terça-feira, 26 de abril de 2011

Ela e os pardais



Imagem da net


Ela foi criada no campo em contacto com o verde das árvores e dos prados, e o chilrear dos pardais que vinham procurar na eira os grãos de cereais, secos, malhados com o mangual.
Hoje, já "reformada," os pardais, vêm de manhã bem cedinho pousar no estendal da roupa, por fora da janela da cozinha, pedir-lhe umas migalhinhas de pão. Vêm em bando, os mais velhos e os mais novinhos, alguns dos quais nascidos já nesta primavera, que com a cabecinha inclinada e os olhinhos reluzentes rogam umas migalhinhas de pão.
Ela, solicita e sorridente, dá-lhes os bons dias e espalha as migalhas no parapeito da janela, para lhes aconchegar o papo.
Hoje, como ontem foi feriado e ela não comprou pão, apenas tinha uns bocaditos, que em princípio seriam para fazer as suas "soparras" - o seu pequeno almoço preferido e habitual -porém quando eles chegaram,ela decidiu que repartiria com eles aqueles pedacitos e assim, ofereceu-lhes o miolo e ficou com as codeas.
Contou-me isto sorridente e satisfeita.

4 comentários:

esperança disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
esperança disse...

Bom dia maninha linda de bom coração.

Liinnndoooo io que postaste, essa pessoa é muito especial, ela é uma pepita de ouro. Pelas soparras, fiquei a saber de quem falas: (O mãe, para quem são essas soparras? Para ti, minha filha! Só estas soporritas!?!?) Se tivermos olhos para ver os pequenos nadas do dia a dia; a vida torna-se uma maravilhosa renda sem fim…De coisas muito agradáveis….São esses pequenos nadas que fazem uma vida feliz…
Uma montanha de carinhosos beijos para essa pessoa, para ti, e para todo o mundo que por aqui passar.

Lilá(s) disse...

Que ternura!
Bjs

Fernanda Maria Rocha Mesquita disse...

uma historia muito bonita.imqgino a felicidade da protagonista da historia ao dividir o pouco que tinha...
beijinhos Viviana e parabens pelas historias que nos traz
fernanda
com amizade