terça-feira, 31 de março de 2015

Educar o Coração

Plantei o arbusto pequenino. Cresceu, e já ultrapassou o telhado da casa da aldeia. 
 Educar o Coração

 "Com o coração do século XX,  coração hipersensível, o sentimento é de uma delicadeza imponderável. Qualquer filigrana de dor, qualquer alfinete de  desgosto é o suficiente para ferir, vibrar, exaltar. Hoje  o coração é muito mais coração do que o coração  dos séculos passados. Há por isso mesmo o perigo  de essa hipersensibilidade mascarar e perturbar o raciocínio...

...Um coração bem educado é como uma imaginação bem educada - dá fulgor à personalidade. Num coração educado, o sofrimento cai e não encontra revolta, nem imcompreensão,  nem balbúrdia, nem desconcerto; aí o sofrimento chega fertilizando o terreno, vitalizando-o, amadurecendo-o, semeando sementes novas, fazendo germinar sementes ocultas.
Na educação do coração há um elemento que dirige o programa. Esse elemento é a consciência.
O coração educa- se à custa da consciência. Uma  consciência educada  dá de presente ao homem um coração bem educado. E faz maravilhas, realiza actos que parecem impossíveis, com a máxima  naturalidade.Por exemplo, uma mãe que passa a noite inteira embalando o filho. É um milagre vivo de consciência e coração. Dizemos-lhe:
 - Mas, minha senhora, vá dormir, está cansada.
Ela responde-nos:
 - Não, não há necessidade; não estou.
Essa mãe não tem apenas coração. Não tem apenas consciência. Tem ambas as coisas. E ambas harmoniosamente sintonizadas".

  ( João  Mohana  - no livro - Sofrer e Amar)

segunda-feira, 30 de março de 2015

Desde ontem, a "Cristininha de Morelena" mora no Céu.


Hoje, o que domina o meu dia, o que prevalece,
é a chamada, do Deus-Eterno, á Glória...
da "Cristininha de Morelena".

       
​       Podemos chamar-lhe - Rosa Cristininha.
​     
A "Cristininha de Morelena", desde ontem de manhã mora no Céu.
Estava doente, muito doente,  hospitalizada ...
Com cerca de 90 anos, a Cristininha,  foi uma das pessoas mais lindas que conheci.
Conheceu Deus, e a seu filho o Senhor Jesus Cristo, há muitos, muitos anos atrás.
A felicidade do encontro, tornou-a, sem sombra de dúvida, a pessoa mais feliz da terra.
Aquele olhar cheio de luz, aquele sorriso tranquilo e belo, aquela voz doce e terna, quando falava com o Pai em oração, transmitiam e contagiavam de tal modo que mos emocionva e comovia.
No último dia que connosco cultuou o Senhor,  na Casa de Oração das Boas Novas, na Amadora,   fui inspirada a fotografá-la, á  saida.
Ficou contente, muito contente...aí, eu quase que pressenti  que seria a última vez que cultuou connosco.
Ficou muito doente...e não pode ir mais ao culto.
Ontem de manhã, o Pai chamou-a...e ela foi. Foi ao seu encontro, aquele encontro que durante uma vida inteirinha...ela tantas vezes imaginou.
Deixou um rasto de luz, um exemplo  a seguir.
Ah! quanto agradeço ao Pai por a vida da "Cristininha de Morelena"!...
Sempre, sempre a lembrarei com muito carinho e muito amor.
Mais, logo, irei dizer-lhe "até logo, a gente encontra-se um dia destes".
Oro para que o seu, e meu Deus, console e conforte a filha Vitória, o genro Jorge, e os netos Paulo e Isabel.
Eu sei que vai consolar...eu sei.

sábado, 28 de março de 2015

Frases registadas hoje na minha mente e no meu coração

Florinhas do meu jardim. 
Frases  registadas hoje na minha mente e no meu coração:

Como  procuro fazer todos os dias de manhã cedo, no meu encontro com Deus, supliquei-lhe que  limpasse a minha mente e o meu coração, de toda "a tralha" inutil que a pouco e pouco por ali se vai juntando, para criar espaço para receber e guardar as coisas importantes que o dia me iria  trazer, e trás sempre.

O dia, encaminha-se para o fim, pois o sol está já baixo  aproximando-se do seu poente, ali para os lados do mar, na Praia das Maçãs.

Há momentos, enquanto procurava  através da aplicação de gelo, aliviar as minhas dores, recostada no sofá, dei por mim a avaliar mentalmente, e espiritualmente, os presentes bonitos que o Pai me trouxe hoje.

Partilho, aqui e agora, com os amigos, alguns deles:

Ao  fazer a leitura diária da Bíblia, no capítulo 6 da Epístola de S. Paulo aoa Gálatas, registei alguns versículos que me tocaram profundamente:

"Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo". (Vers. 2)
"Porque cada um levará a sua própria carga".( Ver.5)
"E não vos canseis de fazer o bem porque a seu tempo ceifaremos se não houvermos desfalecido".(Ver.9)

"Então, enquanto temos tempo façamos bem a todos". (Ver.10)

E ainda, estas palavras sentidas, do grande Apóstolo:

"Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus".(ver.17)

 Ao ler, meditar e interiorizar estas palavras, as lágrimas rolaram pelos meu rosto...

