quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mulheres na Assembleia da República Portuguesa


Imagem da net

Tem hoje inicio o funcionamento da nova legislatura da Assembleia da República Portuguesa.
Ali tomarão assento os 230 deputados, escolhidos pelos 6 partidos que têm assento Paralamentar, e eleitos pelo povo português.
Destes 230, um cada quatro são mulheres. Ou seja, são 63 mulheres e 167 homens.
E isto, por força da Lei da Paridade emanada de Bruxelas, que diz que nas listas de candidatos a eleições, NÃO PODEM CONSTAR MAIS DE DOIS NOMES DO MESMO SEXO SEGUIDOS.
Os partidos dão volta a esta lei da seguinte forma:
Colocam sempre dois nomes masculinos seguidos de UM feminino, o que no final dá este resultado, impedido as mulheres de serem eleitas.
Assim se explica que o número de mulheres seja mais baixo do que a Lei da Paridade previa.
Deveriam ser no mínimo 33 por cento dos eleitos, quando são apenas 27 por cento.
O novo Parlamento vai ter menos mulheres do que no final da última legislatura. Há menos três do que no final da última legislatura, mas mais 14 do que em igual período de 2005, quando o executivo de José Sócrates iniciou funções. Isto tem a seguinte explicação: Mais para o fim da legislatura, os homens abandonam a Assembleia e são então substituidos por mulheres.
A presidente do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas está «insatisfeita» com a aplicação da lei, inclusive no PS. Maria Manuela Augusto explica que a regra de uma mulher a seguir a dois homens não está escrita, mas é assim que os partidos estão a interpretar a lei.
A socialista afirma que «as mulheres são "marteladas" nas listas, e ficam, salvo raríssimas excepções, em terceiro, sexto ou nono lugar das listas de candidatos a deputados».
Maria Manuela Augusto, por exemplo, foi a candidato número nove do PS em Lisboa.
Muitas mulheres ficam, no entanto, em lugares não elegíveis nos círculos eleitorais mais pequenos.
Apenas o BE ultrapassa um terço de representação feminina, previsto na Lei da Paridade.

Deputados eleitos em 2009:

Partido Socialista - 97 - 28,9 por cento são mulheres
Partido Social Democrata - 81 - 27,2 são mulheres
Partido Popular - 21 - 19,o são mulheres
Bloco de Esquerda - 15 - 37,5 são mulheres
C D U - 15 - 20,0 são mulheres

Total 230

Mesmo assim...A lei da paridade mudou o género na AR. Sem ela, dizem os cálculos das Nações Unidas, esta conquista levaria 70 anos a concretizar-se.
Nota:
Nas Eleições Autárquicas que tiveram lugar no último Domingo, a situação apresenta-se ainda pior:
Dos 328 presidentes de Câmara eleitos, apenas 22 são mulheres.

6 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem selinho comemorativo lá no blog esperando por vc.

Bom dia amiga.

beijooo.

BC disse...

É muito importante o texto Mulheres na Assembleia da República mas agora venho mais para matar saudades e dizer que tenho saudades das nossas visitas diárias,nossas e de muitos outros que foram indo embora com o tempo, e fazem tanta falta.
Beijinhos amiga linda
Isabel

Viviana disse...

Olá Ana Linda

Muito obrigada amiga, por mais essa gentileza.
Um abraço

viviana

Viviana disse...

Ol Querida Isabel

Que alegria encontrá-la aqui, boa amiga!

O verão "separou-nos" um pouco uns dos outros...

Tambem tenho saudades dessas pessoas simpáticas que nos habituámos a ver por aqui e por ali.

Um beijo

viviana

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA VIVIAN, GOSTEI DE POR AQUI PASSAR AMIGA... FOTOS DE BOM FOM DE SEMANA!!!
ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Viviana disse...

Querida Fernandinha

Poetisa linda

Obrigada, muito obrigada, por as suas sempre gentís e amáveis palavras aqui deixadas.

Um abraço

viviana