domingo, 30 de novembro de 2014

Porque Hoje é Domingo (320)


E David tomou o seu cajado na mão,e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforge, de pastor que trazia, a saber, no surrão, e lançou mão da sua funda, e foi-se chegando ao filisteu.. E, olhando o filisteu, e vendo a David, o desprezou,  porquanto era mancebo,  ruivo,  e de gentil aspecto
Disse mais o filisteu a David: Sou eu algum cão, para tu vires a mim com paus? E o filisteu amaldiçoou a David, pelos seus deuses....
...David, porém  disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos Exércitos de Israel, a quem tens afrontado....
...E David meteu a mão no alforge e tomou dali uma pedra, e com a funda lhe atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu  sobre o seu rosto em terra.
Assim David prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou, sem que David tivesse uma espada na mão.
 ( I Livro de Samuel 17:40, 42,43, 45, 49, e 50)

Ainda:

Da Revista  das Lições da Escola Bíblica Dominical:

"Pouco depois de ter sido designado como futuro rei de Israel, David enfrentou Golias, o gigante filisteu, num dos combates mais difíceis da sua vida.Contra todas as expectativas, David derrubou Golias. O Deus de David é o nosso Deus. Por isso, também nós podemos vencer os adversários que nos assaltam no caminho, por  maiores que eles pareçam. Podem ser pessoas, que querem fazer-nos mal ou afastar-nos do bom caminho; podem ser problemas como a falta de saúde, as dificuldades económicas ou o desemprego; podem ser tentações persistentes. Quantas vezes olhamos para as adversidades que temos pela frente e elas nos  parecem intransponíveis? A atitude do jovem David perante o gigante Golias permitiu transformar uma quase certa derrota numa grande vitória.

   (Pedro David Regueiras Leal -  na Revista da E.B.D.
da Associação de Igrejas Baptistas Portuguesas - 30 de Novembro de 2014

sábado, 29 de novembro de 2014

VALORES - Precisam-se, em Portugal


"O importante da educação não é o conhecimento dos factos, mas dos valores". 
( Dean William )

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Que tal Colaborarmos com Deus no Cuidado ás "Aves do Céu"?

"Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros, e vosso Pai celestial as alimenta". (Ev. de S. Mateus 6:26)

Sim, sem dúvida, Ele as alimenta.
Não tenho conhecimento de alguma ter morrido de fome,  no entanto, tenho uma sugestão a fazer:

Como, com a chegada do Outono,  que trouxe condições atmosféricas adversas, basta ter presente o dia de ontem na região de Lisboa (e não só) todas as sementinhas, frutos e bagas do campo, desapareceram, voltando, em princípio,  só na Primavera e Verão. Isto, para dizer que as avezinhas têm agora muito menos  hipóteses de encontrar alimento por aí.
Aqui, entramos nós, os humanos, pois podemos de uma forma bastante simples e barata, ajudá-los na sua alimentação. O que vos vou sugerir, eu faço-o o ano inteiro, mas empenho-me mais no Outono e Inverno. É o seguinte: Aproveito, e guardo, num saquinho de plástico, todas as migalhinhas que ficam no cesto do pão ou em cima da mesa das refeições. Se sobrar pão, o que eu evito a todo o custo, para não o desperdiçar, junto-o ás migalhinhas no saco, e quando saio por aí, quer seja aqui em Mira-Sintra ou na aldeia de Maceira, procuro um lugar apropriado e ofereço "o petisco ás aves do céu".
Ah!  mas nós sentimo-nos muito bem quando fazemos isso!

Ainda sugiro outra coisa:

Porque não falar com os nossos vizinhos do prédio, a fim de connosco colaborarem e, escolher um dos vizinhos para recolher por os andares as migalhinhas e ele próprio as ir oferecer aos passarinhos!?
Pode ser que haja um que esteja mais disponível ou que gosta mais de fazê-lo.

Amigos
A sugestão aqui fica.  A decisão de a aceitar ou não, é vossa.
Eu alegrar-me -ia muito se colaborássemos todos com Deus, no cuidado de alimentar "as aves do Céu".

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Festival da Melhor Batata Doce do mundo - a Lyra - de Aljezur - Algarve


A melhor batata doce do mundo - Lyra -  de Aljezur - Algarve
"Este evento celebra a melhor batata-doce do mundo, produto de características únicas com indicação geográfica protegida ”variedade Lyra”, genuinidade que lhe é conferida pelo trabalho árduo de todos os produtores, homens e mulheres que constituem a Associação de Produtores de Batata-doce de Aljezur.

O certame visa igualmente honrar todos os que se dedicam a esta atividade agrícola bem como todo o sector agroalimentar a ela ligado, como forma de incentivo e reconhecimento do seu trabalho.

Poderá encontrar vários restaurantes e tasquinhas onde serão servidas as receitas mais típicas e as novas propostas culinárias, sempre conjugadas com esta batata-doce de sabor único e impar.

As Doceiras de Aljezur trarão até este festival as mais requintadas tentações de bolos, pasteis, tortas e outras formas de saciar os apetites dos mais gulosos e dos mais curiosos em perceber como são únicas estas tentações feitas de forma sábia e tradicional, pelas nossas “embaixadoras” da doçaria local.

Resultado de uma parceria estabelecida há vários anos entre o Município de Aljezur e a Associação de Produtores de Batata Doce de Aljezur com o principal intuito de valorizar a produção agrícola deste produto secular e de sabor e características únicas, muito devido ao solo e ao clima que a zona demarcada apresenta para a produção da mesma, o festival regista ano após ano maior afluência de visitantes, facto que nos orgulha e distingue enquanto Aljezurenses."