Mais tarde um pouco, numa reportagem na SIC, - 60 minutos - ouvi um Cristão de Moussul - Síria -  em lágrimas, dar a sequinte resposta a uma jornalista americana que o entrevistava:

 "Espero o pior".
Podem fazer-me  tudo,  mas não podem tirar Deus do  meu coração.
Não podem".

Passado algum tempo, no noticiário televisivo, transmitiam uma reportagem de um acontecimento que teve lugar hoje, na zona de Viseu, em que foi proporcionado a um grupo de crianças pequenas - por volta dos 6/8 anos, visitar umas vinhas, onde um trabalhador e o proprietário lhes explicavam o que estavam a  fazer e porque o faziam; então,  uma menina trazia num pequeno papel as perguntas que desejava fazer, assim como também outros desejos, tais como:

"Filmar os passarinhos".

E disse-o com uma candura e uma voz tão doce, que eu e o Jorge, não conseguimos conter as lágrimas.

Assim, ao fim do dia, concluo, que no lugar da "tralha " inutil, estão agora palavras e sentimentos valiosos que  vieram enriquecer a minha vida.
Que bom!
Obrigada Pai.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Sobre o livro "A Glória do Evangelho", do Pastor Manuel Alexandre Júnior

segunda-feira, março 23, 2015

Sobre o livro "A Glória do Evangelho", do Pastor Manuel Alexandre Júnior

[Este pequeno texto serviu de base para a apresentação que fiz no Sábado passado, no lançamento do livro.]

«É um privilégio nesta tarde participar do lançamento do livro do Pastor Alexandre. Para quem cresce numa igreja baptista em Portugal é impossível não ter gratidão pelo serviço que o Pr. Alexandre tem prestado à nossa denominação. Conheci esse serviço de mais perto quando entre 1997 e 1999 trabalhei no Departamento da Juventude da Convençã Baptista Portuguesa, numa altura em que o Pr Alexandre era o Presidente da Convenção, e durante 1998 e 2001, ao estudar no Seminário Teológico de Baptista, quando o Pastor Alexandre era o seu director e lá me deu aulas de Introdução ao Novo Testamento e Hermenêutica (foi um erro grave não ter feito o grego com ele na altura!). Desde 2012 que somos colegas no ministério pastoral e tenho apreciado o seu companheirismo, sobretudo tendo em conta que o meu percurso exige um esforço fraterno por parte dos pastores mais antigos.
Escolhi três aspectos acerca de "A Glória do Evangelho - Pétalas de uma Rosa em Flor". Poderia escolher muitos mais. Mas creio que estes podem ser a abertura do nosso apetite para lermos o volume que hoje é lançado.
Em primeiro lugar, senti-me atraído pelas histórias pessoais do Pastor Alexandre. E elas aparecem nestas páginas aqui e ali. Existem notas breves acerca da sua infância, acerca do seu surpreendente percurso académico, acerca das suas frustrações pastorais. Em todas elas senti-me com vontade de ler mais. Seria ridículo sugerir ao Pastor Alexandre que considerasse escrever uma auto-biografia? Creio sinceramente que não.
Encontro aqui uma das grandes carências das nossas igrejas - os nossos mais experientes e sábios partem deixando-nos escassos registos escritos de como viveram a fé. E os poucos que o fazem geralmente têm a sua memória pouco valorizada pelas comunidades que serviram ou, muitas vezes, pelas suas próprias famílias (recordo uma implacável limpeza que uma igreja baptista onde estive fez aos apontamentos escritos de um dos seus velhos pastores - foi tudo parar ao caixote do lixo sem qualquer calafrio). Precisamos de mais palavras escritas pelos nossos pastores para vivermos melhor a Palavra. Precisamos de mais histórias dos nossos pastores para vivermos melhores histórias. "A Glória do Evangelho" dá-nos devoção ao mesmo tempo que pontualmente nos oferece biografia.
Um segundo aspecto que quero destacar em "A Glória do Evangelho" tem a ver com a vocação pastoral do seu autor mas não só. Tem a ver com a vocação pastoral que o nosso país precisa. A determinada altura o Pr. Alexandre escreve: "Dou graças a Deus porque, a par de haver sido professor de universidades e escolas de teologia, de haver dirigido por décadas o nosso seminário e outras instituições, eu sou acima de tudo Pastor e ministro do Evangelho (página 39)." O nosso país precisa desesperadamente de novos pastores que valorizem o ministério pastoral e, como o Pr. Alexandre, possam dizer o mesmo. Mas, se olharmos à nossa volta, como é que este panorama pode ser concretizável? As nossas comunidades procuram realmente valorizar a vocação pastoral como a Bíblia a valoriza, chamando-a de "excelente obra"? E como é que pode ser concretizável com características semelhantes às do Pr. Alexandre? Onde estão as nossas comunidades preocupadas com um compromisso com a pregação da Palavra que a honre simultaneamente nas instituições evangélicas de ensino ao mesmo tempo que nas instituições de ensino da nossa cultura portuguesa mais abrangente? Basta colocar uma questão bem prática: quantas igrejas têm como objectivo promover a publicação (ou o apoio à publicação) de livros escritos por cristãos e que possam ser lidos por muitos mais?
Como terceiro e último aspecto, gostava de sublinhar em "A Glória do Evangelho" o seu amor pela igreja. Pela igreja universal vista nas suas manifestações locais. É impossível estimar a palavra escrita e é impossível estimar a vocação pastoral sem estimar também as igrejas locais. Esse amor pela igreja brilha ao longo de todas as páginas deste livro, mostrando que não dá para querermos ser cristãos por conta própria, longe de uma comunidade à qual pertencemos. Quando lia estas páginas pensei sobre o risco de amar a igreja quando a igreja nos dá o que queremos, ao invés de amarmos a igreja também pelo que lhe podemos dar e pelo que ela quer de nós.
Estas são apenas três razões para começarmos a ler "A Glória do Evangelho". Nestas meditações que o Pastor Alexandre generosamente nos oferece haverá muitas, muitas mais. Leiamo-las.»

