sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Ciclames belos!  Foto pessoal.

«Gasta o amor às  mãos cheias!
O amor é o único tesouro
que se multiplica por divisão,
o único dom que aumenta
quanto mais dás:
Oferece amor, deita-o fora,
atira-o aos  quatro ventos,
esvazia os bolsos,
sacode o cesto,
vira o copo
e amanhã terás
muito mais.»
  (Anónimo)

2 comentários:

Ni Teixeira disse...

Lindíssimo e profundo este poema! Parece feito para mim! Beijinhos amiga

Viviana disse...

Olá, Ni

Todos nós, aqui em casa, o achámos muito belo e muito rico.

Obrigada por a visita, boa amiga

Um abracinho
viviana