  (http://festival-batatadoce.cm-aljezur.pt/)

Algumas notas complementares sobre a Batata Doce  de Aljezur

"A Batata doce de Aljezur é uma raiz adventícia que por tuberculização se torna carnuda. É uma batata piriforme alongada, de cor púrpura ou castanho-avermelhada e polpa amarela. No calibre, varia entre os 8,5 cm x 4,0 cm e os 16,5 cm x 7,1 cm, e no peso, entre os 50 g e os 450 g. De acordo com estudos efectuados nos laboratórios da Direcção Regional de Agricultura do Algarve, tem 65% a 67% de humidade; 1,3% a 1,5% de açúcares redutores; 1,8% a 3,7% de açúcares totais; 11,2% a 12,9% de amido.
Qualidades nutritivas: uma batata-doce de tamanho médio proporciona o dobro da quantidade de vitamina A e um terço da vitamina C de que necessitamos diariamente; é uma importante fonte de ferro e potássio e é rica em antioxidantes. Além disso, possui um elevado valor energético, por ser muito rica em hidratos de carbono complexos e açúcares.

Zona de Origem: A zona de produção encontra-se naturalmente circunscrita ao concelho de Aljezur com cerca 220 hectares e as freguesias de litorais do concelho de Odemira (S. Teotónio, S. Salvador, Zambujeira do Mar, Longueira-Almograve e Vila Nova de Milfontes) com cerca de 200 hectares, ou seja, Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano, sendo que é nas várzeas de Aljezur e de Odeceixe e na charneca do Rogil que se produz em maior abundância."

     (http://www.lifecooler.com/)

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Ode ao Vento Oeste - um poema de Shelley

Fonte da imagem:www.educadora.am.br 
Ode ao Vento Oeste

  "Ó selvagem vento oeste, tu que que és o alento do Outono,
   Tu que arrastas com a tua invisível presença,
As folhas mortas, como fantasmas a fugir  dum feiticeiro.

Faz de mim a tua lira, mesmo que seja como a floresta,
Que importa, se as minhas folhas caírem como as dela?
       O tumulto das tuas poderosas harmonias
      Receberá de ambos um profundo timbre outonal,
          Embora  doce e triste. Sê, Espírito selvagem,
      A minha Alma! Sê tu eu próprio, ó impetuoso!

Conduz os meus pensamentos mortos pelo universo fora,
Como folhas murchas, para apressar um novo nascimento.
               E pela magia destes versos,
       Espalha, como se fossem as cinzas e as centelhas
Dum fogo inextinguível, as minhas palavras pela humanidade!
    Sê, através dos meus lábios, para a terra adormecida
            A trombeta duma profecia! Ó vento,
      Se  o Inverno chega, pode a Primavera tardar?"

    Shelley - no livro - A Alegria de Viver com a Natureza
                         de Edith Holden

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Vamos Reciclar a Saudade





Alguém me foi embora
                          morreu
                          ou partiu
Agora as lembranças
               não tanto a saudade
respirando as memórias
do bonito que foi

Gozos e delícias dos Consolados tempos
momento eternidade de ponteiros parados
veloz corrida sem metas intermédias
em que a chegada é nunca
e o fim além do Além

Afasto da minha alma sentires vertiginosos
doenças de um viver em molhos lacrimados
passeando o meu olhar por margens transparentes
ilimitando o futuro
das minhas dores que dormem

                   Faço o passado eterno
                                         e tempo de presente
                   em relógio linear estradas do infinito
                   e o desbobinar vindouro
                   num tempo que é sempre

                                            De memórias bebidas
                                            De lembranças bonitas
                                            Dum ido
                                                       nunca ausente

                                            E reciclamos assim a saudade

                                                   Titos

            Sabemos que o Biéu sentiria o mesmo.

Nota:

As palavras acima,  saíram do coração de um pai, que teve com a Rute, sua esposa muito amada,  por gosto, oito filhos (sendo um deles a minha doce nora Joana) e que agora, aqui na terra tem sete, porque o Biéu partiu de uma hora para outra, num acidente, aos 38 anos.

                                                         

domingo, 23 de novembro de 2014

Porque hoje é Domingo (319)


Estas são as coisas que deveis fazer:
Falai a verdade cada um com o seu próximo; executai juízo de verdade e de paz nas vossas portas.
E nenhum de vós pense mal no seu coração contra o seu próximo, nem ameis o juramento falso; porque  todas estas são coisas que eu odeio, diz o Senhor.

 (Livro do Profeta Zacarias 8:16 e 17)

sábado, 22 de novembro de 2014

Uma casa oferecida a Deus




       Se não for o  Senhor o construtor da casa  
              será inútil trabalhar na  construção.
Se não é o Senhor que vigia a cidade,
será inútil a sentinela montar guarda.
Será inútil levantar cedo e dormir tarde,
trabalhando arduamente por alimento.
O Senhor concede o sono àqueles
a quem ele ama”. (Salmos 127:1,2)

Do blogue do meu bom amigo,  o pastor Orlando Arraz Maz - http://arrazmaz.blogspot.pt/  -trouxe  este belo texto,  a fim de partilhá-lo  com os amigos que habitualmente por aqui passam.

Amanhã nosso filho André e Priscila se casam em obediência às leis civis. Será um dia bastante especial que será reservado para dedicá-lo ao Senhor como oferta de gratidão dos nossos corações.

