sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Por tantas que se abatem...é preciso continuar a semear Árvores

A folha verde, a folha seca, "o coraçãozinho" que protege a semente e que quando esta está desenvolvida e preparada para cair na terra e nascer, se abre ao vento e a semente voa, para a árvore se reproduzir algures por aí.
Ainda, o pratinho com as sementes, retintas de pretas, e  á mão de semear.
Cada um dos  meus oito  netos, já levou  a sua parte com o compromisso de as semear, com a ajuda dos pais.  Foram para vários lugares, alguns a  mais de cem kilometros daqui.Ainda sobraram muitas...tenho que ter o cuidado de quando sair por aí, fazer uma covinha no chão no local que considere adequado e enterrar umas três ou quatro em cada covinha. Poderei vê-las  crescer, ou talvez não, porém isso pouco importa, o que importa mesmo é SEMEAR.



Estas são as árvores de onde vieram as sementes. Delas, apenas sei que são lindas e vistosas. Não faço ideia qual é o seu nome nem o seu país de origem,  mas confesso que gostaria muito de saber. Já agora, se algum amigo que por aqui passe,  souber, eu ficaria grata se me dissesse.
Encontrei-as no parque infantil do Borel - Amadora, pertinho da "minha Igreja".

2 comentários:

manuel marques Arroz disse...

"É porque se espalha o grão que a semente acaba por encontrar um terreno fértil ."

Abraço.

Viviana disse...

Amigo Manuel

Bonito!

Gostei...e adequa-se mesmo!

Um abraço
Viviana