domingo, 31 de dezembro de 2017

Porque hoje é Domingo (470)


«Ó Deus, dá-me um coração puro;
renova e dá firmeza ao meu espírito.
Não  me afastes da tua presença
nem me prives do teu Santo Espírito!
Faz-me sentir de novo a alegria da tua salvação;
mantém-me com um espírito generoso,
para que eu ensine aos transgressores os teus caminhos
e os pecadores se voltem para ti.
Ó Deus, tu és a minha salvação!
Livra-me da morte
e anunciarei com cânticos que tu és justo.

Senhor ajuda-me a falar,
para que eu possa anunciar as tuas grandezas.
Tu não queres sacrifícios; se não eu oferecia-tos;
e não aprecias ofertas de animais.
O sacrifício que agrada a Deus é o arrependimento.
Ó Deus, tu não desprezas um coração arrependido e humilde.»

 (Salmo 51: 10 a  17)

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Sonda-me, ó Deus - Um poema de Gióia Júnior



SONDA-ME, Ó DEUS  

Sonda-me, ó Deus,  pois sei que nem eu me conheço,
não sei o que desejo e nem o que mereço,
que caminho seguir, que palavras dizer,
que sementes plantar e que frutos colher.
Tu me criaste, ó Deus, o coração humano,
imenso como o céu, profundo como o oceano,
podes sondá-lo bem, com poder e firmeza,
esquadrinhá-lo, enfim, na sua  profundeza
e arrancar o que é mau : a vaidade mesquinha
e o ódio, como quem arranca  a erva daninha,
que faz secar o verde e faz morrer a flor,
a humildade e a pureza,a submissão e o amor.
Sonda-me, ó meu Senhor, com teu olhar paterno,
e guia-me afinal pelo caminho eterno.

O caminho de paz, o caminho de luz,
o caminho de amor de  Teu Filho Jesus!
Que outro não há, bem sei, que nos conduza á calma.
Sonda-me meu coração e esquadrinha  minh 'alma,
mede meu pensamento e a minha vida sonda,
que de  Ti - ai, bem sei! - não há quem se esconda:
nem a estrela no céu nem a haste no feixe,
nem o peixe no mar, nem o ímpio no peixe,
nem o orvalho na flor, nem a flor no caminho,
nem a concha na areia ou a rosa no espinho.
Tudo escutas, ó Pai, terrivelmente tudo,
do soluço mais grave ao riso mais agudo.

Sonda-me... o Teu olhar é penetrante e terno,
a Tua voz é clara e o Teu Caminho eterno,
e eu sei que após sondar-me, afinal me darás
a verdadeira paz, a procurada paz!    (Gióia Júnior - no livro - Orações do Cotidiano)

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Como se processa a alteração da cor das folhas?

A linda macieira "da minha horta"

No Outono, as folhas da macieira, foram -se soltando da árvore  e, levadas pelo vento, deixaram a  árvore despida. Assim permanecerá até à Primavera, quando brotarão flores e novas folhas.

Mas...

«Como se processa a alteração da cor das folhas?

No Outono, as folhas ficam isoladas do resto da árvore. Privadas de nutrientes e de humidade, as folhas deixam de conseguir  sintetizar clorofila.
   À medida que a clorofila se esgota, os pigmentos amarelos e laranja - sempre presentes, mas camuflados pela clorofila - tornam-se dominantes. Podem  também surgir tons de vermelho e púrpura, produzidos durante uma série de reacções químicas que implicam  açucares  que se formam à medida que as noites arrefecem.»

        (No livro - ABC da Natureza)

    
"Os meus figuinhos da casa sa aldeia."
                                                    Na folha de verão, o pigmento verde é dominante.


 No Outono,  a produção de clorofila cessa  e aparecem outros pigmentos.
                                                       A ligação da folha ao ramo enfraquece e a folha cai. 

                                                       ( Fonte da imagem:www.educadora.am.br)

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Quinze Natais sem a Mãe

A família  numa saída do navio -  a caminho de Portugal -  Eu, à frente do meu pai.

Dos  setenta e sete Natais que já vivi, os últimos quinze, foram celebrados sem  a presença da Mãe.

Há três dias atrás, 24/12/2017 -  fez quinze anos, que fomos deixar a Mãe, no cemitério de Montelavar - Sintra.  Era véspera de Natal.
O funeral foi ás cinco da tarde.
Lá  estavam os quatro filhos,  os genros e os netos.

Saímos de lá com o coração a sangrar.

Silenciosamente,  dirigi-mo-nos para Alfragide - Amadora - para a casa da maninha Teresinha, onde celebrámos a primeira consoada sem a Mãe.

Fomo-nos habituando ao facto, porém, apesar de lá terem passado 15 anos, ainda nos custa muito  não termos a querida Nena connosco.
Consola-nos a certeza  de que ela , mulher de fé, crente fiel... "descansa agora dos seus trabalhos" e  está muito bem... junto do seu Senhor e Salvador Jesus Cristo, a quem tanto amava e de quem tanto testemunhava.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Só o Amor permanece para sempre.

 Um castanheiro centenário. Fonte da imagem:https://beira.pt/ 

«AS RIQUEZAS VOAM;  O CONFORTO DESAPARECE; A ESPERANÇA FENECE;  SOMENTE O AMOR  PERMANECE PARA SEMPRE.  DEUS É AMOR.»
                 (Lew  Wallace)
 

domingo, 24 de dezembro de 2017

Porque hoje é Domingo e é Natal!