Construímos uma casa, e queremos, primeiramente, oferecê-la a Deus, pois foi Ele o “construtor” por excelência. Dele vieram os recursos suficientes, e, portanto, Deus será o primeiro ocupante desta casa. A Ele nossa gratidão eterna.

Depois, será ocupada por vocês, nossos filhos, certos de que sempre Deus estará presente abençoando suas vidas, e se alegrando de que na mesa Ele ocupe sempre a cabeceira.

Que esta casa seja um refúgio para vocês contra os vendavais da vida, um jardim florido para juntos desfrutarem dias de alegrias, um esconderijo para os amigos que os buscarem para enxugar-lhes suas lágrimas, enfim, um lugar onde reside Deus.

Esta é a oração de seus pais.

A Ele toda a glória

Orlando Arraz Maz

http://arrazmaz.blogspot.pt/

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Pingos de chuva - um poema de Adolfo Casais Monteiro

O escritor português - Adolfo Casais Monteiro
Fonte da imagem: www.raizonline.com
Pingos de Chuva

Caem,
gordas, sonoras,
monótonas pingas de chuva,
          - espaçadas - 
e indolentes
vão marcando uma toada:
ping pang - ping pang,
as pingas
da chuva de Outono pardo.
Espaçada
a terra mole absorve
as vagas da chuva densa
que lenta
vai caindo,
em pingas grossas
sonoras.
E ao cair
a chuva bate o compasso
com o som de um contrabasso
ping...
pang...
ping...
pang...

(Adolfo Casais Monteiro)

    1908 - 1972

Poeta, Ensaísta e Professor

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Voando como águias

Fonte da imagem: solucaoperfeita.com
"Deus criou-nos com  um enorme desejo de voar.
Ele projectou-nos para sermos altamente produtivos e para voar
com asas  como de águias; 
sonhando com o que Ele pode fazer com o nosso potencial".

(Carol Kent)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Os contrastes que ocorrem neste nosso "torrão Natal" - Portugal

O senhor  Artur Alves, o senhor Horácio Costa e o senhor José Pinheiro, que  encontraram e entregaram os 4.407 euros.
Fonte da imagem:(http://www.jn.pt/) 
Enquanto, como povo português, ainda nos sentimos  confusos e perplexos com os últimos acontecimentos  ocorridos estes dias, no que toca à prática da corrupção, por altos Quadros  do Estado, ouvimos pelas notícias que, no mesmo país, três humildes funcionários municipais, que trabalham  com lixo,   ao encontrarem  no meio deste um envelope com  44o7 euros, imediatamente os entregaram à autarquia, que os fez  chegar a quem pertenciam.

Dá que pensar!

Aqui está a notícia:

Funcionários municipais devolveram 4.407 euros encontrados no lixo

Três funcionários da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim foram distinguidos pela autarquia com um voto de louvor por devolverem um envelope com mais de quatro mil euros que encontraram num centro de processamento de lixo.


Fonte autárquica citada pela agência Lusa explicou que o envelope, com o dinheiro e cheques, foi detetado no meio de resíduos, no Ecocentro de Laúndos, por trabalhadores municipais que procediam à separação de papel. Os valores foram devolvidos ao banco a que pertenciam.
O envelope continha um depósito no valor de 4407 euros feito pelo cliente de um banco numa dependência desta instituição e que, por descuido, terá caído num balde do lixo. Seguiu, depois, o trajeto normal dos resíduos até ao ecocentro.
Após os três funcionários terem encontrado o pacote, fizeram-no chegar aos responsáveis da Câmara Municipal que, por sua vez, o entregaram à instituição bancária em causa, identificada no envelope.
O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, considerou que este "tipo de atitude deve merecer a distinção da autarquia, justificando-se a atribuição dos votos de louvor aos funcionários Artur Alves, Horácio Costa e José Pinheiro pela seriedade demonstrada".
Segundo o autarca, esta não foi a primeira vez que funcionários da Câmara Municipal encontraram somas de dinheiro no meio de resíduos e procederam à sua devolução.
"Recentemente, um trabalhador dos serviços de limpeza que estava a recolher resíduos numa casa particular também encontrou uma carteira (com mil euros) que supostamente iria para o lixo e devolveu-a ao proprietário", descreveu o autarca.
(http://www.jn.pt/)

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Pontes de Portugal (8)

Ponte sobre o Rio Alva - em Sandomil - Serra da Estrela - Portugal. Fonte da imagem: http://fotos.sapo.pt/.
O  nosso cantinho - Portugal - tem muitas e belas paisagens! 

Escondida no meio da Serra da Estrela, banhada pelo rio Alva, fica Sandomil, uma  bonita aldeia com uma ponte romana de 3 arcos que se reflecte nas águas serenas.

A aldeia de Sandomil estende-se nas margens do rio Alva e possui locais aprazíveis, destacando-se a praia fluvial, a ponte romana, os moinhos de água, a Corredoura e o lugar da fonte da Moura.
À freguesia de Sandomil pertencem ainda as aldeias do Furtado, Corgas e Cabeça de Eiras.


A ponte, executada em granito, é formada por um tabuleiro assente num arco de volta perfeita, com parapeito de granito. Apresenta 3,35 m de largura e o vão do arco é de 3,50


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Renata recebe prémios por remendar corações partidos

A jovem cientista portuguesa Renata Gomes. Fonte da imagem: http://www.luxwoman.pt/
 Renata recebe prémios por remendar corações partidos

Aos 29 anos, Renata Gomes foi nomeada para um prémio na área da ciência em Inglaterra por ter contribuído para a detecção do risco de AVC ou enfarte. Já recebeu um em 2012, mas desta vez concorreu contra "o Mourinho e o Ronaldo" da área.

