segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A "Doninha" e o "Leão"


Imagem da net


Galgo - Imagem da net


Doninha - Imagem da net

A Doninha era uma cadelinha da nossa infância.
Eu era ainda bem pequena, quando fomos viver numa casinha que fazia parte das casas de uma quinta, de um grande lavrador - o senhor Ribeiro.

Para além da casinha onde morávamos, tínhamos no pátio uma casa do forno, onde a mãe cozia o pão; ao lado havia o curral dos porcos, ainda com as gamelas de pedra, mas nós nunca tivemos porcos; pegado a este curral dos porcos estava o curral das vacas, onde ainda permanecia uma enorme mangedora, porém aqui também não tínhamos vacas, só na nossa chacara na Argentina é que tivemos muitas vacas e cavalos.
Do outro lado do pátio estavam as coelheiras e o galinheiro, cheios de coelhos e galinhas.
Nessa quinta fomos encontrar uma cadelinha pequena sem cauda, de pêlo côr de mel, focinho curto e orelhas pequenas tambem.Era muito bonita, muito graciosa e muito amiga de toda a gente, especialmente das crianças.
Creio que lhe foi posto o nome de Doninha por ser mesmo muito parecida com uma doninha
Ela andava sempre por ali e visitava com frequência o nosso pátio.
A Doninha não estava presa, e movimentava-se á vontade num grande raio de acção
Um dia reparámos que a barriga dela estava a crescer e que ela ia ter cãezinhos.
Nós não fazíamos ideia de quem seria o pai.
Um belo dia, em que eu estava sózìnha em casa, reparei que a Doninha se foi deitar em cima de umas palhas no curral dos porcos.Fui para junto dela e fiquei ali a olhá-la, e então, depressa me apercebi que os cãezinhos iam nascer. Tive muita pena dela porque ela estava em grande sofrimento e pareceu-me que a tarefa ia ser dífícil.
Fiquei ali todo o tempo sentada ao lado dela a acarinhá-la e a incentivá-la a ter os filhos
De repente, nasce o primeiro: Era da côr dela, côr de mel com o pelo muito curtinho.
Vinha dentro de uma membrana que ela se encarregou de retirar com os dentes comendo-a a seguir. Logo depois nasceu um outro cãozinho, este de côr branca mas de resto igualzinho ao irmão.
Assim que os vi fiquei logo a saber quem era o pai dos bichinhos...
Era um dos vários galgos do senhor Ribeiro "dos quatrocentos contos", que morava numa bela quinta não muito longe dali, e que assim se chamava porque teve a sorte de na lotaria lhe saírem quatrocentos contos, o que naquela altura, há cerca de sessenta anos atrás... era muito dinheiro.
Era um "senhor" que era do Porto e que mantinha a pronuncia fiel das gentes daquela zona do país.
Costumava ir á caça e para esse fim tinha uma série de galgos, que por sinal eram muito bonitos
Pois bem, a Doninha", tão pequenina, tão pequenina, teve dois filhos galgos..
Ficámos com um, o côr de mel, e o nosso amigo Horácio que vivia ali perto ficou com o outro, isto claro, depois de desmamados.
Fomos nós, as crianças, que escolhemos o nome para o cãozinho: "Leão."
Agora imaginem: O Leão filho da Doninha!

O Leão cresceu rápidamente e depressa se tornou num belo e enorme galgo, que para nós era um fiel e grande amigo, companheiro de brincadeiras e corridas. Recordo que a minha irmã mais nova, que tinha na altura aí uns quatro anos, montava a cavalo nele e ele lá ia com ela obedecendo ás ordens que ela lhe dava.
Era tão docil, tão fiel, tão amigo, que mesmo quando lhe faziamos alguma maroteira de que ele não gostava, mesmo assim ,ele deixava cair as grandes orelhas para trás e parecia que sorria para nós.

È verdade!

O Leão e a Doninha foram dois maravilhosos companheiros de infância que ainda hoje, recordamos sorrindo, e com uma imensa, enorme. saudade.

4 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá! Dei uma passadinha por aqui,

só para ver como você estava

e te desejar um

ÓTIMO DIA!!!

Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

Bom Dia!!!


beijooo.

Pico da Pedra disse...

Querida amiga, passo sempre por aqui para a "rever". É um prazer imenso. Queria, no entanto, fazer um comentário despropositado.

No lado direito do seu blogue tem um link para a Bíblia Online que, um pouco à margem do conteúdo, passa publicidade às leituras da sina e das mãos. A bota não bate com a perdigota... :)

Está aqui uma "foto" que tirei do site: http://www.limusinesoft.com/biblia_online.jpg

Beijoca corisca dos Açores.

Viviana disse...

Olá Ana linda

Estou bem, obrigada.

Que bom que me lembrou que o dia de hoje é muito especial!

È importante nunca esquecer isso.

Beijos

viviana

Viviana disse...

Olá Zè Luis

È um prazer grande encontrar-te aqui, amigo.

Fico muito contente que venhas sempre "rever-me" aqui.

Quanto á tua observação sobre a "bibliaonline", do meu blogue, agradeço-te muito a informação, pois eu nunca me tinha apercebido disso.

Hoje mesmo irei enviar um e-mail para o respéctivo endereço e retirarei o link do blogue.

Conheces um outro que não tenha este problema?
Podes dar-me o endereço, por favor?

Se souberes de uma versão mais actualizada, era óptimo.

Um grande abraço amigo

Tudo de bom para ti e para a tua linda família

viviana