  ( http://vozdodeserto.blogspot.pt/)

Nota:
Encontrei este texto  no blogue  -http://vozdodeserto.blogspot.pt/ - da responsabilidade do meu querido amigo, Pastor Tiago Cavaco.
Gostei muito de ler e trouxe comigo para repartir aqui, com os amigos.
OBRIGADA, Pastor Tiago Cavaco.
Qu Deus o abençoe.

quinta-feira, 26 de março de 2015

COISAS - Um poema de Cremilda Simões














Tantas coisas ficam para trás!...
É preciso que fique para trás...
É preciso prossseguir
Para as que estão diante de nós.
"Deixando as coisas que atrás ficam..."
  - Só as más?...
As boas também.
Estas para não nos reterem.
Aquelas...
...para não ter-mos que lamentar
E não magoar ninguém.
" Todas as coisas contribuem para o bem
Para o bem dos que amam a Deus".

Há um caminho em frente
Importa caminhar nele...sempre.
Importa caminhar esse caminho novo.
"As coisas velhas já passaram"
Não voltes a buscá-las.
É por isso que escrevo estas coisas.
Elas agora são minhas...
E sem elas nenhuma  coisa faço,
Nem sou coisa nenhuma.

Sem julgar coisa alguma,
Sei que podemos dar e fazer boas coisas
As coisas necessárias
Mesmo a maior...que por maior parece.
Porque, tal como nos diz Paulo:
"Posso todas as coisas  n´Aquele que me fortalece .

Coisas!...
São um mundo e uma eternidade
Aquilo que existe ou pode existir.
Causa, mistério, acto que ficou...
Objecto, espécie, realidade e facto.
 - Tudo o que Deus criou.

( Cremilda Simões - no livro - Poemas Repartidos

quarta-feira, 25 de março de 2015

ORFANDADE DE AMOR



«...agora reparava que os pais nos dão algo mais do que coisas úteis e que, quando se vão, nos deixam órfãos, tenhamos nove ou noventa anos.»

Juan José Millás, in A Ordem Alfabética
Ilustração de Berk Özturk

http://abrigodossabios-paulo.blogspot.pt/ 

Nota:

Encontrei estas palavras e esta imagem no blogue do meu bom amigo Paulo Costa.
Creio-as, cem por cento verdadeiras...eu que o dia...não há dia nenhum que não me sinta "orfã do pai  e da mãe" e tenho 74.
Trouxe-as para partilhar aqui com os amigos.

Obrigada Paulo.

terça-feira, 24 de março de 2015

Árvores do Templo TA PROHM


  Árvores do TEMPLO  TA PROHM
 Fonte da imagem:pt.depositphotos.com
«Em 1860, o explorador francês Henri Mouhot descobriu na floresta cambojana em redor de Angkor as ruínas do templo da antiga civilizaçáo  Kmer. Não foi o primeiro europeu a visitá-las mas foi através das suas narrativas e desenhos evocativos que foi  revelado ao mundo exterior  o esplendor quer da magnífica arquitectura, quer das esculturas de pedra. Na época do francês Mouhot. Angkor fazia parte da floresta. Escreveu "uma exuberante vegetação cresceu e tapou tudo, desde galerias a torres, o que  torna bastante difícil a abertura de uma passagem." Mais tarde, outro visitante Elie Lare, acrescentou que " com os milhares de ramos de árvores entrelaçados, a floresta envolve as ruínas de um amor violento." Desde então muitos  outros  descreveram  o modo  como as árvores gigantescas com as fortes raízes retorcidas cobrem as paredes e as estátuas, afastando assim lentamente as pedras maciças e numa luta colossal, que dura há séculos, partem as paredes. O processo de restaurar  e proteger as maravilhas culturais de Angkor tem como objectivo a libertação da floresta, ainda assim a maioria dos templos continuam rodeados pelas árvores, mas não dominados».

  (No livro - 1001 Maravilhas  Naturais
  Que deveria ver antes de morrer - de Michael Bright)
    Uma oferta preciosa  do meu filho João

segunda-feira, 23 de março de 2015

É Primavera - Os tordos estão a construir os seus ninhos








"Como é bela a sebe que acolhe
  um ninho engenhoso
e que esconde o paciente tordo
  de olhos bem vivos,
com cinco pequenos mundos
sob o peito pintalgado da mãe!

