quinta-feira, 17 de julho de 2008

Por favor, nunca bata no rosto de uma criança


Por favor, nunca bata no rosto de uma criança.

O bater no rosto, ou na cabeça, humilha a criança de tal modo, que para alem da dor, gera nela sentimentos de mágoa e não educa nem resolve coisa nenhuma.

È das situações que mais me sensibiliza e revolta, quando vou na rua ou num transporte público, e vejo um pai ou uma mãe a “dar um estalo” no rosto de uma criança.

A última cena destas a que assisti, teve lugar há pouco tempo, na fila de espera do autocarro no Cacém.

Era já noite, talvez cerca das 21,30, e na fila estava uma jovem mãe com uma criança pequena, provavelmente na casa dos dois anos. A criança chorava agarrada ás pernas da mãe pedindo colo, ao que a mãe respondia com gritos e ameaça de pancada.

Eu, naturalmente, esperava que a única coisa a fazer ali, seria ela pegar-lhe ao colo; aliás, não percebi porque ela já não o teria feito. Àquela hora da noite a criança devia estar cheia de sono. Mas não, quando a criança começou a chorar com mais força, ela dá –lhe um forte estalo na cara.

Eu imediatamente a interpelei dizendo-lhe que ela não podia fazer aquilo, que era uma violência. Ela ficou calada e não me respondeu.

Como este, tenho assistido a muitos outros casos, os quais acho de uma enorme barbaridade.

Em muitos países do mundo, sobretudo na Europa do Norte, é considerado crime bater numa criança em público, e eu acho isso muito bem. Por essas e por outras, é que o primeiro número de telefone na agenda que trago sempre comigo, é o do Serviço de Apoio á criança – 217931617.
Está escrito na contra – capa da agenda, para rapidamente o encontrar.

Desafio-vos a que façam o mesmo.

Por favor, quando assistirem a uma destas tristes situações, intervenham, não fiquem indiferentes, protejam e ajudem as crianças, porque se o não fizerem... estarão ser cúmplices de violência infantil.
E por favor…nunca batam no rosto de uma criança!

14 comentários:

Paulo Costa disse...

Olá Viviana!

É raro comentar no seu cantinho, mas isso não significa que não o visite com regularidade. Estou "presente", embora de forma silenciosa.
Plenamente de acordo consigo em relação a bater nas crianças. A disciplina é fundamental, mas o recurso à violência é de lamentar.
Hoje em dia, perde-se facilmente a paciência e o auto-domínio, tendo como consequência actos e comportamentos violentos, agressivos e hostis.

Abraço fraterno em Cristo Jesus.

Viviana disse...

Olá Paulo,

Que bom saber que vem aqui com frequência!

Fico muito contente pois aprecio bastante as suas visitas e os seus comentários.

No que respeita ás crianças, é bem verdade o que diz, elas são muitas vezes vitimas da impaciência e cansaço dos pais.

Tenha uma boa noite.

Um abraço no amor de Cristo, nossa Esperança

viviana

Rosa disse...

Olá Viviana
Este é um tema a exigir muita refleção.
Também não concordo com esta forma de castigo, que em nada dignificam as crianças no
seu crescimento e na sua educação.
E lembro todas as outras crianças, e são tantas, cujo castigo passa pelo aproveitamento do seu trabalho por parte de adultos sem coração, as que são vendidas, apenas por alguns trocos, etc. etc.
Um sem fim de (castigos) que nos revolta.
Rezemos por todas elas.
E como diz a Viviana, devemos denunciar essas situações.

Tenha uma boa noite.

R.I.

esperança disse...

