quarta-feira, 10 de abril de 2013

"Nobel da Arquitectura Paisagista", para o Arquitecto Português Gonçalo Ribeiro Telles

  O Arquitecto  Paisagista  Gonçalo Ribeiro Telles. Fonte da imagem: oplanetaquetemos.blogspot.com


Estou muito contente.

O dia de hoje começou para mim com uma excelente notícia:

«O arquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles foi esta quarta-feira distinguido com o "Nobel" da Arquitectura Paisagista, o Prémio Sir Geoffrey Jellicoe, atribuído em Auckland, na Nova Zelândia, pela federação internacional do sector, revelou à agência Lusa fonte ligada à organização.
De acordo com a Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas (APAP), o galardão foi anunciado esta quarta-feira, durante a realização do congresso, em Auckland, da Federação Internacional dos Arquitectos Paisagistas (IFLA).
O prémio tem como objectivo “reconhecer um arquitecto paisagista cuja obra e contribuições ao longo da vida tenham tido um impacto incomparável e duradoiro no bem-estar da sociedade e do ambiente e na promoção da profissão”.
A entrega do prémio acontece esta quarta-feira durante uma sessão do congresso, ao arquitecto paisagista Miguel Braula Reis, presidente da APAP, que o recebe em representação de Gonçalo Ribeiro Telles.
Braula Reis fará ainda a leitura de uma conferência da autoria do premiado e será exibido um vídeo, com uma mensagem de agradecimento de Ribeiro Telles.
O Prémio IFLA Sir Geoffrey Jellicoe foi criado em 2004, e o primeiro galardoado, no ano seguinte, foi o arquitecto PeteWalker, dos Estados Unidos, seguindo-se, em 2009, Bernard Lassus, de França. Em 2011 foi distinguida Cornelia Hahn Oberlander, do Canadá, e, em 2012, Mihaly Mocsenyi, da Hungria.
Este galardão, considerado o “Nobel” da arquitectura paisagista, que tem paralelo no Prémio Pritzker de arquitectura, comemora a contribuição extraordinária para a IFLA do arquitecto paisagista britânico Sir Geoffrey Jellicoe (1900-1996), fundador daquela federação internacional.
Para a APAP, Gonçalo Ribeiro Telles “é premiado por uma excepcional carreira de setenta anos, poucos meses depois de ver garantida a continuidade do corredor verde de Lisboa, uma ideia que lançou em 1968”.
O júri do prémio inclui arquitectos paisagistas das quatro regiões da IFLA, “que representam o âmbito académico, a prática pública e privada, e possuem um profundo conhecimento da profissão, dos seus profissionais-chave e da prática internacional”.
Nascido em Lisboa, a 25 de Maio de 1922, Gonçalo Pereira Ribeiro Telles licenciou-se em Engenharia Agrónoma e formou-se em Arquitectura Paisagista, no Instituto Superior de Agronomia, na capital portuguesa, onde iniciou a vida profissional como assistente e discípulo de Francisco Caldeira Cabral, pioneiro da disciplina em Portugal, no século XX.
São da autoria de Ribeiro Telles, entre outros projectos, o Corredor Verde de Monsanto e a integração da zona ribeirinha oriental e ocidental, na Estrutura Verde Principal de Lisboa.
Gonçalo Ribeiro Telles também é autor dos jardins da sede da Fundação Calouste Gulbenkian, que assinou com António Viana Barreto (Prémio Valmor de 1975), e dos projectos do Vale de Alcântara e da Radial de Benfica, do Vale de Chelas, e do Parque Periférico, entre outros.»

 (http://www.publico.pt/)

Para compreenderem bem  o motivo deste meu regozijo, tenho que vos dizer que este Senhor, é uma pessoa admirável nas várias facetas da sua personalidade, bem como no seu percurso de vida. Guardo dele, há várias dezenas de anos, uma boa e linda memória. Um dos meus grandes sonhos era poder encontrar-me pessoalmente com eleAinda tenho esperança que isso aconteça.

Mas, para além de eu ter dele uma uma boa e linda memória, há um outro aspecto que me faz admirá-lo tanto e querer-lhe tão bem.
É que é ele,  o autor do projecto arquitectónico, deste meu amado e querido Bairro de Mira-Sintra, "Um Bairro Sustentável" e, segundo as palavras do meu estimado amigo Dr. Rui Pinto, Presidente da Junta de Freguesia de Mira-Sintra, um dos melhores Bairros Habitacionais da Europa.

A disposicão das casas: Todas apanham sol; os espaços entre elas: Amplos e agradáveis; os jardins e zonas verdes, que para mim são maravilhosos; as infra-estruturas e zonas de lazer; enfim, tudo está no lugar certo e tudo é conforto e bem-estar. Para provar o que digo, posso contar-vos que há cerca de 6/8 anos atrás, veio morar para o rés-do-chão do meu prédio, um médico e delegado de saúde  que vinha da Beira-Alta e uma vez aqui instalado disse-me: "Sabe como é que eu chamo a este Bairro? - "A minha Aldeia de Chocolate".



 

É uma pequena amostra.

Muitos Parabéns, senhor Arquitecto Gonçalo Ribeiro Teles.
O prémio é mais que merecido.

Obrigada, muito obrigada, por toda a sua obra e por ser a pessoa encantadora que é. Que possa alegrar-se  e fazer ainda  - nos mais de 90 anos  de vida - muitas coisas bonitas e úteis.

4 comentários:

Rosa disse...

Olá Viviana.

A minha admiração, também, para o Arquitecto Ribeiro Telles.
As suas obras vão falando por ele.

Que o Senhor lhe conceda, ainda, alguns anos mais para continuar a embelezar este nosso país.

Já conheço alguns espaços em Mira-Sintra, e realmente são como descreve, bonitos e agradáveis.

Ó Viviana, amiga, não me leve a mal, mas (O meu) espaço, entre o rio Águeda e o Vouga e não tendo paisagista na sua arquitectura é de uma beleza fabulosa, muito verde, muito bonito e encantador :))

Viviana,beijos e o desejo de uma tarde tranquila, talvez em casa, porque se estiver como aqui não dá para sair com o mau tempo.

manuel marques Arroz disse...

Parabéns ao arquitecto Ribeiro Telles.

Beijo.

Viviana disse...

Querida Rosa

Eu faço ideia de como será linda essa zona onde a amiga vive!

Um beijo

Viviana

Viviana disse...

Olá meu caro Manuel

Obrigada!

O meu abraço
Viviana