sexta-feira, 20 de março de 2009

Os meus Hinos queridos (5)


O Compositor Ira David Sankey


A Autora do Hino- Elisabeth Clephane


O grande Missionário Moody

O hino número 39 do Cantor Cristão - "A ovelha perdida" - é um dos meus Hinos queridos.
Aprendi-o em criança e cantei-o vezes sem conta no Culto doméstico em casa dos meus pais, e tambem na altura, naIgreja Baptista de Leiria, onde se cantava com muita frequência, e depois, nas diversas Igrejas Baptistas por onde passei até hoje.
Claro que de tanto o cantar, sei-o de cór.

Achei por bem publicá-lo aqui hoje e contar um pouco da história.

A Ovelha Pedida

Noventa e nove ovelhas vão
Seguras no curral;
Mas uma delas se afastou
Do aprisco pastoral
A errante nos montes de terror,
Distante do fiel pastor,
Distante do fiel pastor.

"Com a gre submissa, ó bom Pastor,
Não te contentarás?"
"A errante é minha," replicou,
"Pertence me a fugaz.
Vou ao deserto procurar
A ovelha que ouço em dor gritar.
A ovelha que ouço em dor gritar."

Nenhum remido imaginou
Quão negra escuridão,
Quão fundas águas que passou,
Trazendo a salvação.
E quando foi pra socorrer
A errante estava a perecer,
A errante estava a perecer.

"Por toda a estrada donde vem,
Que sangue enxergo ali?"
"Busquei a ovelha com amor,
O sangue meu verti."
"Ferida vejo a tua mão."
"A angústia encheu me o coração,
A angustia encheu me o coração."

Vem da montanha aclamações!
É a voz do bom Pastor!
Ressoa em notas triunfais
O salmo vencedor!
E os anjos cantam lá nos céus:
A errante já voltou a Deus,
A errante já voltou a Deus






Histórico

Letra - Elizabeth Cecilia Clephane (1830 - 1869)
Música - Ira David Sankey (1840 - 1908

È muito interessante a história deste hino. Escrito inicialmente (1868) em forma de poesia e dedicado pela autora ao seu irmão que vivia no Canadá e que era alcoólico, foi publicado num Jornal, tornando-se num dos hinos bem conhecidos e apreciados em todo o mundo cristão.

A sua autora foi Elizabeth C. D. Clephane, nascida em Edimburgo, Escócia, a 18 de junho de 1830 e falecida em 1869. Elizabeth era muito tímida e reservada mas muito inteligente e amante dos livros. Gostava muito de poesia, e daí escrever várias, entre ela está a que nos referimos. Perdeu os seus pais quando ainda era menina, mas nos estudos tinha sempre boas notas e era quase sempre a primeira da classe.
Mas como foi que essa poesia que ela escreveu se tornou num hino tão favorito até hoje?

Foi assim: no ano de 1874 o famoso evangelista Dwihgt L. Moody estava a levar a cabo uma campanha de evangelização na Escócia, acompanhado do compositor e cantor sacro Ira David Sankey (1840 – 1908). Na viagem de combóio de Glasgow para Edimburgo, Sankey lia um jornal, no qual encontrou esta poesia, publicada num dos cantos de uma página. Mas deixemos que ele mesmo nos conte o que sentiu:

«Ao lê-la,fiquei tão impressionado que chamei a atenção de Moody para esta poesia. Ele pediu-me que a lesse, o que fiz com toda a energia que possuía. Ao terminar, olhei para o meu amigo Moody para ver a reação que a poesia tivera sobre ele, mas verifiquei que ele não ouviu uma palavra sequer, tão preso estava à leitura de uma carta que havia recebido dos Estados Unidos."

Apesar dessa experiência meio desagradável, Sankey recortou a poesia do jornal e colocou-a dentro de um livro.

No segundo dia das conferências em Edimburgo, Moody falou sobre o assunto “O Bom Pastor”. Pediu depois que um certo Dr. Bonnar dirigisse algumas palavras, o que veio a comover a assistência após uma breve mensagem de apenas alguns minutos. A seguir Moody olhou para Sankey e perguntou:lhe: “Você tem um solo apropriado para este assunto, com o qual possamos encerrar a reunião?”

