêros Casanova!


Pipo de Basto - imagem da net

Quando criança, comi muita fruta, muitos legumes e muito peixe.
A fruta era barata e de boa qualidade, criada sem pesticidas e adubos "manhosos".Nos lugares onde vivemos, nos arredores de Leiria, havia abundância de pomares, e práticamente não havia ninguém que não amanhasse um pedaço de terra e não plantasse árvores de fruto.
Entre estes estavam os meus pais, os quais desde que me lembro de mim, sempre cultivaram a terra.
Tanto o Pai, que partiu para o céu 27 anos antes da mãe, como a mãe, que deu continuidade ao amanho das terras depois de o pai partir, e até para além dos oitenta anos fez questão de as trabalhar, sempre, sempre cultivaram a terra.
Quanto ao peixe, que chegava á praça de Leiria fresquinho, vinha directamente das lotas da Nazaré, Vieira de Leiria e Peniche, tinha tambem preços muito acessiveis e estava sempre presente na nossa mesa.
A carne, já não era bem assim, pois era mais cara e para obstar essa dificuldade criavam-se coelhos e galinhas que eram cozinhados mais, em dias especiais.
Mas voltemos á fruta.
Havia nesse tempo um tipo de Pêro - nesse tempo destinguiam-se os peros das maçãs...hoje se perguntar a uma criança ou a um jovem se sabe o que é um pero, dificilmente ele saberá responder. Hoje, é tudo maçãs - um tipo de pero dizia eu, que se chamava "Pero Casanova".
Era muito saboroso, sumarento, com a polpa muito branquinha, um pouco ácido, o que o tornava muito agradável, e era vermelho e branco, mais vermelho na parte de cima e branco junto á basse.Tinha um formato alongado e ia estreitando em cima e alargando em baixo.
Aparecia, como todas as maçãs, no fim do verão.
Nessa altura, acho que ninguém pensava sequer em armazenar fruta em frigoríficos; ela vinha na época e quando acabava, acabava.
Algumas pessoas costumavam guardar algumas maçãs e pêros para o Natal.
Recordo-me da uvas cujos cachos mais loirinhos e mais doces, se penduravam no tecto da casa, e ali ficavam á espera da festa de Natal e ano novo. Já "passinhas" como nós dizíamos.
Hoje, como nós sabemos, cultivam-se em portugal muitíssimas novas espécies de fruta, sobretudo maçãs.
Pesquizei na net a ver se encontrava o tal Pero Casanova, e fiquei espantada com a lista de tipos e variedades de maçãs que encontrei.Incrível, mesmo.
Pesquizando em Pero Casanova, não encontrei nada, imaginem! Apareceram-me tantas outras coisas como lojas de roupa etc
Então "andei" no meio das maçãs na tentativa de encontrar alguma que fosse pelo menos parecida.Seleccionei duas, mas ambas com nomes que não têm nada a ver.Uma delas chama-se: "Camoesa de burro!" Vejam só!
O outro é o "Pipo de Basto!"
Mas porque é que estou para aqui a escrever tudo isto, perguntarão?
Pois é, é que esta semana para meu espanto e minha alegria, descobri no Super-mercado aqui de Mira-Sintra, uma caixa de Pêros Casanova!
Que emoção!
Claro, que trouxe bastantes e desapareceram logo.
Daqui a pouco, vou voltar lá, com a esperança de ainda encontrar alguns, para me consolar e recordar a minha infância.
Uma vez por ano, no fim do verão, com um pouco de sorte acabo por encontrar uma caixa destes saborosos pêros.
Eu creio que eles não tem "perfil" para serem conservados no frio.
Já agora, se entre os meus simpáticos leitores, houver alguém que me possa passar alguma informação acerca destes meus preferidos pêros, eu agradeceria.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A fragilidade da AMIZADE


Imagem da net


"A AMIZADE MAIS PROFUNDA E DEDICADA PODE SER FERIDA POR UMA PÉTALA DE ROSA."