Renata Gomes está em Londres para reparar corações partidos.
E até entrou numa campanha com esse nome para angariar fundos para a investigação na área. Desde que se tornou cientista do coração tem somado experiências, reconhecimento, prémios e nomeações como a da semana passada A Women in Science and Engineering (WISE) nomeou-a para a categoria Hero devido à sua contribuição para a ciência, saúde e bem-estar. Não venceu, mas aos 29 anos fica surpreendida por ter o seu nome entre duas cientistas com mais 15 e 20 anos de carreira."É como colocarem o meu nome ao pé do Mourinho ou do Cristiano Ronaldo".A modéstia não esconde os feitos que levaram a ser nomeada para este prémio do organismo  que distingue apenas mulheres na investigação. E para isso contou o seu histórico de investigação em Oxford e no e no King´s College. "Tem sido um trabalho de ano e meio, com a descoberta de um ,marcador que pode ser utilizado para prevenir aneurismas, enfartes e AVC. Penso que foi a descoberta dele e de uma tecnologia para o medir que distinguiu o trabalho", conta ao DN.

Descobertas que ficaram nas mãos da indústria farmacêutica que se espera  poderem beneficiar a população dentro de um a dois anos, ajudando as pessoas a identificar se têm ou não maior risco de ter ou não um destes eventos cardiovasculares, "O marcador aparece modificado nestes casos.Outra aposta da indústria  é o fabrico de medicamentos específicos para o problema. No King´s College,
mais uma instituição com o carimbo da British Heart Foundation, passou  da fase de remendar corações partidos para a  de prevenir que cheguem lá."Estou a coordenat três projectos. Um na prevenção do AVC; outro em novas tecnologias na área; e um terceiro para perceber como se comportam as células na aterosclerose".
Desde 2007 que Renata trabalha em Inglaterra, mas já conhece o país há duas décadas. Foi para lá aos 10 anos com a família que se  mantém quase toda por lá.; as irmãs de 14, 27 e 6 anos( a mãe voltou a casar) que diz  também querer ser cientista.O primeiro curso foi Medicina  Forense, iniciado no norte de Inglaterra e depois terminado em Cambridge, numa altura em que já tinha condições financeiras para suportar as despesas.A partir daí lançou-se naquela que viria a ser a sua especialidade e grande contributo para a saúde e para a ciência; fez mestrado e o doutoramento na área da medicina e biologia cardiovascular.
A nomeação foi um orgulho, mas o Parlamento britânico não se esqueceu dela há dois anos quando a premiou com um galardão de  prata. A British Heart Foundation, para a qual fez a campanha, tem sido uma grande ajuda, já que tem patrocinado a sua formação desde o início.

  (Diana Mendes - Diário de Notícias de 17/11/2014)

Nota:
Como concidadã da Renata, regozijo-me  por os seus feitos a bem da humanidade.
Os meus Parabéns!
Vá em frente! Persiga o seu sonho!
Seja  feliz.
Que Deus a abençoe

Se quer saber mais sobre a Renata, veja esta entrevista aqui.

domingo, 16 de novembro de 2014

Porque hoje é Domingo (318)

Casa de  Oração da Igreja Baptista de Morelena - Pero pinheiro - Sintra.
MAS EU SOU COMO A OLIVEIRA VERDE 
PLANTADA NA CASA DE DEUS:
CONFIO NA MISERICÓRDIA DE DEUS PARA SEMPRE,
ETERNAMENTE.
(Salmo 52:8)

sábado, 15 de novembro de 2014

Sam Simon - Um homem com um coração bom

 O autor norte-americano Sam Simon -  dos Simpsons. Fonte da imagem: www.portalsoma.com.br
O outro pai dos Simpsons doa fortuna de 80 milhões para caridade.

FILANTROPIA - Com cancro terminal, Sam Simon, co-criador da família  amarela, vai ajudar famílias carenciadas, animais e sem abrigo.

A fortuna que Sam Simon conseguiu amealhar no último quarto de século já tem destino: O norte-americano que ajudou  Matt Groening a criar uma das séries animadas de maior sucesso, diagonsticado com um cancro terminal no cólon, vai doar 80 milhões de euros a instituições de caridade que ajudam sem-abrigo, famílias carenciadas e que lutam pelos direitos dos animais.
Aos 59 anos, divorciado e sem filhos, o co-criador de Os Simpsons tem trabalhado de perto com a fundadora da PETA para angariar fundos  no combate à violação dos animais. Além disso, criou a Fundação Sam. Simon, que ajuda animais, famílias carenciadas e sem-abrigo. "Acho que a minha paixão pelos animais e contra o abuso destes é baseada no conhecimento de que estas criaturas sentem e pensam mas não conseguem dizer. Por isso, dependem de nós para se expressarem. Sinto que é minha responsabilidade falar por aqueles  que não podem falar por si", explicou Sam Simon em entrevista à NBC.
O "pai" menos conhecido de Homer, Bart, Maggie, Lisa e Marge sabe que está em fase terminal da doença, tendo, ainda assim, já  excedido as expectativas dos médicos, que em 2012, quando lhe diagnosticaram o cancro, lhe deram  "três meses de vida". "De certa maneira, acabei rodeado de pessoas que me amam e cuidam de mim e que farão tudo por mim. Esta é uma sensação boa. É o que se chama de felicidade", acrescentou o filantropo, dizendo que o cancro acabou por ser "a experiência mais incrível" da sua vida.

