sábado, 12 de dezembro de 2009

Foi decisivo ser crente em Jesus


As minhas chaves - é minha a imagem

Ontem, aconteceu-me uma coisa que já aconteceu a toda a gente... ou, a quase toda gente: perdi o meu molho de chaves.
Fui á casa da aldeia, abri a porta, fechei a porta, lembro-me de entrar no carro com as chaves na mão, mas quando saí do carro verifiquei uns passos adiante, que não as tinha comigo.
Como viagei no carro da minha irmã Teresa, pensei que elas tivessem ficado caídas no chão junto ao assento. Nesse sentido, telefonei-lhe a pedir-lhe o favor de fazer a verificação que revelou que as chaves não estava no carro.
Bom, pensei que talvez elas tivessem ficado na porta da casa, ou tivessem caído entre a porta e o carro, e por isso fui de novo á aldeia confirmar, mas não, não estavam lá.
Fiquei preocupada, mas fui optimista pensando que elas iriam aparecer.
Hoje demanhã, alguém tocou á campaínha, e o Jorge foi á janela ver quem era (por uma questão de segurança não abrimos a porta a desconhecidos).
Verificou que era a minha amiga e irmã em Cristo, Luisa, da Assembleia de Deus, que mora no prédio ao lado, e de quem sou grande amiga.
Ela perguntou se tínhamos perdido algumas chaves.
Como eu estava a tomar banho foi o Jorge que desceu a escada e foi á rua lá abaixo, falar com ela.
Então a Luisa contou o seguinte:
Alguém daqui da rua, encontrou as chaves caídas no chão, e como olhando a fita onde estavam penduradas, reparou que estava escrito: "Jesus te ama" e tinha o símbolo cristão do peixinho, pensou que possívelmente seriam da Luisa, pois só ela provávelmente usaria uma fita com aquelas palavras e aquele símbolo, e foi colocar o molho das chaves junto á caixa de correio da Luisa.
Porém a Luisa, percebendo a intenção da pessoa que ali as colocou, lembrou-se que poderiam ser minhas, porque achou que além dela, só eu certamente usaria uma fita com aquelas características.
Pois na nossa rua, só nós duas é que somos crentes evangélicas...
Daí, ela vir perguntar se as chaves eram minhas.
Claro que eram .
Imaginam como fiquei contente! Contente não só por as recuperar, ms tambem pela forma como isso aconteceu, pois percebi que a minha identificação com o peixinho e o "Jesus te ama", foi decisivo para a resolução deste problema.
Concluí, que o meu Deus, que se preocupa comigo e que muito me ama, usou uma pessoa que conhecia a Luisa, como crente, e que, por sua vez Deus usou a Luisa que me conhecia, para resolver o meu problema e dar-me aquele descanso e alegria de ter as minhas chaves novamente.
È preciso dizer que na minha rua passam dezenas e dezenas de pessoas por dia, sobretudo crianças e professores da escola que fica aqui mesmo ao lado, que estacionam aqui os seus carros.
Eu sei que podem até achar que foi mera casualidade, que Deus não interferiu aqui, mas para mim não é assim. Foi o dedinho de Deus a ajudar-me!
Não há nenhuma área da nossa vida por mais insignificante que seja, onde Deus não possa e não queira actuar para nos abençoar. Essa é a minha experiência.
Ele, é não só o Deus - Criador e sustentador de tudo quanto existe, o Senhor dos planetas, do universo, dos mares e dos ventos... como o Deus das coisas pequenas, como os grãos de areia, as formigas e os cabelos da nossa cabeça.
E por isso faço questão de dar aqui este meu testemunho.
Vejam, como apenas uma simples fita com as chaves, pode dizer aos outros que eu sou de Cristo.
Eu nunca imaginaria isso.
Agora percebo porque alguém se lembrou de fazê-las...
Tenho pelo menos mais duas gurdadas; estou a pensar oferecê-las a algum amigo ou amiga, crente.
Quem sabe? para além do valor do testemunho cristão, poderão vir a ser muito úteis!
Esta foi apenas uma, das milhares ou milhões de formas, que o meu Senhor tem de me abençoar.
Por isso, eu lhe digo com o coração totalmente agradecido:
Obrigada, muito obrigada meu Senhor!

16 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Deus é fiel.

Fim de semana de luz amiga.

beijooo.

esperança disse...

Olá! bom dia!! Maninha querida.

