sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

OREM COMIGO, POR FAVOR...


Mais uma vez, neste espaço, venho pedir que juntam  ás minhas, as vossas preces.
Uma menina de oito anos, chamada Maria, e a sua mãe Ana, estão a viver momentos muito difíceis e complicados, por motivos familiares. A avó,  uma linda e doce amiga minha, sofre, sofre, ao ver as "suas "meninas" assim. Foi ela que me pediu para  pedir aos meus amigos  que orem por  a Maria e por a Ana, os seus tesouros.
Temos no Evangelho instruções divinas para que OREMOS UNS PELOS OUTROS.
 Obrigada
Que o Senhor, nosso bom Deus e Pai, vos recompense e abençoe

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O caso do Vereador Voador

Publico, não publico, confesso que andei uns dias indecisa,  embora a minha primeira reacção ao ler a notícia fosse de : Amanhã divulgo isto. E, na verdade, não ficaria bem comigo mesmo se não denunciasse e mostrasse o meu repúdio por atitudes como esta.

O CASO DO VEREADOR VOADOR

O enfermeiro e vereador Luís Sousa -  Fonte da imagem:http://zap.aeiou.pt/













"Em setembro, Luís Sousa, PSD, foi eleito nas autárquicas em Baião. Felizmente, sendo ele um autarca (do grego autarkos), não deixou também de ser um autarco (do grego autarkes). Os baionenses puseram-se a ler o programa do partido e só lhe deram 18,42 por cento de votos. Tivesse o nosso homem sabido explicar que mais do que autarca ele era um autarco, isto é, "sóbrio, moderado" (Grande Dicionário da Língua Portuguesa, José Pedro Machado), e teria limpado a câmara. Não interessa, foi eleito vereador. Da sua ação de autarca, confesso, não pesco nada. Do quanto o autarco tem poupado a Baião sei muito. Três meses depois de eleito, Sousa, que é enfermeiro, foi trabalhar para Londres e lá tem residência oficial. Não descurou as obrigações de eleito e vereador continuou. Quer dizer, duas vezes por mês vem às reuniões do executivo. Nesta semana, soube-se que ele quer que a câmara lhe pague as viagens de avião (Londres-Porto-Londres) e o carro até aos aeroportos. E, hoje, em Baião critica-se o vereador voador. Ora, em setembro, o candidato Sousa deveria ter-se apregoado assim: "Daqui a meses vou para Londres e vocês pagarão só uns ida-e-volta na Ryanair, a baratucha. Eu, o moderado, prometo-vos que não emigro para o Maputo (8000 km) e vocês não têm de pagar bilhetes de mil euros!" E, se fosse preciso, ameaçava ir viver para a selva de Cabo Delgado, o que de táxi até Maputo, duas vezes por mês, nem todo o orçamento de Baião chegava"..

   (Ferreira Fernandes  - http://www.dn.pt)

Nota:

Soube ontem, que o vereador Luís Sousa renunciou ao  mandato.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Hospital de S. João, no Porto, vence Prémio Mundial de Inovação


Equipa multidisciplinar da instituição hospitalar foi distinguida graças a uma solução para aumentar a monitorização e segurança dos doentes internados. © Hospital de São João

"O Hospital de São João, no Porto, acaba de conquistar um galardão internacional de inovação atribuído pela Microsoft Corporation. A instituição hospitalar conquistou o primeiro prémio no concurso "Microsoft Health Users Group Innovation Awards 2014" com uma solução tecnológica desenvolvida para ajudar a aumentar a monitorização e segurança dos seus doentes internados.

O Centro Hospitalar de São João foi premiado graças à solução informática VITAL (VIgilância, MoniTorização e ALerta), que monitoriza a cada segundo toda a informação de parâmetros fisiológicos e resultados laboratoriais dos doentes em busca de determinados padrões que possam indicar se o paciente se está a deteriorar clinicamente (situação que, se não for detetada atempadamente, pode resultar em entradas em cuidados intensivos ou mesmo em morte). 

Em comunicado, o Hospital de São João explica que o VITAL foi desenvolvido com a ajuda de uma equipa multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros e especialistas em tecnologia de Business Intelligence através de uma parceria com a empresa portuguesa DevScope. 

O instrumento constitui-se, portanto, como uma forma de auxiliar a monitorização dos doentes internados e, consequentemente, aumentar a sua segurança durante a sua estadia no hospital."