«Por essa altura, o imperador Augusto decretou que se fizesse um recenseamento de toda a população do Império Romano. Foi o primeiro recenseamento quando Quirino era governador da Síria. Todos iam inscrever-se, cada um na sua cidade.  Por isso José partiu da Nazaré, província da Galileia, e foi para a cidade de David que se chama Belém,  na província da  Judeia. Como José  era descendente de David, foi lá inscrever-se, levando consigo Maria , sus noiva, que estava grávida.
Enquanto estavam em Belém, chegou o tempo de Maria dar à luz. Nasceu-lhe então o menino , que era o seu primeiro filho. Envolveu-o em panos e deitou-o numa manjedoura, por não arranjarem lugar na  casa.

Naquela região havia pastores que passavam a noite no campo guardando os rebanhos. Apareceu-lhes um anjo e a luz gloriosa do Senhor envolveu-os. Ficaram muito assustados, mas o anjo disse-lhes: "Não tenham medo! Venho aqui trazer-vos uma boa nova que será motivo de grande alegria para todo o povo. Pois nasceu hoje, na cidade de David,  o vosso Salvador que é Cristo, o Senhor! Poderão reconhecê-lo por este sinal:  encontrarão o menino envolvido em panos e deitado numa mangedoura.»
Nisto, juntaram-se ao anjo muitos outros anjos do céu louvando a Deus  e cantando:
«Glória a Deus nas alturas
e paz na Terra aos homens
 a quem ele quer bem!»
   (Lucas 2:1 a 12)

Nota pessoal:

Desejo a todos os amigos que por aqui passarem, um santo e abençoado Natal!

sábado, 23 de dezembro de 2017

E Ele chegou

Fonte da imagem: Austin Ruse

... «E Ele chegou,
Pequenino e lindo,
Num berço de feno.
Toda a Omnipotência num corpo de criança,
Toda a eternidade numa mensagem de esperança:
"Porque um Menino se nos deu
E o Seu  Nome  é Maravilhoso,
Conselheiro,
Deus Forte,
Pai da Eternidade,
Príncipe da Paz ...»

 (Myrtes Mattias - no livro - Presente para o Menino)
    

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

O que escrevi há oito anos sobre o Natal, neste espaço, creio estar completamente actualizado. Ora vejam.


Eu já tive oportunidade de vivenciar momentos únicos e inesquecíveis, em celebrações de Natal, quer em família, quer na minha Igreja .

Enquanto tivemos a bênção de ter a nossa mãe connosco, a Festa de Natal na noite da consoada, sempre foi na sua casa.Lá se juntavam todos os filhos, genros e netos, numa comunhão de alegria maravilhosa.
Na Igreja, desde pequenina e até ao dia de hoje, sempre participei dos programas especiais, quer nos belos cânticos de Natal, quer em representações de peças, ou mesmo recitando poemas, como acontecerá este ano.
A celebração do Natal de Cristo, é para a nossa família deveras relevante.
Este ano se Deus quiser, estaremos todos juntos em casa do meu filho mais velho, o Pedro David.

- Eu sei que o nascimento do Menino de Belém, há dois mil anos atrás, foi a única forma de Deus resolver o problema espiritual do homem (ser humano).
O Menino fez-se Homem, viveu entre nós, trouxe-nos a Boa Nova da salvação, por meio do amor de Deus, e cumpriu cabalmente o fim para que veio: Morrer em nosso lugar na Cruz do Calvário, ofertando-nos assim, o perdão para os nossos pecados e a salvação eterna, que, sozinhos, por nós mesmos, nunca conseguiríamos.

 - Eu sei que para muitos, talvez a maioria, o nascimento do Menino, pouco ou nada diz no aspecto espiritual. Mas eu lamento que assim seja, porque não só não valorizam a sua vinda ao mundo dos homens, como desperdiçam a oportunidade de ouro, de agarrar com ambas as mãos, o melhor presente do mundo.

- Eu sei que infelizmente para muita, muita gente, celebrar o Natal significa apenas mais um feriado nacional, mais uma festa, onde se come e bebe bem, e onde se trocam presentes. Mais nada.

- Eu sei que o Natal tornou-se em comércio, em oportunidade de vender mais, de ganhar dinheiro, de fazer negócio.

- Eu sei que as crianças são educadas para isso desde pequeninas.
O natal para elas é uma excelente oportunidade de pedirem e "exigirem", presentes e mais presentes, com os quais enchem o quarto, e dos quais se enfastiam logo a seguir.
E enquanto isso, há milhões de crianças no mundo, que não só não recebem um presente sequer, mas têm fome, e sede, e frio, e doenças que poderiam ser curadas se tivessem meios, e guerras e violências sem fim.

- Eu sei que o Menino de Belém veio para que todas as crianças do mundo e todas as pessoas em geral, possam viver uma vida abundante e serem felizes.
Creio que é altura de todos reflectirmos sobre isto, e aceitar-mos o desafio de Cristo, entronizando-o como Senhor das nossas vidas, como nosso Salvador e nosso guia, e assim, cada um, amando Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, dar o seu precioso contributo para que todos possam ser felizes e possam realizar-se como pessoas, como seres humanos criados á imagem e semelhança de Deus.

- Eu sei que isto poderá parecer um sonho impossível de realizar, mas se todos mudarmos de atitude perante o Natal de Cristo, atendendo ao seu real e magnífico significado, eu tenho a certeza que tudo será diferente.

(Publicado  por mim neste espaço, no dia 9de Dezembro de 2009)


quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Miguel Torga e o Natal

Uma cena muito bela, da autoria da amiga Sandrinha

Dias de Natal

«Natal. E, só pelo facto de o ser, o mundo parece outro. Auroreal e mágico. O homem necessita cada vez mais destas datas sagradas. Para reencontrar a santidade da vida, deixar vir à tona impulsos religiosos profundos, comer e beber ritualmente, dar e receber presentes, sentir que tem família e amigos, e se ver transfigurado nas ruas por onde habitualmente caminha rasteiro. São dias em que estamos em graça, contentes de corpo e lavados de alma, ricos de todos os dons que podem advir de uma comunhão íntima e simultânea com as forças benéficas da terra e do céu. Dons capazes de fazer nascer num estábulo, miraculosamente, sem pai carnal, um Deus de amor e perdão, contra os mais pertinentes argumentos da razão.»