Embora a vida se aproxime,
  dia após dia,
cada globo que ela protege,
mudo e quieto por enquanto,
 lentamente desgasta
 a beleza do seu peito.

Finalmente, os frágeis véu azuis
   rompem-se
   a existência desperta.
   E faz-se canto de ave.
     A música nascente
     irrompe no mundo.

E agora a mãe-tordo
  está orgulhosa e contente.
     tem a sua casa
     e as suas crias
   para alimentar e embalar,
quando o sol poente desaparecer".

   (Norman Gale)

No livro - A Alegria de Viver com a Natureza - de Edith Holden)
  


domingo, 22 de março de 2015

Porque hoje é Domingo (333)


Senhor, tu me sondaste, e me conheces. Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
...Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, entretecido nas profundezas da terra.
Os teu olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais  em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes  são a soma deles!
Se as contasse, seriam  em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.
...Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração: prova-me, e conhece os meus pensamentos.
E vê se há em mim  algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.

   (Livro dos Salmos cap. 139: 1 a 3; 14 a 17; 23 e 24)

sábado, 21 de março de 2015

Parabéns minha linda neta Sara!


E assim, quase sem dar-mos por isso, passaram-se 16 anos!
Quase não acredito...
Mas é mesmo verdade!
A minha primeira neta, a Sara,  por quem esperei  13 horas...na sala de espera da Maternidade do Hospital da  Amadora-Sintra, completou ontem ás 21, 13 horas, 16 anos!
Como ela está linda!
"Uma mulherzinha"!
Amanhã, em família, celebraremos juntos a dádiva desta vida tão preciosa!
Que Deus te abençoe, minha menina linda da avò

Um beijo da avó  Viviana

quinta-feira, 19 de março de 2015

Fazer da Vida um Hino de Amor

Pauta musical com estorninhos. Fonte da imagem: www.mdig.com.br 
Quem quiser fazer da sua vida um hino de amor  em vez de uma pauta vazia, ou cheia de desarmonia egoísta, tem de ver no sofrimento  uma ferida a limpar, uma chaga a curar, uma lágrima a enxugar, um sofredor a ajudar. Só assim  conseguiremos minorar a dor e encontrar um significado nobre para a nossa vida.
Sob certo ponto de vista, poderíamos definir a vida como sendo a luta contra a dor. Há nela, como em toda a luta, os heróis e os derrotados. Aqueles que fazem algo e os que morrem sem nada terem feito.
É triste expirar-se no leito de morte, e, passando  em espírito as folhas do livro da nossa própria vida, encontrarmos  folhas brancas, inteiramente vazias.
Pior ainda, se encerrarem frases sem nexo, sem significação, ou então porcarias. Um homem desses, ao fechar o seu livro, veria escrito na capa este título: 
«Uma Vida Inútil».

  (João Mohana - no livro - Sofrer e Amar

terça-feira, 17 de março de 2015

Uma carta de um neto para uma avó

Esta é a linda e amada avó Carmo

Muitos parabéns avó

Hoje celebras mais um aniversário, fazes 82 anos de vida. Escrevo-te para te dizer que é com um orgulho enorme que te chamo de avó. És e serás sempre a minha avó Carmo, a minha querida avó.

Admiro a tua maneira de ser, a garra com que lutas pelas coisas que queres, o amor que dás ás pessoas que te rodeiam, és amiga, verdadeira e muito fiel.

Não tenho palavras para te agradecer o que fizeste á minha mãe há sensivelmente 48 anos atrás, fico-te muito grato para o resto da vida, afinal foste sempre mais que uma mãe para ela. Deste-lhe tudo o que ela precisou, acima de tudo deste-lhe carinho e amor.

Sou e serei sempre o teu neto mais novo, e fico orgulhoso por fazer parte desta família, uma família que é unida e que gostam tanto uns dos outros.

Como mãe és formidável e isso vê-se pelos teus filhos. Infelizmente não estão todos presentes neste dia, mas de certeza que estão com Deus a olhar por ti e estão felizes pela pessoa que és. Ainda tens as tuas 2 filhas que te amam  e que têm um coração enorme. Tanto a minha mãe como a minha tia Carmen são duas pessoas maravilhosas, duas mulheres que todas as pessoas só podem gostar, são verdadeiras e isso é o que se quer numa pessoa. Isto deve-se tudo a ti

Quanto ao papel de avó, só  tenho coisas boas a dizer, és maravilhosa e sempre tão querida.

Preocupaste sempre tanto com todos os teus netos. Para mim é como se fosses do meu sangue, nunca senti qualquer diferença na maneira como me trataste a mim e aos outros.

Sempre senti que tratavas todos  de igual forma.

Espero que possamos celebrar este dia durante muitos e muitos anos, que te possa abraçar e dar muitos beijinhos e poder dizer-te o quanto te admiro e o quanto gosto de ti.

És sem dúvida nenhuma uma grande mulher, uma das mulheres da minha vida, gosto e gosto mesmo de ti.