 (http://boasnoticias.sapo.pt/)

Nota pessoal:

Foi com enorme regozijo que acolhi esta boa notícia.
Como enfermeira que fui, durante cerca de 40 anos, e com uma saudade imensa do meu tempo de trabalho no bloco operatório do Hospital de Santa Maria - em Lisboa, que, na altura "concorria" com o de S. João  -  ambos eram novos...o de Santa Maria alguns anos mais velho, sorrio de contentamento,  ao me aperceber do quanto os nossos profissionais de saúde se empenham e se se esforçam  para o bem das pessoas  com quem lidam profissionalmente no seu dia - a - dia.
Sinto muito orgulho por eles...e também  por o meu país...que  apesar das dificuldades que atravessa, investe  o máximo que pode  no nosso "exemplar" Serviço Nacional de Saúde, que é um modelo para muitos outros países. Aproveito também  para dizer do meu apreço e admiração  pelo nosso actual Ministro da Saúde - Dr.  Paulo Macedo.


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

"TENHO TEMPO, SENHOR


Fonte da imagem: myfirstlublog.blogspot.com
"Toda a gente se queixa de não ter tempo bastante. É que olham a vida, a sua vida, com olhos humanos de mais.Há sempre tempo para fazer o que Deus nos dá a fazer. Mas é preciso estar totalmente presente em todos os instantes que Ele nos oferece.

...Saí, Senhor.
Lá fora os homens saíram.
Iam,
Vinham, 
 Andavam, 
 Corriam. 

As bicicletas corriam, 
Os automóveis corriam,
Os camiões corriam,
A rua corria, 
A cidade corria,
Todo o mundo corria,
Corriam todos, para não perder tempo:
Corriam no encalço do tempo,
        para recuperar  o tempo, 
        para ganhar tempo.

...Assim correm todos os homens atrás do tempo, Senhor. 
Passam correndo pela terra.
       apressados,
       atropelados,
       sobrecarregados, 
       enlouquecidos,
       assoberbados.

Nunca chegam, falta-lhes tempo.
Apesar de todos os esforços, falta-lhes tempo.
falta-lhes mesmo muito tempo.

....Tenho tempo, Senhor,
Tenho todo o meu tempo.
Todo o tempo que me dás.
Os anos da minha vida,
Os dias dos meus anos, 
Os minutos dos meus dias.

São todos meus,
Cabe-me a mim preenchê-los
       Tranquilamente,
        Calmamente,
Mas preenchê-los inteirínhos, até á borda,
Para os dar a Ti
         -    que, da água sem sabor,
         faças um vinho generoso
         como outrora, em Caná,
         fizeste para as bodas humanas.
Nesta noite eu não te peço, Senhor, o tempo de fazer isto
        e depois aquilo.
Peço-te a graça de  fazer, conscienciosamente, no tempo que 
         me dás, o que queres que eu faça".

   (Michel  Quoist - Em poemas para rezar)

   No Original - Priéres
        

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Porque Hoje é Domingo (282)



A Palavra exposta. -Casa de Oração da Igreja Baptista de Morelena - Sintra
Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.
Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois ele supre aos seus amados enquanto dormem.
Eis que os filhos são herança da parte do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.
Como flechas na mão dum homem valente, assim os filhos da mocidade.
Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos ã porta.

   (Livro dos Salmos cap.127)

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Os Filhos - as Mães...



"As Mães carregam os seus filhos  através da manhã.


   Os Filhos deveriam carregar as suas mães através da noite".

     (M. Seemann)

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Tudo é Teu! - Um Poema de Pedro Homem de Mello


O Poeta e escritor -  Pedro Homem de Mello


















               
          TUDO É TEU!


Descalço venho dos confins da infância
Que a minha infância ainda não morreu.
Atrás de mim em face ainda há distância,
Menino Deus, Jesus da minha infância,
Tudo o que tenho, e nada tenho, é teu

Venho da estranha noite dos poetas,
Noite em que o mundo nunca me entendeu
Vê trago as mãos vazias dos poetas.
Menino Deus, amigo dos poetas,
Tudo o que tenho, e nada tenho, é teu

Feriu-me um dardo, ensanguentei as ruas
Onde o demónio em vão me apareceu.
Porque as estrelas todas eram suas
Menino irmão dos que erram pelas ruas
Tudo o que tenho, e nada tenho, é teu!

Quem te ignorar ignora os que são tristes
Ó meu irmão Jesus, triste como eu
Ó meu irmão, menino de olhos tristes,
Nada mais tenho além dos olhos tristes
Tudo o que tenho, e nada tenho, é teu!"

 Pedro Homem de Mello

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Ser Mãe - Letícia Thompson

Ingrid Betancourt - Mulher - Mãe -  esteve sequestrada na selva Colombiana por mais de seis anos  anos pelas FARC
Ser mãe

Ser mãe dói.


Dói quando o filho nasce e ela se pergunta como vai saber educar. Dói quando, tendo o futuro todo pela frente, ela se sente perdida, como se o mundo não tivesse continuação. Dói quando filho chora de noite e ela não sabe bem como acalmá-lo. Ela aprende, então, a interpretar cada choro pra entender seu bebê.

