terça-feira, 26 de julho de 2011

Casa Branca - Um poema de Sophia Mello Breyner


Fonte da Imagem: http://pt.dreamstime.com/
Casa branca em frente ao mar enorme,
Com o teu jardim de areia e flocos marinhas
E o teu silêncio intacto em que dorme
O milagre das coisas que eram minhas.

A ti eu voltarei após o incerto
Calor de tantos gestos recebidos
Passados os tumultos e o deserto
Beijados os fantasmas, percorridos
Os murmúrios da terra indefinida.

Em ti renascerei num mundo meu
E a redenção virá nas tuas linhas
Onde nenhuma coisa se perdeu
Do milagre das coisas que eram minhas

Sophia de Mello Breyner Andresen

(In Poesia I-1944)

2 comentários:

Fernanda Maria Rocha Mesquita disse...

gostei muito deste poema. soa a lembrancas, memorias... muito rico edentro de uma grande simplicidade. beijinhos Viviana
ausente mas nao me esqueco

Ao toque do Amor disse...

Olá! minha linda e doce Viviana.
vim te visitar e te oferecer o cartão de 52 mil visitas do Toque.
Que o Senhor derrame muitas bençãos sobre a tua vida
com carinho-san