Um beijinho grande para a minha linda e querida avó Carmo.

  
9-o3-2015

Fábio Valbom Pedro

segunda-feira, 16 de março de 2015

Por Portugal adentro - Convento dos Eremitas Descalços - Serra de Monfurado

 As ruinas do Convento dos Eremitas Descalços de S. Paulo, situam-se na Serra de Monfurado e encontram-se em propriedade particular.
Imagem e texto: 
 (omelhoralentejodomundo.blogspot.com)

Por Portugal adentro não encontramos só coisas belas, bem cuidadas e protegidas; encontramos a cada passo imagens como a de cima, que de tão tristes, nos perturbam e chocam.
Porque não recuperar?
"Doi o coração olhar".

domingo, 15 de março de 2015

Porque hoje é Domingo (332)

Bendirei ao Senhor em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios. Gloriar-se-á no Senhr a minha alma; os humildes o ouvirão e se alegrarão. Engrandecei ao Senhor comigo, e todos  à uma  lhe exaltemos o nome.
Busquei ao Senhor e Ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores. Contemplai-o e sereis iluminados, e os vossos rostos jamais sofrerão vexame.
Clamou este aflito, e o Senhor o ouviu e o livrou de todas as tribulações.
O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os  livra.
Oh!  provai e vede que o Senhor é bom; bem- aventurado o homem que nele se refugia".

 ( Livro dos Salmos cap, 34: 1 a 8)

sábado, 14 de março de 2015

Um gesto muito lindo de Portugal para com o país - irmão - Guiné Bissau

Os ministros dos Negócios Estrangeiros  e da Saúde - com outras personalidades, no acto da entrega. 
Laboratório móvel para o diagnóstico da doença do vírus ébola na Guiné Bissau

Portugal procedeu ontem à entrega à Guiné-Bissau Bissau de um laboratório móvel para o diagnóstico de infeções. Esta cooperação enquadra-se no programa que Portugal está a desenvolver com aquele país para a prevenção da doença do vírus ébola, iniciativa que conta com a colaboração do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Instituto Ricardo Jorge).
Esta ajuda prestada por Portugal decorre do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Comissão Interministerial de Coordenação da Resposta ao Ébola. Visa a instalação e o funcionamento em Bissau de um laboratório móvel para o diagnóstico de infeções. Para a capital guineense viajará, além do diverso material, uma equipa multidisciplinar que irá proceder à montagem e operacionalização do laboratório, e também à formação de pessoal especializado local. Desta equipa fazem parte operacionais do Instituto Ricardo Jorge e do Instituto Nacional de Emergência Médica.
O Ministro da Saúde, Paulo Macedo, e o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, representaram o Governo português na cerimónia que assinalou o início da fase de implementação no terreno da cooperação entre os dois países. A iniciativa contou ainda com a presença do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Luís Campos Ferreira, do Diretor-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas, João Maria Cabral, do Encarregado de Negócios da Guiné-Bissau, M’Bala Fernandes, do Diretor-Geral da Saúde, Francisco George, e dos Presidentes do INEM, Paulo Amado de Campos, e do Instituto Ricardo Jorge, Fernando de Almeida.
  ( http://www.dnoticias.pt/)
  
Portugal entregou esta quarta-feira um laboratório móvel para o diagnóstico de várias doenças, designadamente o vírus do Ébola, à Guiné-Bissau, num investimento que ronda os 550 mil euros. Na cerimónia participaram o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e o da Saúde, Rui Machete e Paulo Macedo, respetivamente. "Em termos imediatos esta cooperação traduz-se no envio de parte de um laboratório militar financiado pelo Estado português diretamente através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, e da respetiva equipa que vai operar o laboratório e dar um apoio local no combate ao Ébola", disse Paulo Macedo no final da cerimónia, que decorreu na sede do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), em Lisboa.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/ebola_portugal_entregou_laboratorio_movel_a_guine_bissau.html
Portugal entregou esta quarta-feira um laboratório móvel para o diagnóstico de várias doenças, designadamente o vírus do Ébola, à Guiné-Bissau, num investimento que ronda os 550 mil euros. Na cerimónia participaram o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e o da Saúde, Rui Machete e Paulo Macedo, respetivamente. "Em termos imediatos esta cooperação traduz-se no envio de parte de um laboratório militar financiado pelo Estado português diretamente através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, e da respetiva equipa que vai operar o laboratório e dar um apoio local no combate ao Ébola", disse Paulo Macedo no final da cerimónia, que decorreu na sede do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), em Lisboa.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/ebola_portugal_entregou_laboratorio_movel_a_guine_bissau.html

sexta-feira, 13 de março de 2015

Sobre a verdade

Fonte da imagem:http://www.fotosgratis.fot.br.
Amando a verdade, somos capazes de vivê-la Vivendo a verdade, as nossas próprias vidas se tornam verdadeiras. E ssim, tornamo-nos naquilo que devemos ser.