Ser mãe dói quando filho fica doente e ela quer trocar de lugar com ele e não pode. Dói quando ela não sabe o que fazer.

Ser mãe dói quando filho não quer começar a escola e ela precisa fazer um esforço sobrenatural para não chorar e deixá-lo começar a vida de gente grande. Ela chora escondido depois. Mas dói também, quando, deixando o filho na escola, ele dá um sorriso e diz adeus. Dói sentir que ele desprega-se, solta-se, torna-se independente. Como dói!!!

Ser mãe dói quando filho tem problemas na escola e ela precisa ouvir com naturalidade as queixas. Dói a adolescência, as questões existenciais.

Deve doer demais ver um filho indo para a guerra. Deve doer imensamente ver filho seguindo caminhos diferentes dos que julgamos corretos. Mãe que vê filho sofrendo, sofre dobrado.

Ser mãe é uma missão que dói a vida inteira.

Ser mãe é ter a dádiva do dar. Ela planta e sabe que não é pra ela.

Jesus também teve mãe. E deve ter doído nela mais que em qualquer outra mulher do mundo.

Uma mãe é uma ponte entre os céus e a terra. É o ser escolhido por Deus, certamente o mais bendito de toda a criação, para que a terra se encha e se multiplique.

Ser mãe dói sim. Mas engrandece também. A medida da dor é também a medida da alegria de ver filho feliz.

A maternidade é a corôa de toda mulher. De espinhos... mas de flores também!

Benditas sejam todas as mães do mundo!!!
Letícia Thompson(http://pensador.uol.com.br/

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Hospital de Portimão apoia médico sueco em tratamento Inovador da Otite Serosa


O Médico Otorrinolaringologista - Dr.Armin Bidarian Moniri 

"Um médico do Hospital de Portimão desenvolveu um método que evita 80 por cento das cirurgias em crianças que sofrem de otite serosa. Em Janeiro deste ano, o sueco Armin Bidarian Moniri foi distinguido, graças a esta invenção, pela rainha da Suécia.

Para criar este tratamento, o otorrinolaringologista sueco, a viver em Portugal desde 2009, inspirou-se na famosa Manobra de Valsalva, desenvolvida no século XVIII por um médico italiano e que consiste em tapar o nariz e a boca para forçar o ar a sair pelos ouvidos, de forma a desentupir os canais auditivos.

Esta manobra “é uma técnica muito eficaz na prevenção das complicações resultantes da otite serosa, mas é impossível pedir a uma criança entre os dois e os quatro anos para a aplicar, até porque a nível motor, nessas idades, é difícil efetuar este movimento”, explica o otorrinolaringologista Armin Bidarian Moniri ao Boas Notícias.

O método criado pelo médico do Hospital de Portimão é extremamente simples mas eficaz: consiste num tubo ligado a um balão que enche e esvazia confirme a criança respira. O equipamento vem integrado num simpático peluche que torna todo o processo mais cativante para os pequenos pacientes


O médico sueco com o Director do Serviço de Otorrinolaringologia - Dr Ilidio Gonçalves 
Equipamento evita oitenta por cento das cirúrgias

Armin Bidarian Moniri contou ao Boas Notícias que basta “realizar este tratamento durante quatro semanas, entre cinco a 10 minutos por dia, para evitar complicações, pelo menos em 80 por cento dos casos”.

O médico, com o apoio do Hospital de Portimão, começou a desenvolver a ideia em 2010. Entretanto já foram realizados dois testes clínicos, um deles envolvendo 20 crianças e um segundo teste envolvendo cerca de 40 pacientes. Os resultados já foram divulgados no jornal  “International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology”.

A intervenção cirurgica na sequência de otites serosas é muito frequente. “Há várias complicações que resultam desta situação: é incómodo e arriscado para a criança (porque envolve anestesia geral) e também tem elevados custos socioeconómicos para as famílias e para o Estado”, salienta o otorrinolaringologista. Além disso, a cirurgia nem sempre resolver o problema e cerca de 20 por cento das crianças tem que voltar a ser operadas.

Equipamento foi distinguido na Suécia

A Rainha Silvia e o destinguido com o prémio       
O elevado sucesso deste tratamento conservador pediátrico chamou a atenção da rainha da Suécia. No dia 22 de Janeiro, Armin Bidarian Moniri, deslocou-se à sua terra natal para receber, das mãos da Rainha Silvia, uma distinção.

Em breve, o otorrinolaringologista, mais uma vez com o apoio da equipa Hospital de Portimão, vai começar uma nova fase de testes em parceria com instituições hospitalares suecas, italianos e austríacas.

Desta vez, o estudo vai envolver mais crianças e vai comparar, por exemplo, a competência auditiva em crianças que sofreram de otite serosa e que foram operadas, com as crianças que usaram o equipamento de Armin.

