terça-feira, 18 de agosto de 2009

Um homem exemplar - o Dr. Fernando Nobre.


O Dr. Fernando Nobre recebendo flores
numa escola onde foi falar do seu trabalho.

Acabei de assistir na Televisão, a uma entrevista ao Dr. Fernando Nobre, dirigente da A.M.I. - Assistência Médica Internacional - ou seja, a versão Portuguesa dos Médicos sem Fronteiras.

Este Homem de 57 anos (intuítivamente escrevi Homem com letra grande! e vou deixar ficar, porque é verdade a cem por cento... corresponde) mas dizia eu, este Homem de 57 anos, Cirurgião Geral, com a especialidade em Urologia, conhece todos os países do mundo excepto a Birmânia.
Esteve em Acções Humanitárias em muitos, muitos países.
Foi um delicia ouvi-lo contar acerca da sua pessoa, da sua família, do seu trabalho e da sua vida.
Extraordinário!
A certa altura, o entrevistador confrontou-o com o facto de ele chamar "filhos" a todas as crianças e jovens; ao que ele respondeu que sim, que chama, que olha para eles como se fossem os seus próprios filhos! Tem quatro.
Contou, que logo a seguir á queda do Presidente da Roménia, Ceausescu, estava em missão num derminado lugar na Roménia, e olhando para uma porta, viu entrar duas crianças pequenas, irmãos, um menino e uma menina, loirinhos e de olhos verdes, como os seus filhos, de mão dada e famintos, que lhe pareceram os seus dois filhos mais novos.
Então pensou que os seus filhos poderiam ter tido a triste sorte de terem nascido num país governado por um louco como na Roménia.

Abro aqui um parêntesi só para dizer que não me surpreendi assim tanto por o Dr. Fernando Nobre chamar filhos a todas as crianças e jovens.
Também eu tenho esse hábito.
Já há muito, muito tempo que o faço.
Um dia, quando em serviço de Enfermagem me dirigi a um Bairro de lata (favela) na Amadora, vieram ter comigo duas crianças; vinham sempre muitas crianças ter com as enfermeiras de saúde pública que visitavam o bairro. A maior parte deles já eram nossos amigos, pois tantas vezes íamos ali.
Eles rodearam-nos e eu tratei-os por filhos, ao que um deles me respondeu:
"Você chamou-me filho? Disse que eu era seu filho?"
Eu disse: Sim, chamei-te filho porque gosto muito de ti e quero-te muito bem.
Ele respondeu: "Eu gostava que você fosse minha mãe."
Nunca mais me esqueci disto.

Voltando agora ao Dr. Fernando Nobre:
Inquirido sobre se se costuma emocionar com as situações que encontra nas suas missões, respondeu que não, que aí actua com toda a determinação, pois está muitas vezes em causa slvar vidas.
Mas disse que se emociona com facilidade, como por exemplo ao ver certas cenas de determinados filmes.
Foi o caso de um flme chamado "Àrvore de Natal"...
E quando começou a contar a história do filme, as lágrimas vieram-lhe imediatamente aos olhos e escorreram pela face.

Eu ontem vi o Dr. Fernando Nobre chorar...