Sankey ficou perplexo! Pensou imediatamente no Salmo 23, mas desistiu, porque esse hino já havia sido cantado várias vezes, durante as conferências. De repente, Sankey ouviu uma voz dentro de si, dizendo: “Canta aquela poesia que tu encontráste no combóio.
Mais uma vez queremos citar as suas próprias palavras, descrevendo essa situação:

“Eu, porém, pensei que isso seria impossível porque não tinha sido escrita qualquer música para aquela poesia. Mas essa impressão veio mais uma vez a minha mente. Eu devia cantar aquelas belas e oportunas palavras, que havia encontrado anteontem. Colocando a poesia sobre o órgão, à minha frente, levantei o meu coração em oração a Deus, pedindo-Lhe que me ajudasse, a fim de que o povo pudesse ouvir-me e entender. a mensagem do Hino.
Deixando as minhas mãos caírem sobre o teclado, toquei o acorde de lá bemol e comecei a cantar. Nota por nota, a melodia foi dada, e até hoje nunca foi alterada”.

Quando Sankey, terminou de cantar, pela primeira vez, esta poesia para a qual compôs esta música, verificou logo que havia alcançado pleno êxito. Moody, com os olhos marejados de lágrimas, foi junto dele, e todo comovido olhando o pedaço de jornal do qual acabara de cantar, perguntou-lhe: “Sankey, onde foi que encontrou este hino? Nunca vi coisa semelhante em toda a minha vida”. Sankey, também muito comovido, respondeu: “Sr. Moody, este é o hino que eu lhe li ontem, no combóio mas que o senhor não ouviu”.

E assim nasceu um dos grandes hinos missionários, que consta em quase todos os hinários evangélicos.

11 comentários:

Anita disse...

Viviana querida hoje está a bordo de um novo dia, por isso diga:

Bom dia, Dia!
Bom dia, Vida!
Bom dia, Sensibilidade!
Bom dia, Fé!
Bom dia, Coragem!
Bom dia, Talento!
Bom dia, Trabalho!
Bom dia, Alegria!
Bom dia, Felicidade!

Bom dia para Si!

Mais uma vez saio daqui abençoada e, mais rica espiritualmente.

Um abençoado fim de semana.
Beijinhos.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)


P.S. aproveito para deixar os parabéns atrasados para a sua linda Sara.
Que Deus a abençoe muito.

BC disse...

Querida amiga Viviana, hoje vim deixar-lhe um beijo com um ramo de flores perfumadas na janela e um sorriso primaveril.
Isabel

Maria Emília disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Emília disse...

Mais um belo e inspirado hino. Considerado e bem como um hino missionário.
Eu tenho mais dificuldade em não gostar de hinos de que em gostar, mas sem dúvida que alguns são mesmo especiais.
Parabéns por esta prestação e shalom.

PS: Sabe que, o irmão Horácio morreu, depois de algum tempo em coma devido a um aneurisma? Como deve calcular, a irmã Beatriz está muito triste.

Viviana disse...

Querida Anita,

Que incentivo lindo!

Obrigada amiga,

Uma boa noite

beijinhos

viviana

Viviana disse...

Querida Isabel,

Só mesmo a minha amiga para estar tão atenta á chegada da Primacera!

Ela aí está, que bom!

Obrigada por as flores e todo essa linda amizade.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Querida Mimi,

Compreendo que tenha apreciado este belo hino!...

Eu tambem gosto muito dele.

Quanto ao irmão Horácio eu soube há bocado pelo Pastor Regueiras, que o Senhor o tinha chamado.

Como será tão difícil para a Dª Beatriz...

Eles eram "unha com carne"...

O meu marido vai estar lá no serviço Fúnebre.

Eu estou com tanta dificuldade em andar...

Uma boa noite e um beijinho

viviana

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Olá Viviana!Sempre encontramos em seu espaço um socorro para nosso espírito em suas lindas e doces palavras!

Um beijo com muito carinho!Sonia Regina.

Viviana disse...

Querida Sónia,

Que bom que se sente bem, vindo aqui!

Estou por aqui, sim.

Pode vir, amiga.

Estarei aqui á sua espera.

Tenha um lindo dia.

Un abraço

viviana

bete disse...

Confesso que não conhecia. É de uma musicalidade simples e bela.

É verdade, vocês estão recebendo a primavera...feliz primavera...

Viviana disse...

Querida Bete,

Decerto já percebeu que estes Hinos antigos, dizem-me muito!

Não é que não aprecie os de hoje... mas estes, tocam-me de uma forma muito especial.

Decerto por os ter aprendido e cantado, na minha infância.

Tantas memórias...

Um beijo amiga do coração.

Durma bem.

Sim, é verdade.

Recebemos ontem a Primavera.

Viviana