sábado, 16 de agosto de 2014

Tocou-me. O gesto de Yohann Diniz, tocou-me.

Tocou-me e emocionou-me, este gesto de um jovem Luso-descendente, françês,  Yohann Diniz.
O atleta Yohann Diniz
Neto de um português de Mirandela, no norte do país, este jovem atleta francês, que conquistou ontem, na Suiça a medalha de ouro  dos cinquenta quilómetros de marcha, quis cortar a meta com a bandeira  da terra da sua naturalidade, e ao mesmo tempo, na outra mão, a bandeira de Portugal, terra do seu avô.

Um pouco antes de terminar a corrida, olhou á sua volta, procurou na assistência um português e, pediu-lhe uma bandeira portuguesa. À  chegada, o seu rosto reflectia uma alegria e felicidade imensas.

Quando, nestes tempos de crise, em Portugal, ouço com alguma frequência  compatriotas meus, dizerem "alto e bom som" que têm vergonha de ser portugueses, uma tristeza imensa me invade e me revolta.

A Pátria é a Pátria! e a nossa - Portugal - com oitocentos anos de uma  inacreditável história, nunca nos deve envergonhar; pelo contrário, Portugal deve ser para cada filho seu, um motivo de orgulho e de alegria, daí, me ter tocado tanto este gesto de este jovem atleta que embora nascido na  França, não  esqueceu as suas raízes: a Pátria do seu avô.

Veja neste link

Yohann Diniz corta a meta com bandeira portuguesa na mão

4 comentários:

esperança disse...

Maninha querida, já somos duas, pois também eu achai o gesto do atleta, muito, muito!!!...Lino!!!...

Beijo grande.


Viviana disse...

Querida maninha Esperança

Ainda há gente que "sente" a Pátria!

Um beijinho
Viviana

as-nunes disse...

Desconhecia esta ocorrência. Fantástico. Como é que a comunicação social não deu o devido e merecido relevo a um caso como este.
Grande Yohann Diniz.
Viva Portugal.

Bjinho

Viviana disse...

Olá, amigo António

É verdade!

A notícia foi mesmo sol de pouca dura...

O meu abraço
Viviana