segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Os morangueiros no meio do milho.


Imagem da net

Já lá vão mais de trinta anos, mas eu recordo-me tão bem... da plantação de morangueiros que o meu pai e a minha mãe faziam, no milheiral. Num e noutro lado dos regos de água para regar.

As plantas dos milhos eram bastante altas; lembro-me que a semente era escolhida com muito rigor para que resultasse bem.

Então, sendo altas, faziam uma boa sombra "coada", quer dizer, que coava os raios de sol, de modo a chegarem aos morangueiros muito menos fortes e escaldantes, que, juntamente com frescura da água que corria no rego, proporcionava o ambiente ideal para um bom desenvolvimento dos morangueiros e logo, uma excelente produção de morangos.

Eu já era casada, e vivia um pouco longe do local, mas ia com frequência visitar os meus pais, que muitas vezes quando eu chegava, andavam ambos a trabalhar na horta, onde eu ia ter, juntamente com o Jorge e os miúdos.
Quando aparecíamos, o pai e a mãe ficavam tão felizes, que largavam logo o que estavam a fazer, e depois dos beijos e dos abraços, levavam-nos ao o meio do milharal, onde com uma imensa ternura e carinho, apanhavam os melhores e mais lindos morangos para nos oferecerem.

Ou então incentivavam-nos a sermos nós a apanhá-los...o que fazíamos com imenso prazer.
Hoje, quando vejo morangos, vem sempre á minha lembrança esses episódios tão lindos...

Quanta recordação bonita! e quanta saudade! desse tempo lá atrás...que nos marcou e contribuiu para sermos hoje quem somos.

Ah! mas quanto eu agradeço a Deus por os pais maravilhosos que eu tive!

12 comentários:

Maria Emília disse...

Então, porque é que eu nunca comi desses morangos? Ou será que comi...?
Belíssimo fruto, que tem uma forte ligação a afectos; neste caso foram lembrados os queridos Nena e Zé. É sempre bom honrar e amar quem o merece.
Shalom!
Mimi

esperança disse...

Olá! bom dia!! Maninha muito querida e muito doce. Que o teu soninho tenha sido reparador e muito bom! Que as dores vão aliviando mais...e cada vez mais.............

Minha ternura, que bom foi logo de manhã lembrar os nossos queridos e saudosos pais, e aqueles tempos tão bons!!!...Deles e nosso.
Lembro-me dos morangueiros e tudo o mais naquela bela horta que era um jardim viçoso e colorido. Ali não faltava nada...Havia de tudo...até frutos, e belas flores.
Lembras-te do feijão verde? Tão viçoso, alguns tinham flores vermelhos, mas a maior parte era branca. Sabes que quando vejo um feijoal, penso no deles, e nunca, mas mesmo nunca, vi nenhum tão bonito!!!...Aquelas canas eram postas cruzadas e certinhas que mais pareciam uma obra de arte. Os nossos pais não se poupavam a trabalho...e Deus via e abençoava fazendo crescer e produzir as plantinhas.
Tenho que falar um pouco do milho doce que desde pequenas nos habituamos a comer em nossas casa, especialmente cozido, só uma espiga ou outra assado. Era semeado tão sabiamente que tinha-mas espigas tenrinhas durante muito tempo, pois havia milho em várias fases de crescimento, um a nascer, outro a ser colhido e quando acabava aquele havia já outro no ponto para colher. Lembras-te ? E da quantidade de batata doce que a nossa mãe tão bem assava ? E da fartura de amendoins...que a nossa mãe torrava no ponto. Naquele tempo, em Portugal ninguém semeava amendoins, nem comiam paneladas de milho verde cozido. Até o J. Pedro aprendeu a gostar de milho verde, quando me conheceu, e ia lá a casa. Muito gostava ele de ir para a horta com o nosso pia.
Desculpa escrever tanto! havia ainda muito pano para mangas..........
Beijinhos e um dia bom
Esp

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA VIVIANA, DELICIOSO O TEU TEXTO... BELAS RECORDAÇÕES... ADOREI!!!
ABRAÇO-TE COM CARINHO,
FERNANDINHA

Ao toque do amor disse...

Oi,mocinha..tudo bem por ai?????
beijos minha linda

renato disse...

Olá Viviana!

E depois não há ninguém melhor no mundo do que os nossos Pais.

São recordações como esta, que, também, nos ajuda a manter o amor pelos outros e sobretudo tentar ensinar aos outros a educação que nos deram.

Muito bem Viviana, belissimo texto.

Um grande abraço,

Renato Oliveira

Viviana disse...

Querida Mimi

Olhe que eu não sei!

Não recordo...

Como a época dos morangos é curta, não sei se foi por isso.

Mas é uma boa pergunta.

Um abraço grande para quem hoje "é pequenina

viviana

Viviana disse...

Olá minhalinda maninha Esperança

Como tu te lembras tão bem de tudo quanto havia na horta!?

Era na verdade um jardim.

Quanto os nossos pais ali trabalharam!?

Mas valeu a pena.

Além d usufruirmos dos produtos, marcou-nos como exemplo.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Olá querida Fernandinha

Poetisa linda

Já tinha saudades!

Espero que tenha tido umas boas férias.

Obrigada por o carinho e amizade.

um abraço

viviana

Viviana disse...

Sandrinhaquerida

Olá!

A minha saúde não está muito bem...

mas com a ajuda de Deus vou caminhando.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Olá Renato, mreu bom amigo

Tem razão.

"Não há ninguem no mundo melhor que os nossos pais."

Ditosos aqueles que os souberam estimar, acarinhar e lemrar.

Um abraço
viviana

Jacira mavignier disse...

Oi, Viviana!

Lembro-me também, da plantação de milhos de meu avô. Os milharais são belos aos olhos. As espigas graúdas e bonitas, que saudades...

Nunca vi de perto uma plantação de morangos, mas imagino a beleza!!
Morangos são frutas lindas, maravilhas de Deus.
Esta foto mostra bem o lindo morango!
Mais belo que muita flor!

Mais belo ainda é o amor de nossos
pais, que, por quantas vezes não
os tenhamos entendido, sua sabedoria nos conduziu, nos alertou
e nos livrou de tantos males...

Beijos

Viviana disse...

Querida Jacira

Então sabe como é belo um milharal!

Quanto aos morangos, como aqui em Portugal temos um bom clima, há por todo o país muitas, muitas plantações.

E não são caros.

Mas é como a minha linda amiga diz,

"mais belo é o amor dos nossos pais".

È mesmo.

Um abraço e uma boa noite de descanso

Viviana