quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Estou contente! Já não vão matar os melros!




O melro - Turdus merula

Apetece-me sair por aí, por os jardins, por os parques e pelos prados, e, a saltar e a correr, de braços no ar e cabelos ao vento, banhada por este sol, acariciada por esta luminosidade sem igual de Mira-Sintra, debaixo deste tecto azul de anil, gritar a plenos pulmões, convocar todos os meus amigos melros com quem me cruzo a cada instante, quando saio por aí para desfrutar desta magnífica natureza, pensada e criada por o Senhor Deus para me alegrar, convocá-los para nos juntarmos naquela esplêndida clareira, junto ao rio, para saudarmos e festejarmos a sábia e nobre decisão da senhora Ministra da Agricultura, do Mar, das Pescas e do Ambiente, Assunção Cristas, e do seu Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Dr. Daniel Campelo, de revogar a recente legislação do anterior Ministro da Agricultura do Governo Socialista, que, incluiu o Melro nas espécies cinegéticas, tornando o seu abate possível, a partir do início do próximo mês de Novembro, não só permitindo a sua morte como tornando possível a cada caçador matar até 40 melros por dia! Imagine-se os milhares de caçadores que existem no país... só a Fencaça tem 100.000 associados... o que permitiria matar 4.000 melros por dia!Praticamente levaria á extinção destas aves tão bonitas, tão graciosas e tão amigas dos homens.
No despacho, diz o Sr. Secretário de Estado Daniel Campelo:

“O melro nem sequer é uma questão para os caçadores que não fazem questão de o caçar. Acho que não fazia sentido manter esta ave na lista de espécies a caçar”, salientou ontem Daniel Campelo aos jornalistas, à margem de uma visita ao Parque Natural do Douro Internacional e citado pela agência Lusa. O governante acrescentou que quem fez a proposta pensou apenas “num lado do problema”.

A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (Spea) contestou a possibilidade de caça ao melro e no início de Julho reuniu as suas razões numa carta que enviou à ministra com a pasta do Ambiente, Assunção Cristas.

A Federação Portuguesa da Caça (Fencaça) considerou que a permissão de caça a esta ave interessava mais aos agricultores do que aos caçadores, já que o aumento da população de melros em Portugal estará a causar estragos sobretudo ao nível de culturas como morangos, cerejas ou uvas. Jacinto Amaro, presidente da federação – que representa cem mil caçadores - disse recentemente ao PÚBLICO que “os caçadores não pediram a caça ao melro, é uma espécie que não tem aptidão nenhuma para nós. Não nos faz diferença”.

A Spea considera mesmo que o melro (Turdus merula) poderia ser considerado a Ave Nacional que Portugal ainda não tem – por causa da sua presença em todo o território e proximidade às pessoas – é “uma das espécies de aves mais enraizadas na cultura popular e afectiva dos portugueses, à semelhança da cegonha, do cuco ou das andorinhas”. Além disso, “não existem quaisquer estudos que mostrem que o melro causa dano em culturas agrícolas e que esses danos resultam em prejuízos para os agricultores”. Esta é uma espécie com populações estáveis ou com um aumento moderado e não é uma praga agrícola, salienta."

(http://www.publico.pt)

Que alívio! Eu andava tão triste...
Publiquei aqui um post quando a autorização saíu, e, agora, estava decidida a lançar uma petição pública na Internet a nível nacional, endereçada á Senhora Ministra Assunção Cristas, no sentido de revogar a legislação anterior, porém, outros já o tinham feito e a Senhora Ministra, sábiamente, revogou a lei.

Obrigado Senhora Ministra Assunção Cristas



Assunção Cristas

Obrigado Senhor Secretário de Estado Daniel Campelo


Daniel Campelo


Ambos de um partido Cristão, o que faz toda a diferença.
Estou agora bem mais tranquila.

7 comentários:

gaivota disse...

também fiquei contente minha amiga! há uma família de melros que todos os dias nos visita, buscam as sementes na terra e restos de pão que desfaço para eles...
beijinhos

Maria disse...

Que bom para os melros, o ambiente e para quem ama a natureza, incluindo eu!

Mas, os partidos que esses senhores representam são cristãos??
E, têm os partidos "cristãos" representados em Portugal agido de acordo com a lei e vontade de Deus?

Viviana disse...

Olá, Gaivota linda!

Poisé...os melros são muito amigáveis.
Como se lhe poderia fazer mal?

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Querida Mimi

Que bom que assim é, amiga!

Andava tão preocupada...

Quanto aos governantes de que falo pertencerem a um partido cristão:

Que eu saiba o CDSPP é o único partido em Portugal que pertence a um grupo chamada Democracia Cristã.

Se eles, os desse partido, têm agido em Portugal de acordo com a lei e a vontade de Deus, creio que não os posso julgar...no entanto, é o único partido onde me revejo pois é o único que defende acérrimamente, valores cristãos, como a VIDA - são contra o aborto - a Família - são contra os casamentos de pessoas do mesmo sexo.
Defendem a verdade e a justiça,o valor do trabalho, a transparência, a solidariedade e outras coisas mais que eu não vejo noutros partidos.
Por algum motivo muito forte, o meu querido e saudoso pai, que só teve oportunidade de votar nas primeiras eleições livres em Portugal -1975 - pois faleceu a seguir, votou no CDSPP...ele que era o melhor exemplo de cristão que conheci.

Claro, este é o meu ponto de vista...cada um terá o seu que eu respeito absolutamente.

Um abraço
viviana

as-nunes disse...

Ora bem.
Eu já fui caçador, tenho até a respectiva carta (penso que a deixei, entretanto, caducar) e posso garantir, que, de vez em quando, confundia-se um melro por um tordo e zás, lá ia o melro. Posso dizer que a carne de melro é bem boa.
Agora que já não sou caçador há muitos anos, sou de opinião que a caça em geral só devia ser permitida, em casos muito excepcionais e a requerimento dos interessados devidamente fundamentado.

Ainda bem que se impediu o abate legal do melro. A ave é de um encanto a toda a prova, E o seu cantar, quando estão para aí virados, na época, claro, é uma maravilha. E a companhia que já nos fazem em plena cidade, quantas vezes?

Aplaudo esta medida

Beijinho
António

esperança disse...

Olá! Maninha! Também eu fiquei contente por saber que a tal lei foi revogada, e gostei do que escreveste.
Aqui na arvore em frente á minha janela, costuma estar um melro a cantar. Eu e o João Pedro ficamos á janela a ouvi-lo, são dois, mas só um é que canta. Eu costumo responder com um assobio, e não é que o passarinho me responde! É uma alegria cá para os velhotes. Mas ultimamente, com pena nossa, não o temos ouvido.
Eu simpatizo com Assunção Cristas, acho que ela tem garra e trabalha com afinco. Ela fez uma boa escolha para seu Secretário, na pessoa do Sr., Daniel Campelo que eu admiro por ter defendido com unhas e dentes o interesse da sua Região. Os meus votos são para que governem, não só eles, todos eles, em nome de Deus, se o fizerem a Nação sai do buraco em que se encontra.
Tem, tenhamos todos um bom resto de dia

Lilá(s) disse...

No meu quintal são bem protegidos, todos os anos por aqui nasce uma boa meia duzia deles.
Bjs