O peluche amigo dos ouvidos, que foi batizado de ‘Moniri-Otovent’, já foi patenteado e deverá ser comercializado por uma empresa sueca, no máximo, em 2015.

O médico, que é casado com uma portuguesa, sublinha a “importância” do Hospital de Portimão no desenvolvimento deste novo tratamento. Os estudos e os testes contaram com o apoio da equipa do Serviço de Otorrinolaringologia e do seu diretor, lídio Gonçalves.

"Apesar de sermos poucos médicos, no Centro Hospitalar Algarvio (CHA), contei sempre com o apoio dos meus colegas, o que foi fundamental para o sucesso do projeto”, garante Armin Bidarian Moniri.

Armin faz ainda questão de elogiar o trabalho do CHA que, “apesar de estar a funcionar com menos 50% dos médicos de que precisa, conseguiu reduzir o tempo das listas de espera das consultas e das cirurgias”.

   (https://www.blogger.com)

Nota:

Como enfermeira  de Saúde Pública, que trabalhei cerca de 4o anos na comunidade, regozijo-me  e alaudo com ambas as mãos, esta excelente "Boa notícia", que tanto irá contribuir para  resolver graves problemas de audição e sofrimento nas nossas crianças.

Muito Obrigada!   Dr..Armin Bidarian Moniri 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Rosa Queimada - Um poema de Pedro Homem de Mello


Fonte da imagem: www.obaoba.com.br A


  ROSA QUEIMADA

Na murcha roseira
Vê-se ainda a flor.

Vê-se ainda a rosa
Na flor ressequida.

O sol e as neblinas
Roubaram-lhe a vida!

Mas fica o perfume
Que exalam as finas
Pétalas de lume...

Pedro Homem de Mello
no livro - Segredos  - 1953

Nota:

Este livro tem uma dedicatória do autor, ao Jorge, meu marido,
de quem o poeta foi professor na Escola  Infante D. Henrique, no Porto.


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Porque hoje é Domingo (281)


"A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei.  Com efeito: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.   
O amor não faz mal ao próximo. De modo que o amor é o cumprimento da lei.    E isso fazei, conhecendo o tempo, que já é hora de despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando nos tornamos crentes.    A noite é passada, e o dia é chegado; dispamo-nos, pois, das obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz.  Andemos honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e inveja.    Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo; e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências".
   ( Ep. de S. Paulo aos Romanos cap.13:8 a 14)   

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Ainda, as Rosas...

Rosa Charles de Gaulle. Fonte da imagem: hortiplex.gardenweb.com

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

No Dia dos Namorados



"O amor é uma planta de delicado crescimento:
trata-a bem,
com muito cuidado,
e  crescerá forte
e perfumada por toda a vida".

(Frank Harris - 1856 - 1951)
No Grande Livro do Amor - de Hellen Exley 


quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Heinrich Heine - O seu Testemunho na hora de morrer


 O poeta alemão Heinrich Heine - 

 Quando chega a hora de morrer...

"Heinirich Heine, o poeta conhecido pela sua zombaria espirituosa, no final da sua vida encontrou a paz com Deus através do Senhor Jesus Cristo. No epílogo da sua colecção de poemas "Romanzero" ele escreveu:

Quando se está no leito de morte, fica-se muito sensível e gostaria-se de fazer a paz com Deus e com o mundo. Desde que eu mesmo sou necessitado da misericórdia de Deus, concedi amnistia  a todos os meus inimigos. Poemas que continham  quaisquer alusões contra Deus, foram entregues com zelo temeroso ás chamas. É melhor que queimem os versos do que o autor dos versos!

Sim, reconciliei-me com o Criador, para grande irritação dos meus amigos "esclarecidos", que  me fizeram acusações sobre essa recaída na "velha superstição", como eles gostavam de chamar o meu retorno a Deus. Voltei a Deus como o filho pródigo, depois que por muito tempo  cuidei dos porcos com os hegelianos. A saudade celestial tomou conta de mim. Na teologia  devo culpar-me de retrocesso, por ter voltado a um Deus  pessoal.


Túmulo do poeta Heinrich Heine -  no Cemiério  de Montmartre em Paris.
Fonte da Iimagem:  www.lyrikwelt.de -

Então, Henrich Heine compôs a sua comovente confissão (tradução livre do alemão)

Destruida está a velha lira,
na rocha, que se chama Cristo,
a lira, que para a má comemoração,
era movimentada  pelo inimigo mau.
A lira que soava para a rebelião,
que cantava dúvidas, zombarias e apostasias.
Senhor, Senhor,  eu me ajoelho,
perdoa, perdoa  as minhas canções.

