sábado, 7 de março de 2009

O Galo e a Galinha


Olhares - Fotografia Online

Dizia o galo para a galinha:
- Vamos casar a nossa filhinha.

-A nossa filhinha casada será,
e agora o noivo donde virá?

Dizia o galo que estava a cantar,
que estava pronto com ela a casar.

- O noivo já nós temos, já,
agora o padrinho de onde virá?

Dizia o rato, lá do buraquinho,
que estava pronto para ser o padrinho.

-O padrinho já nós temos, já,
agora a madrinha, donde virá?

Dizia a cabra, lá do meio da vinha,
que estava pronta para ser a madrinha.

-A madrinha já nós temos, já,
agora o enxoval donde virá?

Dizia a aranha, lá do aranhal,
que estava pronta para dar o enxoval.

-Enxoval já nós temos, já,
agora a cozinheira, donde virá?

Dizia a rola, que andava a rolar,
que estava pronta para cozinhar.

-cozinheira já nós temos, já,
servir á mesa donde virá?

Dizia a andorinha, com a sua ligeireza,
que estava pronta para servir á mesa.

-Servir á mesa já nós temos, já,
mas o bailarico, donde virá?

Diziam os mosquitos, que andavam no ar,
que estavam prontos para irem bailar.

-Bailarico já nós temos,já,
mas o gaiteiro, donde virá?

Dizia o burro, lá do seu palheiro,
que estava pronto para ser o gaiteiro.

-O gaiteiro já nós temos, já,
ao casamento nada faltará.

(Eu bem vi nascer o sol)
Antologia da poesia popular portuguesa

de Alice Vieira

12 comentários:

Nuno de Sousa disse...

Belo trabalho num belo texto amiga, divertido e bem conseguido.
Bjs e um bom fds,
Nuno

bete disse...

Que bonitinhoooooooo! adoro essas canções, você conhece uma de um menino que comeu uma coca?

Pelos caminhos da vida. disse...

Excelente!

Bom fim de semana amiga.

beijooo.

neli araujo disse...

Viviana, minha querida!

Gostei muito deste poema! Muito lindinho!

Já a imagem, sem comentários! É muito gira.

beijos, amiga!

Éverton Vidal disse...

Gosto disso, gosto de poesia popular. E que bom conhecer algo da poesia popular portuguesa.

Saudades daqui!
Um grande abraço.
Inté!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Viviana!Mas que belezinha!!!Esses versos me deram vontade de cantar,rsrsrs!

Beijos com carinho!Sonia Regina.

Viviana disse...

Olá Nuno, mru bom samigo

Achei interessante e engraçado este poema popular...

Nunca é demais recordar.

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Querida Bete,

Tem gracinha, não tem?

Antigamente, em Poryugal, aparecia muito este estilo de poesia .

Essa de que me fala creio que não conheço...
Mas gostava de conhecer.

Quer-me explicar?

Obrigada

Um beijo
Viviana

Viviana disse...

Olá Ana linda,

È giro, não é?

Eu gosto deste estilo.

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Neli querida,

Creio que é bem do seu jeito, não?

Poesias è consigo!

Um beijo, amiga linda

viviana

Viviana disse...

Olá Éverton!

Que saudades meu bom amigo!

Peço desculpa de não
aparecer há já muio tempo lá no seu lindo blogue, mas estou mesmo, mesmo sem tempo.

Tantos blogues amigos que eu visitava... e tive que deixar de visitar...
Ainda bem que veio até aqui.

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Querida Regina,

Depois de na véspera ter publicado um tema tão pesado...
só podia mesmo ir buscar uma coisinha leve e engraçadinha!

Um abraço, boa amiga
viviana