Miguel Torga, in 'Diário (1985)'
       ( http://www.citador.pt/ )

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O Anjo Gabriel anuncia a Maria o nascimento de Jesus

O anjo Gabriel anuncia a Maria o nascimento de Jesus. Fonte da imagem:ttps:/ttps://aldeiadoser.wordpress.com//

"Quando Isabel  estava grávida de seis meses, Deus mandou o anjo Gabriel a Nazaré, na província da Galileia, para falar com uma virgem chamada Maria que estava noiva de José, descendente do rei David. O anjo aproximou-se dela e disse-lhe: « Eu te saúdo, ó escolhida de Deus. O Senhor está contigo.»  Maria ficou perturbada com estas palavras e perguntava a si própria o que queria dizer  aquela saudação. Então o anjo continuou: «Não tenhas medo, Maria, pois foste abençoada por Deus. Ficarás grávida e terás um filho, a quem vais pôr o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Deus Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono do seu antepassado David. Governará para sempre os descendentes de Jacob e o seu reino não terá fim.»
Maria perguntou então ao anjo:«Como é que  isso poder,  se nunca tive marido?» O anjo  respondeu-lhe: «O Espírito Santo descerá sobre ti e o poder  do Deus altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso, o que vai nascer é santo e será chamado Filho de  Deus. Também a tua parente Isabel vai ter um filho, apesar da sua muita idade. Dizia -se  que era estéril, mas já está no sexto mês. É que para Deus não há nada impossível.» Maria disse então:  «Eu sou a serva do Senhor. Cumpra-se  em mim a tua palavra.»
E o anjo retirou-se.
   (Lucas 1:26 a 38)l

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Partilhando este lindo presente de Natal


«Aquele que conhece Jesus e anda todos os dias debaixo do amor Dele, consegue permanecer alegre, nos momentos em que tudo dá errado e até mesmo quando as  más noticias chegam à nossa porta. Por que,  Ele suporta nossas fraquezas e dá alivio e  força ao nosso coração  para que possamos enfrentar qualquer dificuldade  e vencê-las.
Por isso, não podemos nos esquecer que Jesus é a forma na qual Deus nos amou.  Deus assumiu a forma humana, nasceu um menino, cresceu, morreu por nós, pagando o preço por nossas culpas e erros e tornou possível uma nova vida. É isso! fomos perdoados e reconciliados.
Ele nos ama por quem somos e tudo o que Ele fez foi nos dar vida em Jesus.


Que a cada dia, sua alegria esteja firmada no amor de Deus
 e que você possa agradecer a Ele por ter
 te dado o melhor  e o  mais belo presente.
JESUS é a nossa alegria!
JESUS é o Natal!»

Nota pessoal:

Achei tão lindo "este presente de Natal"  que recebi da querida Sandrinha, que decidi partilhá-lo aqui com os amigos.
Obrigada! Muito Obrigada, minha boa amiga e irmã em Cristo.
Que o nosso Paizinho, Amoroso e Bom,  lhe conceda um Feliz e Santo NATAL.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Acalanto para o menino Jesus - um poema de Gióia Júnior

Fonte da imagem: http://bereianosagrado.com.br/

 Acalanto para o menino Jesus

Dorme, criança, repousa
ao beijo da brisa mansa,
a tua própria estrela não ousa
Teu soninho perturbar.
Descansa, agora descansa,
como a terra, como a lousa,
porque mais tarde criança,
não poderás descansar.

As trevas são mornas vendas;
fecha os olhinhos, infante,
pouco  importam oferendas
vinda de Terra Distante,
Apaga o olhar meigo e langue,
que amanhã ao despertar,
terás lágrimas de sangue,
em vez de calmo sonhar...

Descansa os róseos pezinhos
 - aves de claras plumagens -
amanhã quantos caminhos
esses pés hão-de trilhar!
E  depois,  ao fim das viagens,
mãos pesadas, mãos selvagens
com, lanças. cravos e espinhos
hão-de fazê-los sangrar...

Dorme, criança travessa.
a noite é macia e boa,
amanhã torpe coroa
ferirá Tua cabeça...
Rolarão pelos espaços
as longas horas, Jesus,
hão-de crescer os teus braços
sob a medida da cruz.

Sejam~te os versos que escrevo,
neste momento de enlevo,
a paga do que Te devo
pelo que me dás do céu.
Dorme, Cristo Imaculado,
pois serás crucificado
e eu sou o maior culpado,
o mais desprezível réu!
    (Gióia Júnior - no livro - Orações do Cotidiano)

domingo, 17 de dezembro de 2017

O Profeta Isaías anuncia o Nascimento de Jesus

  Fonte da imagem:https://imagensbiblicas.wordpress.com/

«Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e  o seu nome será Emanuel. (Isaías 7:14)



Quem acreditou naquilo que ouvimos?
A quem foi revelada a intervenção do SENHOR?
O servo cresceu diante do SENHOR
como um simples rebento,
ou raíz em terra árida sem aparência nem beleza
para poder dar nas vistas.
O seu aspecto não tinha qualquer atractivo.
Era desprezado e abandonado pelos homens,
como alguém cheio de dores e habituado ao sofrimento,
e para o qual se evita olhar.
Era desprezado e tratado sem nenhuma consideração.

Na verdade ele suportava os nossos sofrimentos
e carregava as dores que nos eram devidas.
E nós pensávamos que Deus
é que assim o castigava e humilhava duramente.
Mas ele foi trespassado por causa das nossas faltas,
aniquilado por causa das nossas culpas.
O castigo que nos devia redimir caiu sobre ele;
ele recebeu os golpes e nós fomos poupados.
Todos nós vagueávamos como  rebanho perdido,
cada qual seguindo o seu caminho;
mas o SENHOR carregou sobre ele
as consequências de todas as nossas faltas.

