segunda-feira, 7 de junho de 2010

Briza máxima ou bole-bole maior


Briza máxima ou Bole-bole maior, já seca. Imagem da net.


Ainda verde.

Era criança quando descobri, meia deslumbrada, uma plantinha que nasce espontânea á beira dos caminhos, nos prados, e terrenos não cultivados. Recordo-me que lhe chamei "Sapatinhos de nossa Senhora", não sei bem porquê, mas tenho uma vaga ideia de que foi assim que uma outra criança lhe chamou.
Pela vida fora foi esse nome que ficou para mim, mas o que é certo é que nunca mais ouvi ninguém pronunciar esse nome, referindo-se a ela.
Só agora é que vim a saber, por simples acaso, o seu verdadeiro nome: Briza máxima ou bole-bole maior.
Ao nascer, parece uma ervinha comum, porém cedo começa a desenvolver uma haste comprida onde irão aparecer e crescer as sementes, que têm um aspecto muio gracioso. São muio leves e por isso normalmente baloiçam, baloiçam, á passagem da mais leve brisa.
Nascem na primavera, estão no seu auge em Maio, e secam em Junho.
Todos os anos nesta altura, sempre colho um raminho delas, que coloco numa pequena jarra, onde ficam até ao ano seguinte, quando são substituídas por outro raminho.
Claro que não precisam de água pois já estão secas, mas, se as quiser colher verdes, ainda, ainda assim não necessitam de água pois a finalidade é mantê-las secas.
Acabei de colher o meu ramo deste ano. Coloquei-o numa pequena jarra de loiça, que está a alegrar um recanto da sala, numa prateleira de uma estante.
Se por acaso sair a dar um passeio pelo campo, vai concerteza encontrá-las, pois nesta altura abundam por aí.Experimente a colher um raminho, vai ver que fica muito bonitinho e vai gostar. Fica bem junto de livros ou mesmo junto de umas molduras com fotografias.

Aproveito para dar algumas informações sobre esta interessante plantinha:

Briza Máxima ou bole- bole maior.

«Esta planta, com o nome científico de Briza maxima L., é originária da zona mediterrânica e Açores e surge espontaneamente em Portugal, onde é conhecida pelos nomes comuns de Bole-bole-maior, Bole-bole, Abelhinhas,Bule-bule, Bule-bule-grado, Chocalheira-maior, além de outros, tendo o seu habitat terrenos incultos, matagais e matos.
Classificação: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Liliopsida; Subclasse: Commelinidae; Ordem: Poales; Família: Poaceae; Género: Briza»

8 comentários:

Anita disse...

Que posso desejar para a sua vida???
Que as amizades verdadeiras continuem eternas... Que as lágrimas sejam poucas e compartilhadas... Que as alegrias estejam sempre presente... Que os anjos sempre a guardem e Deus a abençoe hoje e sempre...

Viviana querida como passei a olhar para esta planta de outra maneira, aqui na quinta temos "paletes", "resmas" delas que chega mesmo a aborrecer de tantas que são, mas agora que fiquei a saber mais vou olhar para elas de outra forma. Obrigado.

Um inicio de semana maravilhoso.
Beijinhos.
fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

Rosa disse...

Olá Viviana
São simpáticas sim essas plantinhas.
Eu chamo-lhes, sininhos.
Estou a ver a jarrinha de loiça (pequenina) onde a Viviana as colocou :))

Desejos de uma tranquila tarde.
Beijos

manuel marques disse...

Bonito texto.

Beijo e boa semana.

Viviana disse...

Querida Anita
Sempre, sempre, desejos seus, muito lindos para mim!

"Que as amizades verdadeiras continuem eternas... Que as lágrimas sejam poucas e compartilhadas... Que as alegrias estejam sempre presente... Que os anjos sempre a guardem e Deus a abençoe hoje e sempre..."
Obrigada, de coração.

Que engraçadp!

A Briza máxima vai ficar toda contente, por a Anita passar a olhá-la de outra maneira!

Um grande abraço, amiga linda

viviana

Viviana disse...

Querida Rosa

Pois é...

A Rosa viu!

Lá estão e lá continuarão até para o ano!

Enfim...

Coisas á maneira da Vivina!

Um beijo boa amiga

viviana

Viviana disse...

Olá Manuel

Vai saindo á medida que vou escrevendo...

Coisinhas muito simples.

Obrigada pelo apreço.

Um beijo

viviana

carmen disse...

Que lidas flores!

Aqui no Brasil nunca vi alguma parecida... linda!

bjs

Lilazdavioleta disse...

Viviana ,
também , tenho paixão por esta plantinha .
Tem aspecto frágil , mas o caule tem uma certa resistência , como convém a quem vive nas bordas dos caminhos .
Há uma espécie muito pequenina , que é uma delícia .

Um beijo ,
Maria