Com nove galardões  Emmys no currículo, o norte-americano que também esteve envolvido em êxitos como  Cheers, Aquele Bar, Friends ou, mais recentemente House Of Cards, deixou a equipa  de Os Simpsons em 1993, mas continua a receber do lucro da série grandes percentagens de direitos de autor.
(N.C. - Diário de Notícias de 13/11/2014)

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Ainda sobre a partida do Pastor João Rosa de Oliveira - pelo Pastor Tiago Cavaco

O querido Pastor João Rosa de Oliveira com a esposa -  a querida irmã Dª Lidia -  e o querido Pastor Tiago Cavaco -  com a sua esposa  Rute, e os filhos -  Maria, Marta, Joaquim, e ao colo do Pai o  Caleb

Do Blogue, Voz do Deserto -  http://vozdodeserto.blogspot.pt/ - da responsabilidade do querido Pastor Tiago Cavaco, trouxe este interessante texto, que partilho aqui, com os amigos que habitualmente por aqui passam.

TERÇA-FEIRA, NOVEMBRO 11, 2014


Ainda sobre a partida do Pr. Oliveira

A partida do Pr. Oliveira é extraordinariamente pedagógica. Deixem-me começar pelo nível mais elementar e desinteressante. A partida do Pr. Oliveira é pedagógica a nível pessoal porque nos coloca no nosso devido lugar. Há uma tendência terrível na idade da comunicação massificada de querermos celebrar a vida de alguém não tanto pelo valor da vida que celebramos mas mais por aquilo que vamos dizer publicamente acerca dessa vida. Como se houvesse um desafio para o melhor texto partilhado na net sobre a morte de alguém. Mas um homem como o Pr. Oliveira deixou tantas histórias que a sua vida se democratiza de um modo que ninguém se arma em imperador. O Pr. Oliveira foi o meu líder espiritual dos meus 8 aos meus 22 anos. Baptizou-me. Ofereceu-me a Bíblia branca no meu casamento. Tenho tantas histórias com ele. Mas rapidamente nos apercebemos, no seu funeral apenas, que a fonte de experiências com ele é inesgotável. O Pr. Oliveira, imitando Cristo, deu a sua vida aos outros. E por isso os outros estão cheios de histórias dele. Ninguém tentará a melhor história porque ninguém cairá na asneira de sequer tentar insinuar que teve mais do Pr. Oliveira que todos os outros. O Pr. Oliveira teve uma vida tão rara de dedicação às pessoas que não ousaremos dar a entender que o Pr. Oliveira se dedicou mais a nós que aos outros.
Mesmo nestas últimas semanas de grande sofrimento físico as histórias multiplicam-se. Conto duas apenas entre várias que me impressionaram. A primeira, contada pela sua própria esposa, Irmã D. Lídia. Nos últimos dois dias o Pr. Oliveira já não conseguia falar. O seu mal-estar era evidente e só conseguia obter um pouco de alívio ouvindo aquilo pelo que os seus ouvidos sempre se deliciaram: a Palavra de Deus. Isto significou que a D. Lídia passava o tempo a ler textos da Bíblia e a cantar hinos. Sem interrupções. Claro que volta e meia tinha de parar porque estava exausta (até pelas noites seguidas que não dormia). O Pr. Oliveira não se ficava: imediatamente a cutucava para ela continuar. O Pr. Oliveira não pregava do púlpito. Pregava do peito. A Palavra foi o seu remédio a vida inteira. Quando estava são e quando estava doente.
A segunda história é daquelas raras no imaginário evangélico. Como os evangélicos são pessoas da sola scriptura, incutem uma reserva prudente a relatos demasiado epifânicos. Mas esta história é uma história do momento anterior à sua morte. Nos últimos dois, três dias, o Pr. Oliveira perdeu as forças de um modo que já nem conseguia puxar o lençol da sua cama para cima. Não conseguia beber. Não conseguia ir à casa de banho. Pouco antes do último suspiro abriu um sorriso rasgado (o Pr. Jónatas Figueiredo disse com razão que o Pr. Oliveira foi o homem mais fotogénico que conheceu porque nenhum retrato o registava sem o seu sorriso omnipresente). Abriu um sorriso rasgado e aplaudiu. Bateu palmas com as mesmas mãos que já não conseguia levantar. O Pr. Rui Sabino sugeriu no sermão que provavelmente viu o que Estêvão viu na hora do seu martírio: o seu Senhor Jesus na glória. E partiu em paz.
Esta é uma história que nos arrepia. E com toda a justiça. Perdoem-me a comparação desajeitada mas se os baptistas portugueses fossem o Vaticano o Pr. João Rosa de Oliveira rapidamente seria canonizado.
É fácil para pastores jovens na idade da internet irem buscar os modelos ao estrangeiro. No meu caso a influência recente do Pr. John Piper é fundamental. Mas a verdade é que é compreensível eu querer apanhar a onda do desejo de Deus deste pregador americano porque tive um pregador português que a surfou até ao fim. O hedonismo cristão (termo cunhado pelo Pr. Piper para resumir que Deus é mais glorificado quanto maior prazer temos nele) foi a vida do Pr. João Rosa de Oliveira. O Pr. Beto Marques resumiu na perfeição o Pr. Oliveira dizendo acerca dele ter sido o homem mais feliz que conheceu. Esta é a mais pura das verdades. A herança que nenhum dinheiro consegue comprar e que o Pr. Oliveira deixou a todos os que o conheceram foi uma alegria insuperável em Cristo. Até ao último fôlego o Pr. Oliveira não só falou de Cristo como quis mais dele. Foi um insatisfeito até ao fim porque sabia que o seu apetite só estaria saciado na presença do próprio Cristo. Por isso fez uma coisa que nunca tinha visto num funeral: escreveu uma carta às pessoas presentes na cerimónia fúnebre. Qual o resumo dessa carta? Que agora estava feliz, muito feliz, infinitamente feliz
 Nota:
 O texto continua...poderá ler mais

Pastor Tiago Cavaco

No blogue: Voz do Deserto 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Partilhando algumas coisas bonitas

Hoje, apetece-me partilhar com os amigos que habitualmente por aqui passam, algumas coisas bonitas:

Uma flor de aboboreira "Gila" - junto  à Ribeira de Colares, - em Galamares, pertinho da minha horta.