Foi vexado e humilhado,
mas a sua boca não se abriu para protestar;
como um cordeiro que é levado ao matadouro
ou como uma ovelha emudecida nas mãos do tosquiador,
a sua boca não se abriu para protestar.
Levaram-no à força e sem resistência nem defesa;
quem é que se preocupou com a sua sorte?

De facto, foi suprimido da terra dos vivos,
mas por causa dos pecados do meu povo
é que ele foi maltratado.
foi-lhe dada sepultura entre  os ímpios
e um túmulo entre os malfeitores,
embora não tenha cometido qualquer crime,
nem praticado qualquer fraude.
Mas o senhor quis esmagá-lo  com o sofrimento,
para que a sua vida fosse una oferta de expiação.
Mas o servo verá a sua descendência
e viverá por muito tempo,
e o desígnio do SENHOR realizar-se-á por meio dele.
Por causa do sofrimento da sua vida verá a recompensa,
e ficará satisfeito com a experiência que teve.

«O meu servo, que é justo,
fará com que muitos se tornem justos diante de mim,
pois ele mesmo carregou com os crimes deles.
Por isso, receberá a sua parte entre os grandes
e repartirá os despojos com os poderosos,
já que expôs a  sua vida à morte
e foi contado entre os malfeitores,
ele que carregou com o pecado de muitos
e intercedeu pelos pecadores.»

(Isaías 53 - Na Bíblia para Todos)

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Desejo a todos os amigos um Feliz e Abençoado Natal


Fonte da ima: http//pt.slideshare.net

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

O mais belo Hino de Natal - Noite de Paz



Este,  é para mim, e creio que para muitos, o mais belo Hino de Natal.
Foi o primeiro que aprendi a cantar; por sinal, era bem pequena ainda.
Nunca o esqueci e creio conhecê-lo de memória.

Não deixo de me comover quando o oiço ou o canto.
Daí, tê-lo elegido, para o partilhar com os amigos que por aqui passarem.
É quase certo que todos o conhecem...

Talvez seja interessante saber a sua história, não?
Então, aí vai:

Franz Joseph Mohr é autor do internacionalmente conhecido hino de Natal “Stille Nacht, heilige Nacht...” (, criado na véspera de Natal de 1818, para o qual o professor e organista Franz Xaver Gruber (1787-1863) compôs logo em seguida a melodia, que tão bem se ajustou ao espírito da letra. Na missa da meia-noite de 25 de dezembro de 1818, na igreja São Nikolau em Oberndorf, o autor (Tenor) e o compositor (Baixo), junto com algumas cantoras do povoado, acompanhados ao som de violão (porque o órgão estava com defeito), apresentaram este hino para a comunidade reunida. O hino de Mohr, originalmente com 6 estrofes, foi impresso e publicado pela primeira vez no “Leipziger Gesangbuch”, em 1838, vinte anos depois do seu nascimento.
O hino foi traduzido para inúmeras línguas. Em inglês conhecem-se mais de 12 versões. Em português podemos citar pelo menos 4 traduções impressas. A mais usada (que com pequenas adaptações também se encontra em nosso hinário “Hinos do Povo de Deus” nº 13) é a tradução do Pe. franciscano Pedro Sinzig, grande musicista no início do século XX no Brasil. Sua versão, foi amplamente divulgada na década de 1930 através de folhetos anexados às caixinhas de velas da Cia. Wetzel Industrial de Joinville.

(Fonte:  http://www.luteranos.com.br/)



quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Primeira referência Bíblica sobre o nascimento do" Menino de Belém"

Fonte da imagem:https://www.sonhosbr.com.br/

Deus disse ainda:  « Façamos o ser humano à nossa imagem e semelhança.»

Deus criou então o ser humano;  criou-o como verdadeira imagem de Deus.
E este ser humano criado por Deus é o homem e a mulher.

 O  SENHOR Deus  colocou o homem  no Jardim do Éden, para nele trabalhar e o guardar. E deu-lhes  estas ordens: «Podes comer do fruto de qualquer árvore, menos do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Deste não podes comer de maneira nenhuma. No dia em que dele comeres, ficas condenado a morrer.

A mulher pensou então que devia ser bom comer do fruto  daquela árvore, que era apetitoso e agradável à vista e útil para alcançar sabedoria.
Apanhou-o, comeu-o e deu-o  ao seu marido  que comeu também.

Por isso, Deus o SENHOR, expulsou -o do Jardim do Éden e o homem teve que ir cultivar a terra da qual tinha sido formado.

E disse Deus à  serpente: «A descendência da mulher  há-de esmagar-te a cabeça e tu procurarás esmagar-lhe o calcanhar.»

Livro de Génesis cap.1:26, 27; 2:15, 3:6 e 23, 15)

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Porque é tempo de Natal - Celebremos o Natal

Fonte da imagem: joabealmeida01.blogspot.pt

Como crente em Cristo e, profundamente grata, pela  vinda de Jesus a fim de morrer na Cruz em meu lugar, resolvendo de uma vez o  o meu problema espiritual, concedendo-me a Vida Eterna, estou já a viver plenamente o espírito do Natal.
A minha alma está em festa!
Vibro, de contentamento e alegria!
Já estou  a celebrar o Natal.
Daí, ocupar este espaço até ao dia de Natal, com temas que a ele digam respeito.
E começo assim:

É TEMPO DE NATAL

É tempo de dar-mos as mãos
Descobrir um caminho novo
E nunca ficarmos sós
No meio do nosso povo.

É tempo de voltar a ser
Homem - criança - crescida
Poisar a arma do mal
E sermos flores na vida.