Para a Igreja em sua fé,
muitas canções de zombaria se ouviu.~
Elas pretendiam desfazer a disciplina e a ordem
com sons suaves e enganadores.
O bando livre triunfa
Em muitas coisas contribuí para ele .
Ó Senhor,  abaixo os olhos,
perdoa, perdoa as minhas canções.

E quando vieram as tempestades de Março
até Novembro escuras e violentas,
envolvi violentas sementes de rebelião
em doces canções.
A muitos corações confundi,
destruindo a felicidade da vida eterna.
De cabeça baixa me humilho,
Ó Senhor, perdoa as minhas canções".

"Mas nem todos têm a graça de ainda encontrar o Senhor no leito de morte, motivo porque a Palavra de Deus exorta com tanta insistência: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto". (Isaías 55:6)
Existe um momento quando é tarde demais"!

  (Wim Malgo - no livro - O Que Virá Amanhã)

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Mais de Cem Mil abortos em Portugal nos últimos sete anos


FORAM MAIS DE  CEM MIL, OS ABORTOS PRATICADOS EM PORTUGAL NOS ÚLTIMOS SETE ANOS, ALTURA EM QUE FOI APROVADA A ACTUAL LEI, DA AUTORIA DO PARTIDO SOCIALISTA.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Para Glória de Deus - Um Poema de Gióia Júnior


Fonte da imagem:amigosvirtuaisabencoadospordeus.blogspot.com 













 PARA GLÓRIA DE DEUS

Para glória de Deus é que em noites geladas
e em cinzentas manhãs e frias madrugadas,
meus versos tenho escrito - eis a grande verdade.
Que não haja em minha alma a mínima vaidade.
Que vaidade teria a estrela no seu lume
e o mar em seu poder e a rosa em seu perfume?
Tu me deste, Senhor, a lira que dedilho
para que eu glorifique o nome do TEU FILHO,
e o proclame aos mortais e o bendiga e enalteça;
faze que  eu diminua a fim de que Ele cresça.

Dá que eu possa vencer a condição humana
e me afaste, Senhor, dessa estrada profana
que engana e desorienta e desatina e ilude
e corre para o vício e foge da virtude.

A Poesia, é mister que tenha sempre um fim,
deve a poesia fugir da  Torre de Marfim
e sofrer com o povo e sentir mais e mais
as negras aflições dos problemas sociais:

as estrofes, bem sei, não serão menos belas
se trouxerem nos pés a lama das favelas
e os versos não serão, por certo menos nobres
se exigirem o pão para os meninos pobres.
Hoje em dia se pede ao poeta que não sonhe
e não fuja da terra e jamais se envergonhe
de dizer a verdade...É mister que a poesia
seja mais realidade e menos fantasia.

Tu me deste, Senhor, esta lira modesta
a fim de que eu mostrasse em cânticos de festa
que devemos deixar todos os outros alvos,
para encontrar a Cruz, onde nós somos salvos
não pela nossa  glória ou pela nossa luz,
mas pela expiação do sangue de Jesus!

Há quem cante o prazer e as delicias da terra,
há quem chame as nações para os males da guerra,
há daqueles também de fronte coroada
que escrevem muita coisa e que não dizem nada;
e eu, que posso dizer dos pobres cantos meus?

 - Meus versos escrevi para Glória de Deus!

 (Gióia Júnior - no livro - Jesus Alegria dos Homens)

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Bem Está!

Do blogue da minha querida amiga e irmã em Cristo - Mimi - trouxe este inspirativo e belo texto, a fim de o partilhar aqui com os amigos. Afinal de contas, as histórias bonitas e exemplares, de vidas, devem sempre ser contadas.

"Para mim é uma honra ter conhecido e privado com grandes servos de Deus que, vivendo em condições sociais, políticas e religiosas bem diferentes das actuais, nunca deixaram de lutar pela divulgação do evangelho.
Hoje venho cumprir uma promessa que aqui fiz (20.10.12) e falar deEric Barker.

Eric Barker 
Nascido num lar cristão, em Inglaterra, a 23 de Janeiro de 1899, entregou a sua vida a Cristo quando tinha 7 anos de idade.
A partir daí, apesar de ainda criança, fez da oração a sua arma. Este foi o homem que, com uma doçura incomparável, se dirigia a Deus com o seu belo sotaque inglês: “Aba, Pai, meu Paizinho querido”.

Desde a adolescência colaborou activamente na igreja, a nível da Escola Dominical e na realização de cultos ao ar livre, mas foi aos 21 anos, depois de ter servido na marinha durante a I Guerra Mundial, que decidiu dedicar a sua vida à obra do Senhor. 
Entretanto, sentindo-se atraído pelo campo missionário, veio para Portugal, por influência do testemunho de seu pai que tinha estado no nosso país e conhecia as carências espirituais aqui existentes.