   (Santo Agostinho)

  

quinta-feira, 12 de março de 2015

Lembrando um grande poeta muito esquecido - Pedro Homem de Melo

O grande poeta  português Pedro Homem  de Melo.
ETERNIDADE

A minha eternidade neste mundo
Sejam vinte anos só, depois da morte!
O vento, eles passados, que, enfim, corte
A flor que no jardim plantei bem fundo

(Pedro Homem de Melo)
- no livro - Bodas Vermelhas -

nota:

A minha lembrança,  para um grande poeta muito esquecido.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Ah! quanta falta faz uma mãe!


Aconteceu anteontem.
O lindo dia primaveril, desafiou-me a sair um pouco por aí.
O Jorge acompanhou-me.
Caminhámos um pouco, e ao passarmos  por baixo de uma "pimenteira falsa",
uma árvore já grande e muito bela, decidimos sentar-nos um pouco num dos dois banquinhos novos, colocados ali   não há muito, pela Junta fe Freguesia.
Foi tão agradável, receber no rosto, aquele calorzinho e aquela luz  tão viva !
Cada pessoa que ali passava nos cumprimentava e tinha uma palavra simpática para nos dizer.
Como  o facto de ali permanecer muito tempo nos poderia trazer uma "dor de garganta", fomos andando.
Já no regresso, pertinho do lugar onde estivemos sentados, cruzou-se connosco o  senhor Artur, um homem na casa dos 50 anos, alto, bonito, natural de S. Tomé e Príncipe, filho do meu grande amigo e colega enfermeiro  sr. Melo,  que sempre que me encontrava, parava, para me cumprimentar e,  aproveitava  sempre para uma troca de palavras, sobre a nossa profissão e o nosso trabalho.
Faleceu há cerca de três anos.
A mãe do Sr. Artur, a Dª Cristina, também de S. Tomé, foi  várias vezes minha companhia na Fisioterapia, aqui perto. Gostava muito de conversar com ela.
Esta família vivia numa vivenda que vejo perfeitamente, aqui da janela da minha casa, fica do outro lado, em frente.
Têm nas traseiras da casa, entre outras árvores, um  abacateiro grande, que fica á beira do caminho, onde muita gente passa. Nunca vi frutos naquela árvore. Eu tenho uma igual, na aldeia, e dá frutos muito bons há muito tempo. Falando um dia com o Sr. Artur sobre o seu abacateiro, ele disse-me que ele era "macho" - não dá frutos. Prometi trazer-lhe alguns da minha árvore. Assim fiz, o ano passado, dos primeiros que colhi, enchi um cestinho e cheiínha da alegria fui levá-los lá a casa. Não imagimam o contentamento...agradeceram tanto...ele  e a mãe.  Passado pouco tempo a Dª Cristina faleceu: Tanto o seu corpo como o corpo do marido, foram levados para S. Tomé e Príncipe, a sua ilha querida. O meu marido que esteve em S. Tomé em trabalho da Aliança de Evangelização de Crianças, pôde constatar o quanto esta família era estimada e considerada lá.
Retomemos o meu encontro com o sr: Artur, anteontem.
Ao olhá-lo, contrariamente ao habitual, notei que o seu rosto estava triste.Aproximei-me mais e pondo a minha mão no seu ombro, perguntei: Amigo, está triste... o que é que aconteceu? E ele, ali  á minha frente calado e quase a chorar. Pensei então que houvesse algum problema com o filho, o "Tiquinho", que é um jovem com alguns problemas mentais, e toda a gente em Mira-Sintra e arredores conhece.
Fixando o Sr. Artur, que se mantinha silencioso e profundamente triste, indaguei uma vez mais: O que é que passa? Ele vagarosamente com uma enorme tisteza no olhar disse: "Fez ontem um ano que a mãe morreu".
Ah! quanta compaixão senti... Então era por a mãe ter partido há um ano que ele estava triste daquela maneira!? Um homem de cinquenta  e tal anos...
Quando percebi o motivo da sua tristeza ainda mais   me deu vontade de abraçá-lo.
Disse-lhe: Mãe é mãe, não é? Quanta falta faz! Tentei consolá-lo dizendo-lhe que ela agora está melhor, que terminou aqui o seu sofrimento...
Mas ele continuava triste.
Eu disse-lhe mais: Amigo, sinto a sua dor, estou consigo nessa  saudade.
Prometi-lhe que iria orar por ele , para que o Deus de amor o consolasse e fortalecesse.
Ele respondeu: "Obrigado".
E lá seguiu com a sua or e a sua tristeza , cheiínho de saudades da mãe.
Ah! quanta falta faz uma MÃE!
Mãe, que neste caso não é mãe.
Quando o pai casou com a Dª Cristina, já tinha o Artur de outra mulher. Pois a Dª Cristina que teve depois uns seis ou sete filhos, amou e cuidou de tal maneira do Artur, que para ele ela foi mesmo um MÃE! e que MÃE!
Eu, não contive as lágrimas, e até entrar em casa não parei de chorar. Como me compadeci do Sr. Artur?
Ao chegar a casa preparei um saquinho com abacates que trouxe estes dias da aldeia, para ele, e pedi ao Jorge para lhos ir entregar. Pensei que os abacates o poderiam fazer sorrir. Mas, ele não estava em casa, nem no café, nem no Super-mercado, mas  irei fazê-los chegar, se Deus quiser.


terça-feira, 10 de março de 2015

Parabéns Nelson Évora!