É tempo  de fazer a paz
Num mundo que não tem fim
Enquanto formos capazes
De pensar na vida assim.
         (Assis Portugal)

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

UM SONHO ANTIGO... Um poema de Edite C.C. Pereira

Flor de aboboreira.Foto tirada na margem da ribeira, na minha horta em Galamares - Sintra.

UM SONHO ANTIGO ...

«Uma vez uma menina
inda muito pequenina
teve um sonho diferente:
sonho não compreendido,
naquele tempo atrevido,
que alvoroçou toda a gente.

Depois, já quase mulher,
teve mesmo que escolher
o que queria ser na vida.
E aquele sonho antigo
que foi crescendo consigo,
tomou forma definida.

Decidiu ser Enfermeira.
E, querendo esta carreira,
teve muito que lutar
contra ideias e conceitos
de quem só via defeitos
na vida que ia encetar.

Com muita perseverança,
sempre cheia de esperança,
durante anos estudou.
E por fim já preparada,
começou uma caminhada,
a que sempre desejou.

 E viu tanto sofrimento
que nunca, em qualquer momento,
pensou poder encontrar.
Os dramas de tantas vidas,
a dor, esperanças perdidas
e a morte sempre a espreitar.

Mesmo sendo já mulher,
continuou a crescer.
E dentro de si mudou:
Ganhou calma e paciência
mas perdeu a inocência
da menina que sonhou.

Teve uma vida tão cheia!
Nem ela fazia ideia
que sempre iria lembrar
os sucessos, incertezas,
alegrias e tristezas.
Valeu a pena sonhar.»

(Edite C. C. Pereira - no livro - Lágrimas  e Sorrisos)

Nota pessoal:
A Edite  estudou na Escola Técnica de Enfermeiras - Instituto Português de Oncologia.
Entretanto, eu estudava  na Escola de Enfermagem do Hospital de Santa Maria.

Recebi o meu diploma fez 53 anos,  há três dias - 08/12/1964.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Porque hoje é Domingo (469)


ORAÇÃO do profeta Habacuc sobre Shigionoth.
Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi: aviva ó  Senhor, a tua obra, no meio dos anos, no meio dos anos a notifica: Na ira lembra-te da misericórdia...

...Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas.
   Todavia, eu me alegrarei no Senhor: exultarei no Deus da minha salvação.
   Jeová, o Senhor, é a minha força, e fará os meus pés como os das corças, e me fará andar sobre as minhas  alturas.
  ( Livro do profeta Habacuc3:1 e 2; 17 a 18)

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Colhe-se proporcionalmente ao que se semeia - Pastor João António Marques

O semeador semeando. Fonte da imagem:https://insightscristaos.com/

«Ninguém  espere,  um dia, anular a sua colheita ou modificar os seus frutos, porque «a  seu tempo», cada um colherá o bem ou o mal que houver semeado.

Colhe-se proporcionalmente ao que se semeia

Resta-nos  acrescentar que, o que acontece no  aspecto qualitativo, colhendo-se aquilo que se semeia, dá-se também no aspecto quantitativo, isto é, «quem semeis pouco, pouco  ceifará, e quem semeia em  abundância, em abundância também  ceifará*. Há uma relação matemática de  proporcionalidade entre o que se semeia e o que se colhe. Conforme a quantidade de semente, assim será a dos frutos recolhidos; conforme a extensão da lavoura, assim será a grandeza da colheita; quanto maiores os investimentos, mais vastos os resultados;  quanto mais sacrifícios se fizerem na sementeira, maiores alegrias se terão na colheita. Há quem faça  searas pequenas e depois fique triste pela colheita insignificante. O ano correu de feição, anunciando bons resultados. O tempo chega: ceifa-se, debulha-se, mede-se o trigo e o rosto do agricultor espelha tristeza. Ele  comenta: «Tão pouco! Que pena! O ano foi tão bom que poderia ter colhido muito mais! ». Poderia, é verdade, se tivesse semeado muito mais;  mas não semeou. Semeou pouco, pouco também  pôde colher, a despeito de todas as condições favoráveis.»
(Pastor Dr. João António Marques - no livro - Olhai para os Lírios da Campo)

Nota pessoal:
Este amado pastor, com quem lidei de perto, já "descansa dos seus trabalhos e, as suas obras seguiram-no". Deixou-nos bons livros, os quais gosto muito de ler e partilhar.
 /

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Aconteceu faz hoje 111 anos

 A naturalista inglesa  . Edith Holden 

Sete de Dezembro de 1906

«Forte geada que  deixou tudo branco, e nevoeiro. Hoje foi o primeiro dia verdadeiramente  invernoso que tivemos. Esta manhã veio comer ao jardim uma multidão de pássaros. Os melharucos travaram tremendas batalhas  à volta do coco e, uma das vezes um pisco de peito ruivo meteu-se dentro e não deixou que  os melharucos  se acercassem até comer tudo o que quis. Parece - me  que os piscos - de peito - ruivo não gostam muito de coco, mas molesta-os que os melharucos  desfrutem de algo  de que eles não podem participar.» 

   (Edith Holden - no livro - A Alegria de Viver com a Natureza )

Um lindo pisco- de - peito - ruivo. Fonte da imagem: http://obiologoamador.blogspot.pt

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

PEDIDO - Um poema de Miguel Torga

O poeta português - Miguel Torga.
                  PEDIDO

«Ama-me sempre, como à flor do lírio
Bravo e sozinho, a quem a gente quer
Mesmo já seco na recordação.
Ama-me sempre, cheia da certeza  
De que, lírio que sou  da natureza,
Na minha altura eu brotarei do chão».                                                                                                                                                              
(Miguel Torga - no livro - Antologia Poética)
   C oimbra, 12 de Abril de 1943.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Algumas palavras (pobres) para um grande homem: O português Gonçalo Ribeiro Telles

O arquitecto português - Gonçalo Ribeiro Teles. Fonte da imagem: https://www.publico.pt
O Jorge, meu marido, logo de manhã cedo, abriu o Diário de Noticias e, sabendo o quanto eu admiro e valorizo o arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, disse:me: "Olha vem aqui um artigo sobre Gonçalo Ribeiro Telles, talvez te interesse."