Boa noite minha doce e querida maninha Viviana, que tudo vá indo bem por aí, aqui todo numa boa, graças Ao nosso Deus.
Congratulo-te pelo post de hoje, que tão bem descreve cenas que vamos vendo e nos desagradam sobremaneira.Também eu, penso como tu, e acho que temos que respeitar os nossos filhos, se queremos ser respeitados, e bater na cora, é falta de respeito: nas costas das mãos não se bate; pois pode trazer consequências muitíssimo graves...por causa das muitas veias que aí estão; também não se deve puxar as orelhas, faz mal à audição... o melhor seria não bater, mas se, alguns pais perdem a paciência e dão uma palmado, que seja com mão leve, no rabinho, ou na palma da mãozinha.
Comprimentos para o Jorge, e beijinhos para ti e para o Zé

Ana Maria disse...

Amiga, linda mensagem para refletir.
Obrigada pela visita.
Beijinhos.
Fique com Deus.

Marlene Maravilha disse...

Que barbaridade!
mas o mundo está mesmo violento demais, falta de respeito, ruím , falta de amor, enfim...estamos mesmo nos finais dos tempos. Mas até lá sigo observando e também nao usarei de tolerancia ao ver atos deste genero.
beijos

Viviana disse...

Olá Rosa!

Sim, infelizmente as crianças por esse mundo fora, são as grandes vítimas da maldade e crueldade humanas.

Dói o coração só de pensar no que "O rei da criação" - o homem, é capaz de fazer com elas.

Que mundo este!

È por isso que não podemos "baixar a guarda"... e como crentes em Cristo, conhecedores do Evangelho de Amor...zelarmos por elas e fazer tudo quato esteja ao nosso alcance para as proteger e minorar o seu sofrimento.

Assim Deus nos ajude.

Um grande abraço
Viviana

Viviana disse...

Olá minha linda maninha Esperança,

Que bom que etá tudo bem or aí!

Oxalá assim continue.

Quanto ás crianças, é assim como dizes:
Temos mesmo que as respeitar e ajudar a serem verdadeiramente felizes.

Sobretudo dando muito amor e muito carinho.

beijinhos para todos aí.
Viviana

Viviana disse...

Olá querida Ana Maria,

È sempre tão bom vê-la por aqui...

Sabe que quando não aparece, fico preocupada!

Como é lnda a nossa amizade, não?

graças a Deus por nos ter feito encontrar.

Tudo de bom para si... nestes tempos conturbados que está a viver.

beijinhos
Viviana

Viviana disse...

Olá linda Marlene!

Eu sei que o seu coraçãozinho amoroso e bom... estará atento em relação ás crianças.

Todos não somos demais para as amar e proteger!

Elas são, como dizia o poeta - o melhor do mundo.

Um grande e carinhoso abraço
Viviana

gaivota disse...

minha amiga, fico sempre chocada com estas cenas... numa altura, na nazaré, também assisti a uma cena assim parecida, e fui ralhar com a mulher...
as crianças servem de vingança dos azares da vida de cada um ???
e mais, os "grandes" batem nas crianças, porque estas não se podem defender ou pagar da mesma moeda...
os "grandes" são uns fracos!
beijinhos, minha amiga

Viviana disse...

È isso mesmo Gaivota!

Pobres crianças...

Anseio por o dia em que esta crueldade acabe!

È demasiado terrível para continuar...

um abraço
Viviana

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Amiga Viviana!É a primeira vez que deixo um comentário em seu blog,apesar de sempre passear por ele.No entanto ainda não tinha me deparado com esse post,que muito me tocou.Tenho vivido uma fase atormentada por ter defendido minha neta de uma agressão feroz feita por sua própria mãe,que já praticava esse hábito há algum tempo.Por isso estou impedida de frequentar a casa de meu filho e de ver as minhas netas com frequência.E me pergunto o que leva um adulto,uma mãe a um gesto tão covarde e que sabemos das consequências que acarreta,tanto física quanto pscológica aos pequeninos que o sofrem.Fiz por minha neta ,mas o faria por qualquer criança na mesma situação.Seu post me foi um alento para que eu constatasse que muitas pessoas pensam e sentem como eu contra essa aberração que é agredir uma criança.

Cláudio Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.