Agora aqui entro eu outra vez:
Eu fui sempre muito emotiva; mas agora, talvez por a idade, por tantas experiências vividas, ou por um outro motivo qualquer, emociono-me muito mais .
Eu choro com muita facilidade.
Choro quando converso com o meu Deus.
Choro ao cantar-lhe um hino de louvor, pois canto com a alma.
Choro ao ver certas cenas de determindos filmes.
Choro ao fazer certas leituras, como aconteceu hoje ao ler um post da minha querida amiga Alice.
Choro ao contemplar um lindo pôr- do - sol, num entardecer.
Choro ao olhar uma flor, uma árvore, uma paisagem.
Choro quando olho para dentro de certas pessoas e vejo tanta beleza de caracter, tanta bondade, tanta sensibilidade.
Choro quando depois de ter tido a casa cheia de filhos e netos, e de cozinhar os melhores pratos e fazer um doce, e um bolo, para ter o prazer de os ver comer com tanta satisfação, e chega a hora de se irem embora, eles despedem-se, descem as escadas, entram nos carros e viajam para as suas casas, e eu olho sempre da mesma janela, que é esta aqui ao lado, e daqui de cima aceno-lhes e eles olham cá para cima e agradecem, agradecem, e mandam beijos para mim, e quando os carros arrancam e eles rumam para as suas casas, eu posso ver as mãozitas deles a fazerem-me adeus até que os carros desaparecem ao fundo da rua.
Aí, eu já estou cheia de saudades!
E choro.
E eles sabem que eu choro.
Antigamente, quando me emocionava e chorava, eu tentava difarçar, esconder, pois sabia que as pessoas não me comprendiam.
Agora, de há um certo tempo para cá, não me preocupo mínimamente que alguem me veja chorar, ou até de vos contar eu própria que choro.
Acho que é tão natural! Tão humano! tão próprio de quem tem sensibilidade!
Eu até gostava, porque creio que este nosso triste e desumano mundo, beneficiaria com isso, que houvesse por aí muitos Fernandos Nobres a chamar as crianças e jovens de filhos, e os homens e mulheres, sempre, de amigos, e a emocionar-se e chorar, pois creio que muito sofrimento seria minorado.
E sabem que mais?

Façam o favor de não ter vergonha de chorar porque chorar é humano.

12 comentários:

Anita disse...

Querida amiga desejo-lhe uma semana abençoada, repleta de realizações, novos sonhos e muito amor.
Que as bençãos divinas desçam sobre o seu coração e que os nossos laços de amizade se tornem cada dia mais fortes.
Deus abençoe a sua vida hoje e sempre!!!

Viviana lindo post.
Eu admiro muito o trabalho do Dr. Fernando Nobre e da organização AMI.
É um trabalho de tanto, tanto valor mas que penso que a maioria das pessoas nem se dá conta de quão importante ele é.
Que Deus possa levantar mais Drs. Fernandos Nobres por este país e pelo mundo inteiro de modo a minimizar o sofrimento de muitos povos.

Beijos.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

renato disse...

Olá Viviana!

Se existem Homens que merecem todas as homenagens do mundo, o Dr.Fernando Nobre, é sem qualquer margem de dúvida um deles!

Por isso não podia deixar de dar os parabéns à Viviana pelo tributo, simbólico é certo mas de um profundo sentido e merecido respeito e valor pelas acções que tem e continuará a fazer!

A A.M.I. é uma instituição de muito valor, que presta assistência, não só em Portugal mas também em todo o mundo!

Um exemplo que muitos deveriam seguir para tornar este mundo melhor.

Um abraço,

Renato

Viviana disse...

Querida Anita

A! quanto valem para mim...essas frases lindas e tão carinhosas que hoje aqui deixou!
São preciosidades.

Concordo consigo totalmemte...

"Que Deus possa levantar mais Drs. Fernandos Nobres por este país e pelo mundo inteiro de modo a minimizar o sofrimento de muitos povos."


Um grande abraço

viviana

Viviana disse...

Olá Renato, meu bom amigo

Obrigada pelas suas palavras.
Na verdade, temos que nos curvar humildemente diante da grandeza deste homem que é um exemplo a seguir.

Um abraço

viviana

carmen disse...

Linda homenagem a este médico, nobre não só no nome!!!

Acho lindo ver como uma pessoa se gasta na tentativa de ajudar a outros, tentando minorar o sofrimento alheio...

bjs

Viviana disse...

Querida Carmen

Há pessoas que nascem para fazer o bem.

Como o Dr. Fernando Nobre.

Um beijo

viviana

Jacira mavignier disse...

Oi, Viviana!