Nelson Évora -  saboreando a vitória Fonte da imagem: www.publico.pt/

«O atleta português Nelson Évora, que no sábado se sagrou campeão europeu do triplo salto, em Praga, disse esta segunda-feira "estar com fome de saltos longos", tendo em vista a ascensão no `ranking' mundial, após longa paragem por lesão.

"Faltam-me saltos. Tenho fome de saltos longos para subir no ranking mundial e para ficar na história do triplo salto", afirmou o novo campeão europeu de triplo salto em pista coberta na chegada ao aeroporto de Lisboa.

Aos 30 anos e sem conquistar uma grande medalha desde 2009, Nelson Évora está de novo em grande e, com a marca de 17,21 metros, triunfou no campeonato europeu realizado em Praga.

O atleta falou das grandes dificuldades que teve para superar as lesões e voltar ao alto nível, garantindo, no entanto, que está totalmente recuperado e preparado para lutar por novos desafios. "Não têm noção do que eu passei. Só quem lá esteve, e eu, é que tem a perfeita noção do que aconteceu. Agora está ultrapassado e finamente consigo mostrar que estou totalmente recuperado, estou bem, e pronto para lutar nas próximas grandes competições pelos principais lugares", disse.

Neste regresso às grandes vitórias, o ex-campeão olímpico (Pequim, em 2008) e mundial (Osaca, 2007) disse ainda que, depois de passar por tantas dificuldades físicas, esta medalha acaba por ter um sabor especial, deshttp://www.record.xl.pt/tacando o papel de família, amigos e médicos na sua recuperação física e mental.

"Desanimei muitas vezes, mas desistir nunca pensei, mas também tive o apoio da família, amigos e principalmente da equipa médica que me acompanhou, com quem passei muitas horas, do meu fisioterapeuta, Ricardo Paulino, que sempre teve comigo e me motivou nos dias mais complicados e é também a ele que dedico esta vitória", concluiu».

  ( http://www.record.xl.pt/)
   
Nota:
Muito me regozigo com a merecida vitória - Medalha de Ouro da Europa - do persistente e esforçado Nelson Évora. Num país, onde parece que só o futebol é desporto, e praticamente se olvidam as outras modalidades, sabe bem darmo-nos conta que, de vez em quando, lá se celebram outras vitórias que não as do futebol.
Por a minha parte, dou os meus sinceros parabéns ao Nelson Évora, reconhecendo todo o seu valor e esforço.
Parabéns, amigo!
Vamos em frente!
Outras vitórias estão por aí a espreitar.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Porque ontem foi Domingo (331)






















UMA MORDOMIA RESPONSÁVEL

Ao criar o ser humano, Deus dotou-o de capacidades, entre as quais, a de gerir os recursos colocados ao seu dispor para seu próprio usufruto, mas também para, na sua convivência com o próximo, exercitar a sua virtude de cuidado e de solidariedade.
Embora a Bíblia não condene a aquisição de riquezas, nem mesmo classifique como injusto aquele que possui maior quantidade de bens que outros, alerta, contudo, os “ricos”, a serem prudentes e a terem cuidado redobrado no uso que fazem dos  bens materiais dos quais são proprietários (ou melhor, gerentes), visto que, com bastante facilidade, eles se transformam num fim em si mesmos.
Tendo em conta que os bens materiais não podem satisfazer por completo as mais profundas necessidades da alma humana, a acumulação excessiva dos mesmos pode criar, com o passar do tempo, uma  insatisfação tal,  que a atitude de generosidade seja posta em causa.
Paulo, um homem que não evitava os assuntos “quentes” da sua época, dá instruções valiosas ao seu discípulo amado, e jovem pastor, Timóteo, sobre  o assunto das riquezas e dos ricos, tratando esta temática com sabedoria e com uma sensibilidade incomum.
Ele orienta Timóteo a recomendar aos que possuem mais recursos materiais a não demonstrarem, perante os outros, a sempre reprovável atitude de vaidade ou de exibição pessoal. Esta atitude, por si só, é prova de que o possuidor das riquezas já estará a ser “controlado” e dominado pelas mesmas.
A seguir, Paulo mostra o facto real de que a volatilidade e a insegurança dos bens materiais deve fazer com que todos os que foram agraciados e abençoados evitem colocar neles a sua esperança. 
Esta observação do apóstolo é pertinente, visto que, como o Senhor Jesus ensinou, aquilo que consideramos o nosso tesouro mais importante, acaba sempre por “conquistar” o nosso coração (Mateus 6:21).
Portanto, deve haver, na gerência dos bens materiais, uma relação equilibrada e um certo grau de distanciamento. Deus, e não as riquezas, deve ser a base segura da nossa esperança.
Além do equilíbrio necessário que deve existir no uso das riquezas, Paulo recomenda os ricos a praticar o bem,  a desenvolver a nobre virtude da generosidade, partilhando os seus bens com os mais desfavorecidos e menos afortunados, ajudando-os a suprir as suas necessidades.
Com relativa facilidade, podemos supor que as orientações do apóstolo Paulo não se destinam à maioria das pessoas, visto que poucas se consideram ricas. Contudo, esta conclusão precipitada peca por ser reducionista e por prestar pouca atenção aos princípios subjacentes às orientações do apóstolo.
Todos nós, independentemente do estatuto económico que tenhamos, ou da quantidade de bens materiais que possuamos, somos exortados a evitar a vaidade e a vanglória, a não colocarmos a nossa confiança nas riquezas e a partilhar com outros os recursos que o Senhor colocou ao nosso dispor, para que, através da nossa generosidade, outros venham a glorificar a Deus pela Sua providência e cuidado. Soli Deo Gloria! 
  