Tenho o jornal aberto à minha frente e, leio:

«Homenagem depois do tempo a um homem antes do tempo!

Autor: António Sousa Cardoso  - Presidente da Causa Real

Gonçalo Ribeiro Telles é um homem do nosso tempo. Depois de uma vida inteira dedicada à causa pública, Gonçalo Ribeiro Teles foi, finalmente homenageado pelo Estado português! Não sei se pela má consciência dos desastres ambientais de tão trágicas consequências para os portugueses, se pelo frenesim com que o nosso  Presidente da Repíblica agracia portugueses mais ou menos distintos.
Acho que este tardio e justíssimo reconhecimento do Estado foi foi  felizmente precedido, de há muito tempo, por um alargado e sincero reconhecimento dos portugueses. De todos os partidos políticos, de todas as sensibilidades sócioculturais. Da nação que tantos não gostam,  por puro preconceito, de falar..

...Gonçalo Ribeiro Telles  enquanto político distinguiu-se sempre pelo que mais tem faltado hoje  às classes dirigentes - o sentido da ética, de responsabilidade e de compromisso.
A verdade é que que  Gonçalo Ribeiro Telles foi mais do que um grande dirigente político e um grande cidadão. Foi o percursor das mais importantes agroambientais aplicadas em Portugal e foi teimosamente pioneiro, no permanente  alerta ás autoridades públicas dos muitos erros cometidos por tantos governos na preservação, ordenamento, desenvolvimento e qualificação do território no sentido pleno da palavra!Gonçalo Ribeiro Telles foi o  primeiro"verde", por consciência e cidadania, antes de existirem  Verdes por oportunidade política!...

...Ao apostolo da modernidade, Gonçalo Ribeiro Telles, com quem tanto aprendi, o meu modesto, sincero e eterno obrigado!»
 (D.N. - 5/12/17)

Nota pessoal:

Fico muito feliz, cada vez que alguém se lembra deste grande senhor - Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles. Também eu o admiro muito! Mas, mesmo muito! 
Além de tudo o mais, só ao lembrar que foi ele,  nos anos  setenta, o responsável pela qualidade  em todas as áreas, do meu  querido e inigualável, bairro de Mira-Sintra -   onde  moro, desde a sua inauguração, sinto para com ele uma grade gratidão!
É minha intenção, sugerir ao Presidente da Casa de Cultura de Mira-Sintra,  que endereçe, em nome dos moradores, um convite ao arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, a fim de lhe ser prestada uma justa homenagem,  como preito de gratidão e reconhecimento, da excelência de qualidade que colocou neste bairro - social.
Fomos uns privilegiados! Podem crer!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

OBRIGADA! MUITO OBRIGADA!



 A MINHA AMIGA SANDRINHA LEMBROU ASSIM O DIA DO MEU ANIVERSÁRIO:

«Meus Toques - Aniversario :Viviana

Nessa data tão especial, quero lembrar o quanto você é importante para mim e agradeço ao Senhor, por você estar completando mais um ano de vida. Que nesse novo ano seja repleto de paz, saúde e que o Senhor,  derrame das mais ricas bênçãos sobre sua vida! Des...»

Obrigada, minha linda e doce amiga.
Louvo e bendigo o Senhor por a sua preciosa amizade e vida.

Queo o Nosso Paizinho amoroso e bom, a abençoe e lhe conceda a sua santa paz.

Aproveito ainda, para manifestar a minha profunda gratidão a todos os queridos amigos  que, de longe...e de perto, me acarinharam, neste dia.
Que o bom Deus vos recompense pela alegria que  me deram!

domingo, 3 de dezembro de 2017

Porque hoje é Dopmingo (468)


«Mantenham-se firmes na oração e não se cansem  de dar graças a Deus. Orem também por mim, para que o Senhor me dê  uma boa oportunidade  para pregar a sua mensagem e transmitir o plano que se realiza em Cristo. É por isso  que eu estou preso. Orem para que eu  dê a conhecer  como é a minha obrigação.
   Procedam com prudência em relação aos que não são crentes e aproveitem bem as oportunidades. Que a vossa conversação seja sempre agradável e com interesse, sabendo dar a resposta exacta a cada um...

...Saudações de mim, Paulo.» Não se esqueçam de que estou preso. Que a graça  de Deus esteja convosco!.

  (Ep de S. Paulo aos Colos. 4: 2 a 6)

sábado, 2 de dezembro de 2017

SETENTA E SETE ANOS! ÉBENEZER




Na imagem acima,  eu, "enfeitada" pela amiga Sandrinha.

02- 12- 1940 - 02-12-2017

         Setenta e sete  anos!

A maior parte do caminho está percorrido.
Mas, aqui vou eu! 

Feliz!  Realizada|!

Com inúmeras bênçãos para contar...

Profundamente grata e reconhecida, por tanto amor, tanta ternura, tanta alegria, tantas maravilhas...recebidas das doces  mãos, do meu Senhor !
Ah! quanta gratidão no meu coração!

«Caminho em direcção à meta para obter o prémio que Deus nos prometeu dar no Céu por meio de Cristo Jesus.» (Filp.3:14)

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

DEZEMBRO - A carriça no espinheiro

A graciosa carriça .Fonte da imagem:https://pt.wikipedia.org/ 

«No espinheiro sem folhas,
a jovial carriça,
Quando os pingentes gotejam da rocha,
canta a sua perene melodia.
Mesmo quando os flocos de neve
caem, intensos, sobre as suas asas,
voa ligeira,
debaixo de chuva,
cantando em pleno voo.»