Que maçada, teres perdido as chaves, e que trabalheira e tempo gasto a ir à aldeia outra vez.
Quero dizer-te que foi maravilhoso as chaves aparecerem, e da maneira que nos contas; como sabes: penso com certeza absoluta que nada acontece por acaso, tudo tem um fim; quanto a este: o fim deste caso, Foi. dares testemunho dele no teu cantinho, e como os desígnios de Deus são insondável?!?!

Vou agora ao Colombo, já ontem por lá andei.
Tem, tenhamos todos um bom resto de dia
Esperança

Licas disse...

Querida Viviana
Tenho sentido a tua ausência!

Deus está em toda a parte e ama aqueles que lhe são fiéis, quer pertençam a uma ou outra religião, mas desde que transmitam de qualquer forma as suas escolhas e as vivam em plenitude.
Em mim não encontrariam a fita vermelha, mas certamente Deus indicar-lhes-ia o Caminho.

Vive na Fé e na Esperança este fim de semana

Um beijinho
Licas

renato disse...

Olá, Viviana!

E devemos agradecer a Jesus, porque nos deu a ler uma crónica muito linda!

Ainda por cima são uma fitas muito belas "Azuis"!

E, obviamente,que as coisas não acontecem por acaso, porque existem "mistérios" que ultrapassam a mente do ser Humano!

Tenha uma bela noite de paz e serenidade!

Um abraço do amigo portuense "tripeiro"!

Renato

Maria Emília disse...

Boa! Podia até ser que as chaves não aparecessem mais, mas a forma como se deu o regresso é, sem dúvida para registar.
É interessante, como uma coisa tão simples pode ser veículo de testemunho. Quem sabe se a esta altura quem achou as chaves não se está a questionar sobre esse Deus que o ama.
O meu porta-chaves também me denuncia como filha de Deus...
Beijos,
Mimi

Viviana disse...

Olá Ana linda

Sim, minha boa amiga.

DEUS é mesmo Fiel!

Que bom que assim é.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Olá minha linda maninha Esperança

Na verdade foi um tanto maçador...

Mas o final foi lindo e muito feliz!

Eu alegro-me por isso.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Querida Isabel

Quanta saudade, amiga!

È muito agradável encontrá-la aqui de novo.

Tem razão.

Deus está com aqueles que o amam e o reverenciam, sejam lá quem fôr...

Um grande abraço

viviana

Viviana disse...

Olá Renato, meeu bom amigo "tripeiro"

Fico contente que tenha apreciado o post.

Não resisti a escrever sobre o assunto em questão.

Senti-o profundamente.

Desejo-lhe uma tranquila noite de repouso.

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Querida Mimi

Minha boa amiga e comadre

São coisas do dia a dia, simples e sem grande relevância, mas que nos dão que pensar e na verdade nos mostram o quanto o nosso Deus se preocupa com cada um de nós.

Um beijo

Viviana

P.S. - Já agora - como é que é o seu porta - chaves?

gaivota disse...

que bom as chaves terem aparecido! perder alguma coisa é sempre terrível e certamente quem as encontrou sentiu a mensagem de Jesus!
beijinhos

Pedro Leal disse...

Realmente, como diz a Mimi, não é tanto o facto das chaves terem sido recuperadas mas, sobretudo, a forma como o foram. Quem não crê acha que é coindidência, quem crê encontra uma lógica que dá um sentido mais profundo ao episódio. Acontece frequentemente na vida do cristão, não é?

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Querida amiga!!!

Também sou cristã por crer em Cristo,como o filho de Deus,apesar de professar outra religião,mas como você creio que Ele,sempre,arruma um jeito de atender nossas aflições,por menos importantes que possam parecer a terceiros!!!

Nada passa por Ele casualmente,tudo é importante para acalmar os seus filhos!

Um beijo!

Sonia Regina.

Viviana disse...

Olá Gaivota linda

È verdade!

Que bom que apareceram...

E a forma como apareceram impressionou-me.

Um beijo

Uma boa noite

Viviana

Viviana disse...

Olá meu lindo filhote

Acontece sim...muitas vezes na vida do cristão.

Desta vez foram as chaves..de outras, foram as coisas mais inimagináveis!

Um beijinho e uma boa noite para toda essa gente linda dessa família.

mãe

Viviana disse...

Querida Sónia

Eu sei que a minha linda amiga é uma mulher de fé.

O facto de ter outra religião não conta mesmo nada, sabia?

Quando o senhor nos chamar á sua presença Ele não vai perguntar qual era a nossa religião.

Ele vai interrogar-nos sobre o que fizemos do seu Amor e da vinda do seu filho, para nos substituir na cruz do Calvário.

E o que fizemos com a vida que Ele nos deu...

Um beijo

viviana