Uma vez em Portugal, teve contacto com outros dedicados obreiros ingleses a residir no nosso país, aprendeu português com José Ilídio Freire (Igreja das Amoreiras - Lisboa) e ao fim de três meses já pregava na nossa língua. Foi nessa altura que rumou ao norte, para a zona de Ílhavo, onde já havia alguns crentes e começou a fazer cultos nas casas e ao ar livre. 
Aos 24 anos, depois de ter alargado a sua acção a outras localidades do distrito de Aveiro, fixou ali residência e deslocou-se a Inglaterra para casar.
Numa altura em que Portugal vivia no obscurantismo espiritual e havia perseguição religiosa, Eric Barker foi um dos bravos que nada temeram, mesmo perseguido, insultado e apedrejado, continuou fiel ao seu Deus. Com uma carroça puxada por uma mula (oferta de alguns crentes da zona sul), percorreu vários lugares do país para distribuir folhetos, vender Bíblias, pregar o Evangelho e cantar hinos tocando ao som do seu bandolim.
Com todos os obstáculos, o trabalho ia dando frutos, almas rendiam-se aos pés de Cristo e formavam-se  comunidades de culto.

Entretanto, teve de arranjar um trabalho secular (contabilista) para sustentar a família que estava a aumentar (chegou a ter oito filhos), mas nunca deixou o serviço para que Deus o chamara. Em 1935 fixou residência na Foz do Douro e adaptou o piso inferior da casa a salão de cultos.
Em 1941, no apogeu da II Guerra Mundial, aceitou a sugestão do consulado britânico e embarcou toda a sua família (mulher, filhos e outros parentes) com destino a Inglaterra. Porém, o barco foi torpedeado por um submarino alemão e afundou-se. Toda a família sucumbiu.
Eric Barker recebeu a notícia a um Domingo… quando chegou a hora do culto foi para a igreja, pregou e, serenamente, participou: “Todos os meus queridos já chegaram ao lar Celestial!”

Sem se deixar afundar na tristeza das perdas, sem medo da repressão político-religiosa, sem temer as dificuldades sociais provenientes da guerra, manteve-se firme, dedicando todo o seu tempo à defesa do Evangelho e à salvação de almas. Toda a zona de Coimbra, Aveiro e Porto, foi alvo preferencial da sua acção e muitas das igrejas existentes tiveram a sua influência.

Em 1946 Eric Barker casou em segundas núpcias com a jovem Beryl (18 anos mais nova) e Deus deu-lhe mais cinco filhos. Juntos prosseguiram na realização da obra, dando formação, pregando e dirigindo vários trabalhos de consolidação do ministério.

Foi, juntamente com outros crentes de todo o país, um dos grandes impulsionadores da Convenção Beira-Vouga, onde algumas vezes o ouvi pregar. 
Também, até à minha juventude, o ouvi e mantive contacto, sempre que se deslocava ao sul. 

Era uma inspiração!

O meio evangélico português muito deve a este servo de Deus, gratidão que se estende a vários outros missionários ingleses que trouxeram a Palavra de Deus até nós no princípio do século passado.

Erick Barker morreu a 09 de Julho de 1989". 
“E o seu Senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor.” – Mateus 25:21
Mimi - no blogue - http://maria-elevive.blogspot.pt/

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Porque hoje é Domingo (280)



E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.
Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo.
Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego.
E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.
Então os vizinhos, e aqueles que dantes tinham visto que era cego, diziam: Não é este aquele que estava assentado e mendigava?
Uns diziam: É este. E outros: Parece-se com ele. Ele dizia: Sou eu.
Diziam-lhe, pois: Como se te abriram os olhos?
Ele respondeu, e disse: O homem, chamado Jesus, fez lodo, e untou-me os olhos, e disse-me: Vai ao tanque de Siloé, e lava-te. Então fui, e lavei-me, e vi.
Disseram-lhe, pois: Onde está ele? Respondeu: Não sei.

 Ev. de S. João cap. 9:1 a12

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Um ninho, que tem lá dentro um passarinho!

Um ninho do rouxinol dos caniços Fonte da imagem:  http://rendadebirras.blogspot.pt/
Um ninho

Sabeis o que é um ninho, esse pequeno lar, 

Onde a ventura mora em noites de luar,
Onde a brisa suspira e canta a cotovia,
Desde o romper da aurora ao declinar do dia?


Sabeis o que é um ninho em dias estivais,

Perdido no rumor dos bastos salgueirais
À borda dum riacho alegre, saltitante,
Que vai, de pedra em pedra, até morrer distante?


Sabeis o que é um ninho inundado de sol

Onde desperta o melro e dorme o rouxinol?