(James Graham  - no livro - A Alegria de Viver com a Natureza
de Edith Holden)

PETI - por Myrtes Mathias


 Periquito verde  - Fonte da imagem:Ahttps://pt.wikipedia.org
PETI

«É preciso que vocês fiquem, antes de tudo, sabendo quem é a Peti. É uma criaturinha toda verde, de bico recurvo,  barulhenta como uma criança feliz e que sabe segurar com classe inconfundível uma flor, um caroço de fruta ou mesmo um pedaço de biscoito bem maior que a patinha delicada. Já advinharam quem é? Exactamente. Um periquito. Melhor, uma periquitinha bastante jovem. Presente de um dos meus alunos logo que cheguei a Tocantínia. Eram dois, mas o outro foi morto por um menino mau. Não é triste? Todos nós ficámos tristes. Principalmente a Peti. Pensei que  ela fosse morrer, encolhidinha e silenciosa na beirada de um cesto onde costumavam ficar durante todo o dia. Felizmente ela se consolou. A gente sempre se consola quando é jovem, não é mesmo? Mas não é bem iso que eu queria contar para vocês. É a história da tempestade que me fez bem melhor um pedacinho da BÍBLIA ,  uma palavra de Jesus.

Outro dia caiu um temporal como jamais vi. Eu estava com outras professoras, assentada na beirada da cama, ouvindo, bastante assustadas todas nós, o roncar dos trovões. Subitamente um clarão terrível iluminou o quarto e o ruido do trovão foi  de  ensurdecer. Instintivamente tapamos os ouvidos e fechamos os olhos. Um raio havia caído  há uns três metros do lugar onde estávamos. Passado o primeiro instante, saímos para ver o que havia acontecido. A tempestade continuava a cair,  os trovões continuavam a roncar. Lá estava a parede fendida, pedaços de alvenaria por toda a parte, vasilhas de metal furadas. No entanto, lá na beirada da cesta que fizera sua, Peti dormia tranquilamente. Indiferente a tudo. Segura, sem sombra de temor. E vendo-a assim, olhinhos fechados, como quem ora, eu lembrei das palavras de Jesus:"Olhai para as aves do céu...nenhuma delas cairá em terra  sem consentimento de vosso Pai.»

Lembram-se de haver isso em suas Bíblias? É uma promessa bonita de Jesus que deve encher o coraçãozinho de vocês nas horas difíceis, nas horas de medo. Lembrem-se de que Jesus disse ainda que nós valemos  mais que muitos passarinhos. Ele está cuidando de cada um de nós.

                 Para que eu vou chorar,
                 se na vida encontro espinhos?
                 O bom Pai que está  nos céus
                 cuida até dos passarinhos.

"Não temais, pois, mais valeis  vós do que muitos passarinhos" » (Mateus 10:31)

(Myrtes Mathias - no livro -  Estrelinhas de Jesus)

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Algumas flores silvestres de Mira-Sintra



segunda-feira, 27 de novembro de 2017

"Ó IDOSO, VIVE A VIDA" ...de Manuel D. Pereira

O, já saudoso...Sr. Manuel Dias Pereira
´"Ó  IDOSO VIVE A VIDA"
 
                          I

'Stamos na vida porque Deus assim quis,
Por ser idosos já novos fomos também,
Nós desejamos cada qual seja feliz,
Pois o final de todos nós um dia vem!...
 
Enquanto há vida não pode fugir a esperança,
nosso passado nos impõe à sociedade,
Fomos prestáveis  disso  nós temos a lembrança,
Somos felizes por chegar a esta idade!...
 
                    REFRÃO 

Ó idoso tu vive a vida,
Nunca te entregues à tristeza,
Porque a vida, que é bem vivida,
Nos dá ânimo  e dá firmeza;
Ser idoso é já ter vivido
Muitos anos, pois já se vê,
Por isso é sempre merecido
O carinho que a ele se dê!... (Bis)

                   II

Ser, pois, idosos,  é ter a satisfação
De ter vivido longos anos trabalhando,
É ter na vida a grata recordação
De, embora idosos, estar na vida cantando!

Se nós cantamos é porque temos prazer
De aos outros dar um pouco da nossa alegria,
Amigos somos de todos vós, podem crer,
Mas também queremos vosso amor e simpatia!

                   REFRÃO

                     CODA

Por isso é sempre merecido
O carinho que a ele se dê,
Por isso é sempre merecido
O carinho que a ele se dê!...

(Sr. Manuel Dias Pereira - no livro - Viver a Cantar - Canções do Grupo Coral de Maceira - P. Pinheiro - Sintra)

Nota:

O Sr. Manuel D. Pereira - Sr. Manuel da Música -   meu grande amigo - deixou de cantar  e escrever, quase aos 100 anos. 
Deixou-nos em Janeiro de 2017.

domingo, 26 de novembro de 2017

Porque hoje é Domingo (467)


«Regozijem-se no SENHOR os que são justos:
Louvem-no os rectos de coração.
Louvem ao SENHOR ao som da harpa;
cantem-lhe salmos com harpas de dez cordas.
Cantem-lhe um cântico novo;
toquem com arte e aclamem-no!...

...Que toda a Terra respeite ao SENHOR;
tremam diante dele todos os moradores do mundo.
Porque ele falou e assim aconteceu;
ele ordenou e assim ficou estabelecido...

...Do céu, o SENHOR lança o seu olhar
e vê toda a Humanidade .
Desde o trono em que está assentado,
Deus observa todos os habitantes da terra.
Pois ele,  que formou os seus corações,
é que discerne tudo o que fazem!