Uma flor, já transformada numa aboborinha.

E aqui, um abóbora  já grande.
As minhas batatas doces na terra.
Aqui, já arrancadas
Uma bela pêra Rocha no pomar do meu compadre António - Rio Maior.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

O querido Pastor João Rosa de Oliveira já não mora em Queluz - mora agora no Céu



O Pastor João Rosa de Oliveira com a sua expressão de sempre.
Conheci-o jovem, quando eu era uma adolescente, e ele foi estudar Teologia no Seminário Teológico Baptista de Leiria, onde eu morava.

Alguns anos mais tarde, eu vim para Lisboa estudar Enfermagem e vim encontrá-lo  a pastorear a Igreja Evangélica Baptista de Queluz. Igreja esta que, com uma enorme visão missionária, foi responsável pela abertura de várias Igrejas  Baptistas na linha de Sintra, entre elas a Igreja Baptista da Amadora, onde, o meu marido Pastor Jorge Leal, findo os estudos no Seminário Teológico Baptista de Queluz, recebeu o pastorado das mãos do amado e querido Pastor João Rosa de Oliveira. A partir daí, aumentou a nossa relação de proximidade, Depois, o meu marido, Pastor Jorge Leal, colaborou activamente com o Pastor João Rosa de Oliveira, na abertura de trabalhos missionários em Rio- de - Mouro e Mem-Martins, que vieram a organizar-se nas dinâmicas igrejas que ainda hoje são. Ainda juntos, estes dois pastores, iniciaram  um novo local de Testemunho Cristão na Serra das Minas.

Uma das doces e belas recordações que tenho deste querido Pastor, teve  lugar no ano de 1973, quando ele procedeu à "Apresentação ao Senhor", do meu terceiro filho, o João.  Tomando o bébé nos seus braços, estando em pé, junto ao púlpito e, elevando o menino ao nível do seu rosto, dirigiu  ao Senhor uma bela, sentida  e fervorosa oração, invocando a benção do Pai de Amor, para com a vida preciosa de bébé João. Nem sequer "sonhava" na altura, que este menino, hoje com com 41 anos, viria a chamar--lhe "tio Oliveira", por ter casado com a Joana Machado, uma sua, muito, muito querida sobrinha. Quanto carinho e admiração tem o João,  por  ele!

A expressão que vemos no seu rosto, na foto acima, já bastante doente, é a mesma que expressou a vida inteira. De uma alegria e uma vivacidade contagiantes! Sempre, sempre sorridente e afável!
Trabalhou tanto, tanto, como Pastor! Quanto apoio e atenção, dava aos seus irmãos na fé, membros da sua Igreja! Andava sempre a visitar os doentes, os necessitados, e a levar-lhes a alegria e o entusiasmo que tantas vezes o sofrimento e a doença "roubavam"!
Foi casado mais de cinquenta anos - celebrou as bodas de ouro há algum tempo atrás - com a querida irmã Lídia Machado, filha mais velha dos queridos e exemplares irmãos - Pastor Joaquim Eduardo Machado e da prestimosa e extraordinária mulher, que foi  a querida irmã Isménia Machado; ambos fundadores do Lar Evangélico Português, no Porto.

Nunca tiveram filhos, por motivos que só Deus - o Pai conhece....mas tiveram tantos, mas tantos sobrinhos, para os quais foram verdadeiros pais. inclusivé,  para as minhas netas mais novas, a Clara e a Luz. Tanto! que a Clara, que tem quatro anos, gosta do tio Oliveira e da tia Lídia. Estão sempre a oferecer-lhes brinquedos. Tantas vezes que  a Clara, que gosta muito de vir passar um dia por semana a casa da avó Viviana, aparece com um novo brinquedo e eu pergunto: Ah! mas tu tens um brinquedo, (ou uma mochila ou um cestinho) muito bonito! Quem foi que te deu? E ela resoponde : "foi o tio Oliveira e a tia Lídia!"

Uma doença grave, surgiu há cerca de seis/sete anos, tendo sido tratado com todo o carinho e saber - que conhecemos no Instituto Português de Oncologia. I.P.O.  onde, eu sei...que deu um extraordinário testemunho  da sua fé em Cristo, perante os médicos, os enfermeiros, os voluntários, e restantes técnicos e pessoal. Ficou conhecido como "O resistente"(á doença). Tanto quanto sei, viveu todo o tempo de doença com "qualidade de vida"; inclusivé, o I.P.O.  cuidou dele de tal modo, sábio e amoroso, que o querido Pastor João Rosa de Oliveira pôde partir para o céu, deitadinho no conforto da sua cama, no seu doce lar, junto da sua inexcedível esposa - a querida irmã Lídia.

Vou ter muitas saudades do Pastor João Rosa de Oliveira. Sei que vou. Já tenho. Mas sei que ele está agora bem melhor, junto do Pai a quem amou tanto e serviu com uma entrega total de vida!