( Pastor Samuel Quimputo
Igreja Evangélica Baptista de Sete -Rios - Lisboa)
      No blogue:  http://ieb-7rios.blogspot.pt/

sábado, 7 de março de 2015

Quem são os que vencem?

Fonte da imagem:pt.dreamstime.com

"Os que vencem não são aqueles  que ajuntam  maior número de bens.
São os que amaram a família e conheceram a alegria de  ver esse amor retribuido.
São aqueles que souberam o que significa dedicar a vida a um propósito maior do que a si mesmo.
São aqueles  que conheceram a Deus e esperam ansiosamente pela eternidade com  Ele".

   (Ruth Hayley Barton)

sexta-feira, 6 de março de 2015

Parabéns, minha linda neta Margarida pelos teus 9 anos!


A árvore geneológica da Margarida, desenhada por ela quando tinha 5 anos.
Eu sou a primeira da esquerda...

Pois é, a correr a correr o tempo passa e a minha neta Margarida, filha mais nova do meu filho Pedro e da minha nora Anabela, completa hoje 9 anos.
Digamos que, fisicamente e personalizadamente, é a mãe Anabela.
Até no gosto pela  culinária.
Quando vem aqui a casa  oferece-se sempre para me ajudar a cozinhar.

Na escola, é uma aluna brilhante. Admira-se a professora com a  as palavras "difíceis" que usa no seu léxico.
Sabe, no entanto, aplicá-las correctamente.
Já falei com ela hoje pela manhã. Estava tão feçiz tão contente!
Que bom!
Ah! mas é tamanha a gratidão do meu coração para com o Senhor nosso Deus e Pai!
Por muitas, muitas coisas! Mas pela família linda e maravilhosa que Ele me deu, não me canso de agradecer.
 Neste dia, com o meu coração bem alegre e cheio de gratidão, apraz-me dizer:
Muito obrigada Pai, por a Margarida!

Muito obrigada Pai, por cada um dos 18!

Para ti, minha linda e doce neta Margarida, vai um daqueles abraços como a avó gosta de te dar.
Beijinhos, muitos beijinhos, nessa cabecinha querida
E, que Deus, o nosso Deus, teu e meu, e da nossa família, te cubra de bençãos e de muita alegria!
Muitos Parabéns, minha menina linda
Que Deus te abençoe, guie e ptoteja.

quinta-feira, 5 de março de 2015

É Urgente - Palavras do poeta Mia Couto

Escola em Á frica. Fonte da imagem:http://abrigodossabios-paulo.blogspot.pt/
  É URGENTE

«É urgente que as nossas escolas exaltem a humildade e a simplicidade como valores positivos.»

  (Mia Couto - Poeta Moçambicano) 

Nota:
Encontrei  estas palavras,  no  blogue - http://abrigodossabios-paulo.blogspot.pt/ - do meu bom amigo Paulo Costa. Achei - as tão oportunas e importantes que as trouxe, a fim de partilhá-las aqui com os amigos.

quarta-feira, 4 de março de 2015

E chegou Março, o mês que nos vai trazer a Primavera

                                    As ameixas e a salsa parrilha - aqui pertinho. Foto tirada por mim.
 Março

Tal como o ano romano, o calendário eclesiástico inglês, utilizado até 1752, fazia deste mês o primeiro do ano. O ano legal cmeçava a 25 de março. A Escócia, em 1599, adoptou Janeiro, como primeiro mês do ano. Os romanos denominavam este mês por "Martius", em  honra do deus Marte, enquanto os anglo-saxões lhe chamavam " Hlyd Monath ", iso é, mês  vociferante ou tormentoso.

Alguns adágios populares sobre este mês:

"Quando em Março arrulha a perdiz
                  ano feliz".

Água de Março
é pior que nódoa no pano".

"vento de Março, chuva de Abril,
    fazem o Maio florir".

"Os começos de Março
são ferozes como leão
mas os dos finais do mês
como cordeiros são".

Março - Marçagão.
de manhã inverno
e á tarde verão .

       "Sob os céus mais serenos!
     Em breve chegará a festa.
haverá um tropel de fadas pela pradaria
praticando actos mágicos ao luar,
coroadas com anémonas silvestres!
Como está enfeitiçado o coração do tordo,
que alberga, nos ramos, dos abrunheiros,
       tantas canções tão belas
        para saudar a Primavera -
         A Primavera chegou!

      ( Norman Gale)

( No Diário de Edith Holden - A Alegria de viver com a Natureza)