O Senhor é quem vigia  sobre os seus fiéis,
sobre aqueles que esperam na sua bondade;
ele livra-os da morte
e mantém-nos vivos no tempo da fome.
Nós pomos a nossa confiança no Senhor,
é ele quem nos ajuda e protege!
Ele é toda a nossa alegria;
confiamos plenamente no Deus santo.
Que o teu amor,  Senhor, nos acompanhe
pois pusemos  em ti a nossa confiança!»
(Salmo 33: 1 a 3; 13 a 15; 18 a 22)
  Na Bíblia para Todos

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Do Grande Livro do Amor - Tu Vieste

Belas, estas primulas. Fonte da imagem:http://dias-com-arvores.blogspot.pt 


TU VIESTE

...Tu vieste, e o sol veio depois,
E o verde tornou-se dourado;
E as flores-de-lis riram, resplandecendo,
E as prímulas estremeceram de amor.

(Algernon Charles Swinburne)
1837 - 1909 
No Grande Livro do Amor

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Uma quadra inédita de Agostinho da Silva

 O Filósofo e escritor português Agostinho da Silva.


«O MAIS SIMPLES ALICERCE
TRAZ LOGO A CASA TRAÇADA
SE EU QUISER CHEGAR A DEUS
COMEÇAREI POR SER NADA.»
(Agostinho da Silva - no livro - quadras inéditas)

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

PROVINCIANA - Um poema de Cesário Verde

O Poeta português Cesário Verde.Fonte da imagem: https://pt.wikipedia.
PROVINCIANAS
               I
Olá! Bons dias! Em Março
Que mocetona e que jovem
A terra! Que amor esparso
Corre os trigos, que se movem
Às vagas dum verde garço!

Como amanhece! Que meigas
As horas antes de almoço!
Fartam-se as vacas nas veigas
E um pasto orvalhado e moço
Produz as  novas manteigas.

Toda a paisagem se doura;
Tíbida ainda, que fresca!
Bela mulher, sim senhora
Nesta manhã pitoresca,
Primaveral, criadora!

Bom sol! As sebes d'encosto 
Das madressilvas cheirosas
Que entontecem como um mosto,
Floridas, ás  espinhosas
Subiu-lhes o sangue ao rosto.

Cresce o relevo dos montes,
Como seios ofegantes;
Murmuram como umas fontes
Os rios que dias antes
Bramiam galgando pontes.

E os campo,s milhas e milhas,
Com povos d'espaço a espaço,
Fazem-se ás mil maravilhas;
Dir-se-ia  o mar de sargaço
Glauco, ondulante, com ilhas!

Pois bem. O inverno deixou-nos,
É certo. E os grãos e as sementes
Que ficam doutros outonos
Acordam hoje frementes
Depois de uns poucos de sonos.

 Mas nem tudo são descantes;
Por esses longos caminhos,
entre favais palpitantes,
Há solos bravos,  maninhos,
Que expulsam seus habitantes!

É nesta quadra de amores
Que emigram os jornaleiros,
Ganhões e trabalhadores!
Passam clans de forasteiros
Nas terras de lavradores.

Tal como existem mercados
Ou feiras, semanalmente,
Para comprarmos os gados
Assim há praças de gente
Pelos domingos calados!

Enquanto a ovelha arredonda,
Vão tribos de sete filhos,
Por várzeas que fazem onda,
Para as derregas dos milhos
E molhadelas da monda.

De roda pulam borregos;
Enchem então as cardosas
As moças desses labregos,
Com altas botas barrosas
De se atirarem aos  regos!

Ei-las que vêm ás manadas,
Com caras de sofrimento,
Nas grandes marchas forçadas!
Vêm ao itrabalho, ao sustento,
Com fouces, sachos,  enxadas!

Ai o palheiro das servas
Se o feitor lhe tira as chaves!
Elas chegam ás catervas,
Quando acasalam as aves
E se fecundam as ervas!...

                   II

Ao meio - dia  na cama,
Branca fidalga que julga
Das pequenas  da su 'ama?!
Vivem minadas da pulga,
Negras do tempo e da lama.

Não é caso que comova
Ver suas irmãs de leite,
Quer faça frio, quer chova,
Sem uma mamã que as deite
Na tepidez duma alcova'!

(Cesário Verde . no livro - Cânticos do realismo e outros poemas)

terça-feira, 21 de novembro de 2017

"ORAI SEM CESSAR"


"SE  PECARES  E CONTINUARES
A  FALHAR,  NÃO  DEIXES DE  ORAR,
DEUS NUNCA DEIXA DE TE AMAR "

(Kith McCletan  - no livro - A Beleza da Oração)

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

As Orquídeas, Plantas engenhosas



Orquídeas  do meu jardim a "espreitar" pela janela da casa.
 
Belas,  muito belas!
As Orquídeas, Plantas engenhosa

   As orquídeas são todas iguais?

«As orquídeas apresentam   desde configurações relativamente vulgares a formas extraordinárias, incluindo algumas flores fantasiosas que se assemelham a insectos, aves e partes do corpo humano. As suas cores variam do Púrpura a todas as cores do espectro (até o verde), incluindo também o branco. Existem  numerosas orquídeas salpicadas, listradas ou manchadas - padrões coloridos que orientam insectos para a parte da flor especificamente concebida para a polinização.
   Não obstante a sua variedade, todas as orquídeas têm flores com a mesma forma básica - três sépalas  semelhantes a  pétalas e três pétalas  verdadeiras, uma das quais consideravelmente diferente das restantes. Geralmente grande e vistosa, esta pétala distinta assume com frequência a forma de uma bolsa funda que exala um aroma que atrai os insectos. Outra característica comum ás flores das orquídeas é a coluna grossa que se projecta do centro da flor, composta  por partes reprodutivas masculinas e femininas fundidas.
  Graças ao engenho do homem ( bem  como à propensão da orquídea para apresentar formas híbridas), os floricultores têm conseguido milhares de variedades.

  (No livro - O ABC da Natuireza)