Nâo, nâo sabeis? pois bem: juntai toda a ventura

Do vosso lar ditoso - os beijos a ternura
De uma extremosa mâe, os cuidados de um pai,
Os risos de uma irmâ, que tanto nos distrai,
O doce olhar de avò, vaidosa no carinho, 
E ficareis sabendo o que se chama um ninho.

Afonso Simões.


Nota: 

Fui surpreendida, e "encantada", por esta tão bela imagem,  de um rouxinol dos caniços, no seu ninho, no blogue da minha amiga Dilita - http://rendadebirras.blogspot.pt/.

Imediatamente regressei á minha infância, nos arredores de Leiria, mais propriamente, Leiria-Gare,
onde eu ,e o meu maninho Serafim, palmilhávamos todos os campos á volta, á procura de ninhos.
Havia tantos! Nos olivais, nos pomares, nos canaviais, junto das  "valas", nos salgueirais  nas margens do Lis ...Até num alto pinheiro bravo que ficava numa barreira de "saibro", perto da nossa casa.

Nunca  tocámos num ninho.
Só ía-mos espreitar o que tinha lá dentro quando sabíamos que os pais não estavam por perto, para eles "não engeitarem", como dízíamos.
Nunca tirámos um ninho, nem um passarinho, mesmo depois da criação feita e o ninho ficar abandonado.
O que contava era o número de ninhos que "sabíamos" e os vários passarinhos a quem pertenciam, pois havia uma forte concorrência  entre "os miúdos".

Ainda hoje, encantam-me e fascinam-me os ninhos. Creio manter o mesmo sentimento por eles, dos meus tempos infantis. Creio que assim será por toda a vida.Aos setenta e três anos, ainda ando de "cabeça no ar", olhando as árvores, sobretudo no inverno, quando estão despidas de folhas, na esperança de vislumbrar um ninho,  às vezes até "me doi o pescoço"...e por vezes já tenho esbarrado contra obstáculos por ser tal a minha distracção .

O poema acima publicado, constava do meu livro de leitura  da quarta classe.
Praticamente, por tanto o ler, ainda, passados todos estes anos,  o sei de memória.

Agora, recebo ninhos pelo correio! Ainda no meu último aniversário, há dois meses, assim aconteceu. A minha querida amiga Margarida Barros,  enviou -me um  juntamente com uma carta lindíssima. Um ninho de carriça, que encontrou num arbusto. 
Como sabem, os passarinhos só utilizam o ninho uma vez. Depois dos filhotes levantarem vôo eles abandonam os ninhos. Já cumpriram a sua função. Todas as primaveras constroem um novo ninho.


Quero agradecer aqui, á minha amiga Dilita, a possibilidade de trazer o ninho, para o partilhar aqui com os amigos. 
Também agradeço a publicação do célebre poema do meu poeta preferido - Miguel torga - Eu sei de um ninho".  que serviu de inspiração para "ir buscar" o poema acima . "Sabeis o que é um ninho"

Obrigada Dilita! Continue a publicar coisas bonitas e interessantes.



sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Peço as vossas Orações


Fonte da imagem: http://www.lagoinha.com/

Através de um comentário, deixado hoje,  neste espaço, por a minha querida amiga Sandrinha, do blogue-
 http://aotoquedoamor.blogspot. -  fui surprendida  pela noticia da morte do seu marido, aos 59 anos, no passado dia um de Fevereiro, por um enfarte fulminante.
É enorme a dôr da minha amiga,  porém,  como crente em Jesus Cristo, ela compreendeu e aceitou, que o Senhor Deus tem um momento determinado, para nos levar para a eternidade, para junto de si.
Ele é soberano.
Peço aos amigos, que habitualmente por aqui passam, e que acreditam no poder e na força da Oração, que, por favor orem pela Sandrinha e pela sua família, para que o Senhor Deus de amor e de toda a bondade, console, conforte, e enxugue as suas  lágrimas.
 Deus ordena-nos na sua palavra que oremos uns por os outros e  que  nos consolemos uns aos outros.
Obtrigada, de coração

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Lança os teus cuidados sobre o Senhor e Ele te dará força.


Fonte da imagem:www.liveinternet.ru  
"Não consigo concentrar-me, o meu cérebro transformou-se numa espécie de geleia. Não tenho memória das coisas, não retenho aquilo que as pessoas me dizem.

O meu corpo descontrola-se. Por vezes as mãos tremem.  Sinto-me ora quente, ora frio. Outras vezes sinto um enorme fastio, que me leva a rejeitar a comida enquanto outros devoram as suas refeições. Há pessoas que se comportam de uma forma tão estranha - a  forma como se riem parece que tritura os tristes. No nosso dia a dia, deparamo-nos com censuras desmedidas que mutuamente proferimos com ira." Está calada! Já não posso ver televisão em paz? 
Ninguém consegue dormir.
Como pudemos nós reagir ás circunstâncias em que os nossos corpos se encontram dominados pela tristeza?

