sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Uma árvore cheia de vida


Carvalho - Quercos Robur

Hoje, dia de chuva miudinha, de tarde, fiquei em casa sózinha e com toda a calma e boa disposição tratei de arrumar algumas prateleiras de livros. Fui olhando os títulos e decidi pôr de lado alguns que me interessaram. Entre eles está " A Vida das Plantas," da Colecção "Ver e Saber", da Verbo Editora. A data registada é 1979, tem portanto 32 anos. Nessa altura, os filhos mais velhos tinham respectivamente - 12 e 11 anos e foi certamente para eles que comprámos esse livro, que faz parte de uma colecção de dez.
Fui folheando e encontrei um capítulo intitulado "A àrvore da Vida" que gostei imenso de ler e daí a publicá-lo aqui num post foi uma tentação.

Ei-lo:

Um carvalho adulto é mais do que uma simples árvore: é um centro comunitário onde se albergam outras plantas e animais que, com o andar dos tempos, se reuniram para viver nele ou em seu redor, dependendo todos, duma forma ou de outra, do carvalho e dos seus produtos.
A própria árvore é o suporte. O processo diário da fotossíntese fornece energia para ela e para muitos dos seus habitantes, embora não para todos - a hera, as algas, os musgos e líquenes que lhe enfeitam a casca são também plantas que possuem capacidade fotossintética: servem-se da árvore apenas como suporte, e não recolhem dela alimento. Os maiores ladrões - o primeiro elo das muitas cadeias de alimentação começam a partir do carvalho - são os milhares de insectos que se sustentam da sua folhagem, especialmente dos gomos e das folhas tenras na Primavera. Entre estes encontram-se as lagartas e pequenas mariposas, que nasceram dos ovos postos nos ramos durante o Outono, e que nascem justamente quando aparecem os rebentos.Larvas de himenópteros, dípteros e cinipídios aninham-se no interior das folhas e dos caules. Abrindo galerias por entre as células, estragam os tecidos e provocam uma irritação que produz galhas á superfície. Gorgulhos e piolhos andam á vontade sobre a folhagem, roendo com a tromba as folhas, ramos e glandes, e sugando os liquidos.
Os insectos roedores estão sempre á mercê dos predadores. Os piolhos e outros insectos pequenos são presa fácil da joaninha e das larvas de crisópídeos, e das centenas de aranhas que têm as suas teias invisíveis por entre as folhas. Os insectos maiores são caçados pelos pássaros, em especial pelo colorido chapim, que tem filhos no ninho por essa época, quando as lagartas são mais abundantes. Os chapins fazem os ninhos em buracos dos ramos, outros pássaros constroem-nos entre a folhagem espessa ou nos arbustos ou buracos próximos. No Outono, pássaros de maiores dimensões, incluindo os pombos bravos e os gaios, aparecem para se alimentarem das glandes, competindo nas árvores e no chão com os esquilos e os ratos.
In - A Vida das Plantas - Verbo- 1979

3 comentários:

Michele P. disse...

Viviana

Desejo-lhe um final de semana iluminado por Deus!

Um abraço

Viviana disse...

Olá Michel

Obrigada, amiga linda.

Também para si uma boa semana.
Beijo

viviana

carmen disse...

Vivi:

O carvalhoé uma árvore de sustentação, pelo que escreveu...

Espero que nós também possamos ser um sustentáculo para outras pessoas, levando-os à fonte verdadeira...

bjs