"Bem aventurados os mortos que morrem no Senhor, para que descansem dos seus trabalhos e as suas obras o sigam. (Livro do Apocalipse 14:13)

Não me canso, nem me cansarei, de agradecer ao Senhor, por a vida preciosa e exemplar, do amado Pastor João Rosa de Oliveira. Lembrá-lo-ei sempre com uma  doce e  suave recordação.
Ele deixou entre nós, neste mundo, um rasto de luz! Um suave perfume.
Oro, e orarei, fervorosamente, para que o Senhor - Deus - Pai de toda a misericórdia e amor, cuide, console, e proteja, a querida irmã Lídia, bem assim como todos  os seus familiares.

 SOLI DEO GLORI

Nota informativa:

O corpo do Pastor João Rosa de Oliveira, encontra-se  na Igreja Baptista de Queluz, na Rua Nove de Abril, número  19 - Queluz

Ás 14 horas terá lugar o Culto Fúnebre.
O funeral  sairá  para o Cemitério de Queluz ás 15,30 horas

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Vem, Jesus Salvador! - Um poema de Gióia Júnior


Vem, Jesus Salvador!

Vem, Jesus , Salvador, Filho de Deus, Cordeiro
que banhaste de sangue o pesado madeiro;
derrama sobre mim, nesta hora que passa,
o bálsamo eficaz da Tua  excelsa graça;
abençoa, Jesus, com Tuas mãos feridas,
os nossos corações e as nossas pobres vidas;
torna plena de luz esta hora vazia,
esta noite pesada, atribulada e fria.

Vem, Jesus, Salvador, pois só de Ti dimana
o poder que consola  a triste vida humana.
Fala de novo, ó Pai, com palavras suaves,
dos peixes e dos pães, das flores e das aves.
Que doce e puro mel, que bendita colmeia;
o Sermão da Montanha e o céu da Galileia!
Senhor, o mundo jaz à beira de um abismo
de guerras e de horror e de materialismo;
precisamos de um guia, estamos sem pastor.
Vem, Jesus Salvador!
                                     Vem, Jesus Salvador!

  (Gióia Júnior . no livro - Orações do Cotidiano)

domingo, 9 de novembro de 2014

Porque hoje é Domingo (317)


TU,  POIS, CONVERTE-TE A TEU DEUS; 
GUARDA A BENEFICÊNCIA E O JUÌZO,
E EM TEU DEUS ESPERA SEMPRE.

   (Livro do profeta Oseias, !2:&)

sábado, 8 de novembro de 2014

Os nossos líderes mundiais "ofertaram-nos" esta civilização

É chocante, mas é esta a "civilização moderna"  a que os líderes mundiais nos trouxeram.
Este vídeo, mostra o horror a que se chegou.
É na Dinamarca, considerado o país onde o povo é o mais feliz da Europa, que isto acontece.

Há seis anos, publiquei neste espaço o que pode ler no link abaixo

Pode ver aqui.


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Salvação pelas flores - Um texto de Joel Neto

O Jornalista Joel Neto. Fonte da imagem:http://visao.sapo.pt/ .

Do  Diário de notícias de hoje, retirei este belíssimo texto da autoria do jornalista Joel Neto, a fim de o partilhar  com os amigos que habitualmente por aqui passam.

SALVAÇÃO PELAS FLORES

   Têm-nos visitado amigos. Instalam-se cá em casa, espalham-se  por residenciais, partem e voltam das outras ilhas com a Terceira como base.A certa altura já nem sei o que mostrei a cada um deles:acontece repetir-me Assinalam-mo, divertidos. Mas nunca quando lhes mostro as flores. Gostam sempre que os leve a ver as flores..
   Na Primavera abrem gladíolos e begónias, petúnias, crisântemos e glicínias. Pelos Santos desabrocham as hortênsias, cada uma da sua cor, consoante a acidez da terra que lhe tenha cabido. A seguir  florescem as buganvílias, anunciando o fim  do Estio - todos os tipos delas em cacho ou caule fora. No Outono  chegam primeiro as beladonas e depois as camélias: vermelhas, brancas, riscadas, segundo todos os tipos de padrão.. O Inverno começa pelas magnólias e extingue-se , enfim, nas azáleas - e de cada vez que um temporal, ou uma seca, ou outro sobressalto metereológico abrevia o ciclo de uma delas, logo a terra se esforça por socorrer a poesia, fazendo  acudir os hibiscos, o jasmim ou apenas os mantos infinitos de erva azeda, progredindo por quintais e cerrados como sangue exultante de desejo.
   Temos sorte: Angra foi durante séculos porto de escala para os navios vindos da Índia,  e da América, do Brasil e de África. Inflectiram-se os costumes, democratizou-se a terra e diversificou-se a botânica. Charles C. Mann explica muito bem em 1493.
   Se um dia voltar a partir, nada me fará tanta falta  como as flores. No fim, só a terra pode redimir-nos. As flores são a sua cruz, o seu escapulário e a sua guilhotina.

(Joel Neto  DN. de 07/11/2014)

Nota:
Obrigada, Joel!
O seu texto vale ouro!