(Seneca)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O sinal caído no chão


Imagem do Gil

Já aqui escrevi sobre os três principais hobbies do neto Gil: Metereologia, combóios e fotografia.
Aliás, aos 15 anos, ele já sabe o que qer ser "quando fôr grande": Metereologista. Não tem dúvidas sobre isso.
Na internet, ele colabora em dois Foruns: um sobre Metereologia e o outro sobre combóios.
Sempre que a escola lhe permite, combina comigo e com o Zé - nosso motorista - uma escapadela até a um qualquer lugar, que ele estuda muito bem primeiro, para conseguir mais uma bela fotografia, para juntar á sua já longa colecção de fotos de combóios, aproveitando para publicá-la no tal Forum na net.
A semana passada metemo-nos no Fiat Punto azul metalizado, e no meio de risos, gargalhadas e cantigas, lá saímos nós para mais uma aventura.
Desta vez, a escolha dele recaiu sobre um local numa passagem de nível sem guarda, a seguir á estação do Sabugo na linha do Oeste.
O motivo da escolha foi haver ali uma grande recta que permitia filmar e fotografar a "Allen", uma velha automotora que há dezenas de anos circula nos carris, e que antigamente, no tempo da C.P. era vermelha, e que agora há uns tempos, a R.E.F.E.R. para a fazer passar por mais nova, pintou-a de verde.
Chegámos um pouco mais cedo da hora prevista para a "Allen" passar. Sim, porque há preparativos a fazer, como por exemplo, escolher local mais propício e também montar o "tripé", etc. etct.
Nesse tempo, eu aproveito para fazer o "reconhecimento do local", observando cada pormenor ali á volta: Cada árvore, cada planta,cada flor, cada pedra, cada nuvem, cada monte, cada ave (descobri um Peneireiro pousado num fio de electrecidade), cada casa, e muitas outras coisas.
Foi então, quando caminhava por a beira da linha que, reparei em algo escondido e tapado por tufos de feno. Com o pé tentei afastar o feno, e a pouco e pouco, vi surgirem letras pretas num fundo branco, e foi então com espanto que me apercebi do que se se tratava, que era nem nem menos, do que um daqueles antigos sinais de aviso que havia em todas as passagens de nível, e dos quais me recordo desde criança.
Quem não se lembra do tão célebre e tradicional aviso:

"ATENÇÃO AOS COMBÓIOS.
PARE, ESCUTE, E OLHE."

Estava intacto. Inteirinho.
Da extremidade até á base, deveria medir á volta de dois metros.
Notava-se na base um rectágulo de cimento, que terá servido para o manter preso ao chão, e notava-se também a violência da força exercida para o arrancar e tirar do seu posto.
Perante tal achado, fiquei perturbada e notei gerarem-se em mim, muitos e diversos sentimentos.
Pensei então, no fim, para que foi criado aquele "Sinal".
Era para que as pessoas prestassem muita atenção ao atravessar a linha, e assim não fossem colhidas pelo combóio, como sabemos que a par e passo acontece por esse país a fora.
Pensei em quanto tempo ele deve ali ter estado a "proteger" as pessoas.
Pensei na frieza com que algum funcionário da REFER, ali chegou e sem mais, deu-lhe umas brutas marteladas e deitou por terra, arrastando-o depois para o meio das ervas onde o deixou abandonado sabe-se lá há quanto tempo, até que o feno o escondesse dos olhos humanos e caído ali jazesse eternamente.
Impressiona mais o abandono, pois poderiam tê-lo recolhido a um estaleiro, a um armazém..
Depois destes pensamentos, olhei para o local onde deverá ter estado por certo, durante muito tempo, a cumprir a sua função, e qual não é o meu espanto quando vejo no seu lugar, a substitúí-lo, um sinal de trânsito conhecido por "STOP".
Mais revoltada fiquei.
Então o outro, escrito num belo e perceptível "português de Camões", é substituído por este escrito em inglês?
Até nisto, tenho a sensação de ver o meu país a deixar de ser o que era...
È que ás pessoas singulares que atravessam a passagem de nível, aquele STOP" não diz absolutamente nada; não é dirigido a elas mas sim aos automobilistas, de onde se conclui que se parte do princípio que é preciso é avisar os "Carros" e não as pessoas que usam sistemáticamente aquela travessia da linha.
E depois, lamentam-se os atropelamentos e abrem-se Inquéritos" que nunca vêm a dar em nada
Sinto que há muito mais a escrever sobre aquele sinal, violentamente arrancado e atirado ao chão, e abandonado no campo coberto e escondido por tufos de feno, mas isso ficará para um próximo post.