segunda-feira, 20 de julho de 2015

Um poema de Mário Dionísio

O poeta e escritor Mário Dionísio. Fonte da imagem: http://arpose.blogspot.pt

XVI

Vê-se agora melhor o mais distante

É lá que cintilam sentimentos
esquecidos
emergindo da noite como quem
de manso bate à porta
sem ninguém
que o espere

A sua hora
morta jaz e apodrecendo sob o musgo de idos
tempos

Mas da muita distância agora cintilante
um teimoso acordar se desenlaça vem
e como um vidro fere.

(Mário Dionísio - no livro - Terceira Idade.

3 comentários:

Fmaria Mesquita disse...

Um poema bonito Viviana. Como vai minha amiga? Beijinhos grandes

Viviana disse...

Olá, querida Fernanda

Que bom que veio até aqui!
Obrigada, boa amiga.

Desejo que tudo esteja bem consigo, com o Eduardo e com "os filhotes".

Um grande abraço
Viviana

dilita disse...

Triste, mas muito bonito.
Beijinho,
Dilita