O meu dia a dia é desgastante. É duro restaurar aquilo que a tempestade destruiu. Consolar alguém em aflição é um trabalho emocional muito difícil. Não posso deixar de confiar em Deus quando me encontro impotente perante as adversidades com que me defronto.

O meu corpo não resiste a ter de terminar o trabalho neste dia. Dormir hoje á noite, só vai ser possível se acalmar a excitação dos meus pensamentos. É assim que  luto por esforçar-me o melhor que posso em cada dia , entregando a Deus  aquilo que não consegui fazer,  tal como David fazia frequentemente"


                                  "Tem misericórdia de mim, Senhor,
                                              porque me sinto angustiado  .  
        Os meus olhos estão vermelhos já, com  tanto choro;
                             a minha alma, tanto como o meu corpo,
                                       estão cansados de tanta tristeza.
                                 Vou-me  consumindo de abatimento;
                                 esgotam-se os meus anos em aflição.
               Os meus pecados também me têm tirado a força.
           Sinto-me como  que comido  de vergonhs e tristeza.

Mas eu confiei em ti, Senhor,  e disse:  "Tu és o meu Deus".
          Que o teu favor brilhe novamente sobre o teu servo.
                                        Que a tua misericòrdia me salve.
                         A esses, tu os esconderás na tua presença,
                                     ao abrigo  das intrigas dos homens;
                                 irás  recolhê-los  debaixo da tua mão,
                                              salvos da maldade das líguas.
                                  Falei precipitadamente quando disse:      
                                              "O Senhor desamparou-me",
                  porque afinal tu sempre ouviste a minha súplica
                                                         quando clamei por ti.
                                       Eu me deitarei em paz e dormirei.
                                                          porque só tu Senhor,
                                              me fazes viver em segurança."
(Salmo 31:9, 10, 14, 16, 20, 22, 4:8)
                                     
          "Lança os teus cuidados sobre o Senhor e Ele te dará força".

       (No livro - Quando o nosso mundo desaba)
Uma publicação do Núcleo - Centro de Publicações Cristâs

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A beleza da Rosa Just Joey ~Hibrido de chá

                                      Rosa Just Joey.: Fonte da imagem: http://www.mooseyscountrygarden.com/

Tenho vários livros sobre rosas, todos ofertados, por amigos e familiares que conhecem bem o meu "amor" pelas rosas.
Hoje, selecionei esta rosa lindíssima, que encontrei no livro - Todo Rosas - de Orietta Salla, para partilhar, aqui,  com os amigos.
Em tempos complicados e difíceis, como os que vivemos, faz-nos bem olhar as flores.
Eu creio firmemente, que O Deus-Criador,  fê-las, para isso mesmo...nos alegrar.
Para aqueles que tenham interesse em saber algo mais sobre esta linda flor, aqui deixo alguns dados:

Altura: 1 m
Tamanho das flores: 10 a 12 cm
Número de pétalas; 32

É única na côr, e na beleza das pétalas, onduladas e frizadas.

É conhecida,  praticamente, em todo o mundo, embora ainda esteja ausente em alguns países da Europa.
Tem um perfume rico. Floresce e refloresce, estando presente ainda no Outono. 

Origem: "Fragant Cloud X.
Dr. A. J. Verhange

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Tojos do Monte - E.B. Browning


Flor do Tojo - Ulex europeus. Fonte da imagem:www.habitataid.co.uk  
















Tojos do Monte

         "Tojos do monte, 
                     sempre dourados,
            inalteráveis todo o ano!
            Ensinai-nos a ser fortes,
          embora atormentados
                                e dominados
        Como as vossas flores espinhosas,
        embora fustigadas pela chuva
                                e pela neve,
Tão agreste como o sítio onde cresceis!

   Flores do monte, flores radiosas,
   ensinai-nos a ser alegres,
quando já não há  Verão
          a florescer no nosso peito!
Vós, que Deus conserva ainda
           como luzes sobre  o monte,
testemunhas, na terra invernal,
        de que a beleza ainda existe.

Tojos do monte, ensinai-nos,
     aí desse pedestal académico,
            coberto de ar celeste,
que a palavra mais sábia ao alcance
do homem é a mais humilde de todas!
vós, que viveis no cimo dos montes
     mas que cresceis rasteiros,
               junto ás humildes ervas!

  Tojos do monte, depois que Lineu
se ajoelhou diante diante de vós, na erva,
dando graças a Deus pela vossa beleza
e pela vossa lição, haveis de ver-nos
         novamente prostrados!
     Quando nos levantar-mos,
Se houver uma ou duas gotas no nosso rosto
       - não serão lágrimas, mas orvalho."

   (E. B. Browning - no livro - A Alegria de Viver com a Natureza - de Edith Holden)