sábado, 3 de dezembro de 2016

EBENEZER - Até aqui me ajudou o Senhor

O Arco - íris visitou-me anteontem. Ficou viradinho para mim, diante desta minha janela.   
EBENEZER

 - Até aqui me ajudou o Senhor - 

Já vai longo o meu caminho.
Já  vou cá  diante, na curva da vida.
Não me sinto cansada, nem me falta "a energia" para continuar. 
Quanto mais vivo, mais gosto de viver.
Consoante os cabelos  embranquecem,  e as marcas do tempo vão surgindo no rosto...
parece que "mais apetitosa" é a caminhada.
Completaram-se ontem - 2 de Dezembro -  76 anos, sobre a minha chegada à  vida.
Olho para o caminho percorrido e  parece-me um sonho.
Reflicto sobre a riqueza e os tesouros preciosos que possuo e,
espanto-me como os fui conquistando, como os fui  granjeando, passo a passo,
dia -a - dia, prosseguindo, não perdendo tempo a olhar para trás.

E dou por mim a pensar:

Meu Deus!
Quanta coisa fiz...
Com quanta alegria e entusiasmo!
Dando-me inteira, o melhor de mim, aos outros.
Sem cansaço nem fadiga, sem indecisões ou paragens...
Sempre em frente!

E agora, que já vou cá adiante, e muitas coisas mudaram consoante o tempo passa por nós... e a vida tem as suas fases, naturalmente, como dizia a minha saudosa mãe: "Tudo tem o seu tempo",
me espanta, e me  interrogo, como tudo isso fluiu, como todo se encadeou e sucedeu, duma forma tão natural e tão espontânea.

Ah! é que eu tenho um segredo, uma explicação:

Sei que desde o primeiro momento,  do inicio da minha já longa vida, o Deus - Criador está comigo. Nascendo eu, de dois crentes fiéis, que tinham o Senhor como seu guia e Salvador, sei que  me  entregaram aos cuidados ternos e amorosos do Pai. Sei que acompanharam o meu desenvolvimento, em oração.
Sei também, que enquanto viveram, não passou  um só dia sem que me colocassem nos braços e aos cuidados do Senhor.
Sou levada a pensar, que ainda hoje, lá no céu onde habitam,  intercedem por mim.

 Ensinaram-me a conhecer e a amar a Deus.
Todos os dias, a Palavra Sagrada de Deus, era lida e explicada pelo pai ou pela mãe, nos cultos domésticos. Louvávamos o Senhor cantando lindos e inesquecíveis hinos do Cantor Cristão. Ainda hoje os sei de memória.

Daí, de tudo que atrás fica, bem cedo, conheci  Deus e aprendi a amá-lo, a segui-lo e a servi-lo.
Foi  a herança maior que os meus queridos pais me deixaram.
Para eles, assim como para mim, Deus é a melhor porção da nossa vida.
Como é bom caminhar de mão dada com ele!
Como é bom ter a certeza que ele nos ama, nos quer muito bem, nos encoraja, nos anima, nos alegra e nos faz verdadeiramente felizes!

Daí, a minha alegria e gosto de viver.

Como os meus pais fizeram comigo e com os meus irmãos, eu procurei fazer com os filhos e netos com que o Senhor enriqueceu a minha vida. 
Todos eles, conhecem e amam a Deus e   vão no caminho certo.

Então, eu digo , com a alma profundamente agradecida:

EBENEZER!

ATÉ AQUI ME AJUDOU O SENHOR!

SOLI DEO GLORI

4 comentários:

Manuela Pacheco disse...

Querida Viviana,
Desculpe esqueci-me, mas tudo de bom na sua vida edos seus.
Obrigado pela sua amizade e as suas grandes orações por mim!
Um abraço cheio de amor.
Manuela

Viviana disse...

Olá! querida Manuela

Não tem importância, boa amiga, não se preocupe.

A amizade é recíproca...logo, não tem que agradecer.

Quanto a orar por vós, faço-o com uma imensa alegria e satisfação.

O meu fraterno abraço para ambos

viviana

Rosa disse...

Olá Vivina.


É uma maravilha ler o seu testemunho, só pode ser de alguém que ama a vida, ama os seus... e ama o Senhor "Deus da vida"

Que assim possa continuar (com toda a alegria e entusiasmo) por muitos mais anos.

Que o Senhor lhe conceda tudo o que deseja, para si e para os seus (sei que também estou na lista)

Obrigada Viviana, por poder-mos fazer parte da sua vida.

Tudo de bom.

Abraços.

Orlando Arraz disse...

Parabéns, Sra. Viviane, e que nosso Deus continue seguindo à sua frente, como seguiu os israelitas no deserto, e deu-lhes vitória. Permaneça firme, constante e inabalável no Senhor, sabendo que o seu trabalho, no Senhor, não é vão. Abraços de seu irmão em Cristo, aqui do Brasil. Orlando Arraz Maz.