Não conhecia o Dr. Fernando Nobre, porém, ele é digno de ser apresentado, como um dos benfeitores mundiais à "Ordem de Melquisedeque", uma coluna do site do Rev. Caio Fábio, não sei se você conhece.

É uma coluna que apresenta pessoas que ajudaram a transformar o mundo!! Vale a pena, Viviana! Você que tem Blog e tem facilidades na Net pode apresentá-lo lá. Basta mandar um E-mail, falando de sua vida e trabalho.

Já li muito sobre a Romênia depois da queda de Nicolau Ceausescu. Li sobre os orfanatos de Unguremi, onde crianças que nasciam defeituosas, eram proibidas de ficar com suas famílias, e eram encaminhadas para lá. Muitas cresceram, dormiam em berços e nunca tinham visto a luz do sol!


Raul Solnado dizia: "Façam o favor de ser felizes", e você nos diz: "Façam o favor de não ter vergonha de chorar, porque chorar é humano", pode deixar.

Sou uma chorona de primeira, e também, já não escondo mais minhas lágrimas...

Beijos

Viviana disse...

Querida Jacira

Obrigada por o seu inspirador comentário, amiga.

Conheço o Rev. Caio Fábio, mas não muito bem.

Já li algumas coisas sobre ele, há algum tempo atrás.

Sei que ele tem coisas lindas...

Irei á descoberta desse site de que me fala.

No que ao Dr. Fernando Nobre diz respeito,a sua vida é mesmo uma inspiração.

A! mas ele é tão feliz fazendo o que faz!

Creio poder dizer que ele é uma madre Teresa masculino.

Sabe que não há canto do mundo onde haja guerras e conflitos e, miséria e sofrimento que ele não tenha lá estado?

Apenas não esteve na Birmânis, e creio que por não poder lá entrar.

Então já somos duas choronas!

Que giro!

Amiga, bem vinda ao grupo.

Que Deus a abençoe e dirija

O meu grande abraço

viviana

Ao toque do Amor disse...

OI, Viviana...vim te oferecer o selo seu blog tem carinho e cafune´e deixar um beijinho bem gostoso e apertado.

Viviana disse...

Querida Sandrinha

Então, mais uma gentileza da sua parte...

Obrigada,amiga linda.
Logo, logo irei buscà-lo.
Um beijo

viviana

o.almeida silva disse...

hoje como se o tempo não tivesse passado, me lembrei dos poemas lidos na minha adolescência,e disse á laia de dialogo comigo mesmo, Orlando tu que tiveste uma nova oportunidade na vida, deixa como alegre legado, os poemas desse bom amigo, e filho de Jesus, Julio Roberto, aquele que me fazia ir de alcântara á baixa comprar alegremente, com o pouco dinheiro que havia, a mensagem de Jesus nas suas singelas palavras, mas que fizeram de mim que eu sou Hoje,acordei cedo dei um beijo na minha amada mulher e filha, e vim célere para esta máquina, e vim em busca de novo do lenitivo que colhia nas palavras deste homem que ,me mostrou, que o amor está acima de tudo.

OBRIGADO JESUS PELA EXISTÊNCIA DESTE AMIGO

Viviana disse...

Olá, Orlando

Foi bom saber que conhece e aprecia a importante obra do Dr. Julio Roberto.
Foi meu professor num curso de especialização em Enfermagem de Saúde Pública, há cercade 40 anos.
Um homem de uma beleza interior extraordinária.
Há muitos, muitos anos que não sabia nada acerca dele.
Felizmente, hoje consegui saber notícias pela esposa. Ele está acamado encontrando-se num grande estado de fraqueza.Tem dificuldade em conhecer as pessoas.
Fiquei triste por isso, mas fiquei ao mesmo tempo contente por saber que ele ainda vive.

Eu devo-lhe muito!
Aprendi muitas coisas com ele.
Digo como o Orlando:

"OBRIGADO JESUS PELA EXISTÊNCIA DESTE AMIGO"

Um grande abraço
Viviana