segunda-feira, 8 de maio de 2017

Doce Milagre - Um poema de Florbela Espanca

 A Poetisa Portuguesa - Florbela Espanca
DOCE MILAGRE

«Pois se eu vejo os olhos teus
A fitarem-se nos meus,
Não há-de tudo ser lindo?
Se eles são prodigiosos
Esses teus olhos suaves!
Basta fitá-los, mimosos,
Em dias assim chuvosos,
Para ouvir cantar as aves!
A Natureza, zangada,
Não quer os dias risonhos?
Tu passas... e uma alvorada
P ra mim abre, perfumada,
Enche-me o peito de sonhos!»

(Florbela Espanca -  Excerto de Doce Milagre - no Grande Livro do Amor - de Hellen Exley)

2 comentários:

Fmaria Mesquita disse...

Obrigado Viviana por este lindo momento de leitura. Beijinhos e desejos de uma boa semana

Viviana disse...

Olá, Fernanda!

De tão longe, vem visitar-me!

Obrigada, boa amiga

Desejo que tudo vá bem consigo, com o Eduardo e restante família

Um abraço
Viviana