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Mira - Sintra - Azul


Haverá céu mais azul que o de Mira - Sintra?
Mesmo em dia de nevoeiro, ainda se pode haver azul

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Relatório revela uma diminuição preocupante destas três belas aves, em Portugal


Picanço Real - Fonte da imagem: http://imagem.casadasciencias.org/ 
Picanço Barreteiro. Fonte da imagem:  cesar-oliveira.blogspot.com - 
Rola Brava. Fonte da imagem:apgvn.blogspot.com 
 Quando,  de manhã, o Jorge chegou com o Diário de Notícias, sabendo bem do "meu amor pelas aves",  apressou -se  a falar-me de um relatório  que indica que estas três belas espécies de aves portuguesas estão preocupantemente, a diminur de número em Portugal, "o coração caiu-me aos pés", no bom dizer do nosso povo.
São tudo aves da minha vivência infanto - juvenil. Criança pequena, bem sabia o nome, e conhecia cada uma, mercê  das minhas andanças com o meu irmão Serafim pelos campos  e olivais  da estação de Leiria. Nessa altura aprendi a "amar" as aves e, pela vida fora até hoje (aos73 anos)cada vez mais gosto delas e interesso-me por elas. O curioso, é que quando saio por aí, os meus ouvidos e os meus olhos, estão cem por cento atentos,  na esperança de visualizar ou ouvir,  algum deles. E, na verdade, em relação à Rola Brava, ainda há dias estava a pensar porque motivo eu deixei de as ver há muito tempo. Sem saber deste relatório, o certo é que eu estava preocupada e á espera de uma "má notícia".

Vamos aos números do Relatório:

O Picanço Real, cuja estimativa de efectivos, segundo o relatório, é,  entre dez mil e cinquenta mil casais, sofreu um decréscimo de vinte e seis por cento, entre os anos de 2004 e 2011
O Picanço Barreteiro do qual se estima existirem os mesmos números que o Picanço Real, sofreu um decréscimo de trinta e oito por cento.
A Rola Brava,  cujo número de  aves é semelhante aos dos dos tipos de Picanços, sofreu um decréscimo de cerca de quarenta e nove por cento, no mesmo período de tempo.

  (informações recolhidas do Diário de Notícias de  03/11/2014

Eis o título do artigo no Diàrio de Notícias

Europa perdeu 421 milhões de aves em três décadas

Biodiversidade.  Estudo alerta para as mudanças agrícolas que estão a afectar os pássaros.

«As populações de aves estão a diminuir  por toda a Europa, incluindo algumas bem comuns, como os pardais, os estorninhos ou as perdizes cinzentas. Estimativas de um estudo publicado hoje na revista Ecology Letters apontam que nos últimos trinta anos o continente europeu perdeu 421 milhões de aves e pássaros. Em Portugal, onde os censos anuais só têm uma década, essa tendência não é clara, a não ser para três espécies bem identificadas. A rola brava e dois picanços, o real e o barreteiro. A perda de habitat, devido a mudanças profundas nas práticas agrícolas e na paisagem florestal, é a principal causa do problema.
O Estudo que  foi realizado por investigadores da Universidade de Exeter, no Reino Unido, do Pan- European Common Bird Monitoring Scheme (PECBMS) e da organização de conservação  da natureza RSPB, também britânica, mostra que 90% destas perdas  populacionais de aves afectam  sobretudo três dezenas  de espécies que são as mais comuns, entre as quais se destacam o pardal-comum, as lavercas, as perdizes- cinzentas,  ou os estorninhos.»

 (Excerto do artigo publicado no Diário de Notícias em 03/11/2014

Sugerimos, que,  se possível , seja lido o artigo na íntegra,
pois por uma questão de espaço, limitámo-nos a publicar uma parte.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

E, Novembro chegou

Castanheiros - Fonte da imagem: http://www.filipe.com/blog.php.
 NOVEMBRO

Este era o nono mês do ano romano, que começava em Março.
Naquela época dizia-se que o Inverno começava  no dia onze de Novembro.
O nome que os anglo-saxões davam a este mês era o  de "Blot - monath" ( mês  sangrento).
O qualificativo deve-se  certamente ao facto de se destinar o dia de S. Martinho à matança do gado que depois  se consumia ao longo do inverno.

 Adágio

  "De todos-os-Santos ao Advento
    nem muita chuva nem muito vento".

 Poema

   "Estas primeiras horas de Novembro
que tingem de vermelho as folhas das trepadeiras,
   como uma mancha de sangue, intensa, abrupta,
sobre um escudo. O resto é ouro, duma ponta à outra,
   e podeis expô-lo, no tapete de musgo
tecido pelos duendes e enfeitado pelas fadas."
   (R. Browning)

No livro- A ALEGRIA DE VIVER COM A NATUREZA - Diário de Edith Holden

Para todos os queridos amigos que por aqui passarem, desejo um abençoado e próspero mês de Novembro.

domingo, 2 de novembro de 2014

Porque hoje é Domingo (316)

Casa de Oração da Igreja Baptista de Morelena - Pero Pinheiro - Sintra
A ORAÇÃO DO SENHOR

E aconteceu que, estando ele (Jesus) a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos.
E ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.
Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano;
E perdoa-nos  os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve, e não nos conduzas em tentação, mas livra-nos do mal.

  (Ev. de S. Lucas 11:1 a 4)

sábado, 1 de novembro de 2014

Oitavo Aniversário do blogue - Ao Toque do Amor


O Blogue - Ao Toque do Amor - http://aotoquedoamor.blogspot.pt/ -  da responsabilidade da  minha querida e doce amiga Sandrinha, completou no passado dia 29 de Outubro, o seu oitavo aniversário.  É um blogue lindo! Terno, suave, e enriquecedor.
UMA BENÇÃO!

Apresento á Sandrinha, com imensa alegria e gratidão, os meus sinceros PARABÉNS!

É meu desejo, que o Deus  Eterno, a quem ambas muito amamos e procuramos servir, abençoe e dirija a Sandrinha e o seu blogue.

O meu grande e carinhoso abraço