quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Português já esteve em todos os países do mundo


João Paulo Peixoto na China

Vi e ouvi, ontem, a entrevista feita por um jornalista de um canal televisivo, a um homem de meia-idade, português, professor universitário e, que para meu espanto...acabou de regressar da sua 193ª viagem pelo mundo.
Sorridente, feliz, e com um aspecto saudável, João Paulo Peixoto deixou-me encantada com o seu feito e, principalmente, por aquilo que diz ter aprendido quando viajou por os 193 países reconhecidos pela ONU e por os 204 independentes.
É o 10º homem no mundo a conseguir este feito.
Não resisto a apresentar aqui aos amigos o que "descobri" sobre ele:

"João Paulo Peixoto, de 47 anos, regressou este fim-de-semana de Israel. Com esta viagem, o português visitou o último país que lhe faltava dos reconhecidos pela ONU.

Contactado pelo Boas Notícias, esclarece: "o que eu fiz foi visitar os 193 países reconhecidos pela ONU e os 204 países independentes. Mas fi-lo ao longo de muitos anos (desde que nasci, embora mais intensamente nos últimos 20)".

No entanto, só há dois anos João Paulo Peixoto decidiu passar em todos os países reconhecidos pela ONU.

Dos países que visitou, e apesar das experiências riquíssimas por que passou em cada um deles, o português falou de uma situação que marcou a sua vida...

Uma experiência de vida

...Apanhado pelas cheias, no Paquistão, João Paulo Peixoto encontrou vários desalojados e constatou que "o auxílio das agências internacionais não chegava às populações".

Assim, o português decidiu pedir aos amigos em Portugal que lhe transferissem dinheiro para a conta para distribuir pelas famílias. Ao todo, com a ajuda dos amigos, distribuiu 2.500 euros.

"Todos os agradecimentos eram sinceros e muitos deles eram feitos lavados em lágrimas. Não imaginam a diferença que 50 euros podem fazer para uma família desalojada no Paquistão", explicou.

Lições para não esquecer

De todas as viagens que fez, o português guarda uma grande lição: "a raça humana é maravilhosa, sendo que na nossa verdadeira essência somos todos iguais".

“O que une a raça humana é sua capacidade de amar e a nossa tendência para o bem, e isso existe em todos os países, da mesma forma”. Para além disso, João Paulo Peixoto não se esquece de outra lição que aprendeu: que nós, portugueses, trouxemos uma herança muito rica ao mundo e deixámos muitas influências. Esses povos "não se esquecem de nós e da importância que tivemos; sabem muito melhor que nós onde estivemos e aquilo que fizemos no seu país".

"Devíamos estar orgulhosos disso e capitalizar de diferentes formas esta importância. Penso que depois dos ingleses e franceses fomos o povo que mais importância teve na história da humanidade", concluiu."
(Boas Notícias)

3 comentários:

Marlene Maravilha disse...

Gostei deste post e desta experiencia. Admiro pessoas que viajam e se integram a cultura do local aonde estao.
Concordo que os portugueses deram bastante ao mundo com seus desbravadores!
Um final de semana abencoado amiga!
Saudades!
beijo

manuel marques disse...

Muito interessante.

Beijo.

Rosa disse...

E "creio estar certa" essa experiência terá maior valor que uma grande fortuna acumulada.
Também gostava...

Viviana, espero que tudo vos esteja a correr bem.
Abraços de amizade.