terça-feira, 20 de setembro de 2011

Venho colocar á vossa consideração...

...um assunto, que vou ter que resolver: Em Setembro de 2010, portanto há um ano, nasceu esta ninhada de gatinhos junto á nossa casa na aldeia.

Cuidámos deles e da mãe, bem como de mais uns tantos gatos e gatas que por ali andavam sem dono. A minha irmã Terezinha passou a ir carregada com um saco de comida de gatos, a qual, lhes distribuia com abundância e, deixava ficar a restante para o Chico - um homem que vive ali no pátio - lhes dar durante a semana.
Cresceram, e, em Maio deste ano, a gatinha cinzenta da foto, ou seja, a que está em cima á direita, com 8 meses de idade...ficou prenhe e teve uma ninhada de gatinhos que, tal como aconteceu com outras gatas ali, foram de imediato afogados num balde de água, por um vizinho ou vizinha. Quando chegámos lá, no dia seguinte ao acontecimento, a gatinha, bem como as outras a quem fizeram o mesmo, apresentavam-se muito alteradas, "bufando" e assanhando- se para nós, como que a culpar-nos do desaparecimento dos filhos. Chegámos a ter medo da reacção delas, pois o seu ar era assustador.
Essa reacção foi passando e entretanto um irmão dela apareceu morto bem assim como a mãe e outros gatos.
A gatinha tornou-se muito meiga para nós; era a única que entrava dentro da nossa casa. Como temía-mos pela sua vida, receando que fosse também envenenada, eu decidi trazê-la para minha casa; a Terezinha já tem três gatos em casa. Eu só tinha um - O Teco -. Passado pouco tempo reparei que a barriga dela estava a crescer e levei-a ao veterinário que confirmou que estava prenhe novamente.
Por cá ficou, até que no dia 10 de Julho teve 5 gatinhos, que nasceram de noite, sem ninguém dar por isso, dentro de um roupeiro em cima de um Pullover do Jorge. Só demanhã é que o Zé reparou que havia "qualquer coisa" dentro do caixote de areia dos gatos na casa de banho. Ela transportou-os do roupeiro para lá. Claro que eu preparei um tabuleiro de verga forrradinho com uma almofada e por cima um pano de lençol que mudava todos os dias.
Um nasceu morto e outros dois morreram, entretanto, talvez por falta de maturidade, pois a mãe é apenas uma "adolescente". Restaram dois que agora estão assim: O mais clarinho é uma gata e o mais escuro é um gato.

Já comem comida de gato e ainda mamam, mas pouco.
Entretanto o nosso lindo gato, Teco, que já aqui vos apresentei há tempos, e que também salvei, pois estava praticamente a morrer de fome escondido num canteiro, há cerca de 4 anos; o Teco, habituado ao seu espaço e á atenção de todos e também...e, principalmente porque é um gato calmo, sereno que gosta de sossego e de paz...perdeu o seu espaço, o seu sossego e, naturalmente, alguma atenção, embora tenhamos todos muito cuidado em o acarinhar..., dizia eu, entretanto, o Teco entrou em depressão profunda e não parece mais o Teco. Não quer comer, anda triste, não brinca, esconde-se nos sitios escuros e fica o dia inteiro a dormir, sem reagir aos estímulos. Estamos deveras preocupados com ele. Há muita confusão com a gata e os gatinhos que correm por toda a casa e dão volta a tudo. Estamos convencidos que ele precisa de voltar a ter o seu espaço e o seu sossego...só assim voltará a ser o que era.
Gostamos muito da gata e dos gatinhos mas não temos condições de ficar com quatro gatos num apartamento; nem para eles seria bom.

O Teco com os gatinhos. Sempre a dormir.


O Teco nos seus bons tempos.

Posto isto, coloco-vos a seguinte questão:

Saberão os amigos de alguém que esteja interessado em aceitar, para cuidar, um destes gatinhos, ou os dois... ou a mãe?
Eles são lindos e muito meigos. Asseadinhos - fazem "tudo" no caixote". Comem bem a comida de gatinho ou, de gato. Até agora não "destruiram" nada e dormem toda a noite.Eu gostava muito de poder ficar com eles, mas por causa do Teco não dá.
Se eu não encontrar ninguém que os aceite, terei um último recurso, mas que eu não gostaria muito de a ele deitar mão: Levá-los a uma casa de venda de animais e oferecê-los para dar a alguém. A gata, se não encontar outra solução, vou mandá-la esterilizar e volto a levá-la para a aldeia.
Desculpem o tamanho do post mas queria explicar-vos tudo.
Obrigado, por o interesse que possam dispensar a esta minha preocupação.

12 comentários:

neli araujo disse...

Vivi, minha querida amiga!

Os nossos animais de estimação fazem parte da nossa família, e fiquei imaginando o dilema da amiga...

Caso ninguém os queira, deixe um anúncio oferecendo-os em uma destas loja de animais, com foto deles e seu telefone.

Com certeza quem procurar a amiga será alguém que tem amor por animais também!

Uma beijoca carinhosa, Neli

lilasesazuis disse...

Querida amiga, sei o que está passando...tenho aqui no Brasil, 7 gatinhos, todos adotados...vou pedir a Deus, que prepare pessoas maravilhosas como você, para ficarem com os animaizinhos, boa sorte...bj

Maria disse...

Amiga, vou falar com a minha nora (ela é veterinária) para ver se tem alguma solução, como pôr a foto deles lá na clínica para encontrar lar para os bichanos.
Se achar bem, também posso enviar a foto por mail para alguns amigos. Quem sabe algum está interessado.
Vá lá, paciência e miadelas meigas; para o Teco, uma lambidela da Alfa.

Lilá(s) disse...

Não queria eu estar nessa situação, decisão muito dificil de tomar, deixar ir os gatinhos a quem já estão afeiçoados...mas entendo que o Teco não pode sofrer. Contacte a "Associação entre gatos" é fácil encontrar o endereço na net eles ajudam a divulgar.
Boa sorte
Beijinhos

Viviana disse...

Querida Néli

É mesmo, amiga.
Afeiçoamo-nos aos animais e depois...é difícil separarmo-nos.

Estou calma e tranquila...vou encontrar uma forma agradável de resolver o assunto, eu sei.
Obrigada por a dica

um beijo
viviana

carmen disse...

Vivi:

Fiquei muito mexida com o amor que você tem pelos animais...

Pena não poder ajuda-la, só em oração.

A Neli deu uma boa sugestão, afinal, é capaz de alguém, ao ver a foto dos bichanos, se encantar com algum deles

Da minha parte, tenho 3 cães, todos tirados da rua ou de abandono, que não aceitariam um bichano d'além mar...rsss

bjs e que Deus te dê uma boa solução.

carmen disse...

Vivi:

dá uma revisada no título da postagem anterior: Oração da Maçaneta, pois você, sem querer, suprimiu o "r"

bjs, e apague este infeliz comentário... Sorry

bjs

Viviana disse...

Olá, Lilazesazuis

"Estive" no seu lindo e interessante blogue, há momentos.
Aquela "tortilha de Patatas..." deixou-me água na boca!

A apresentação está fantástica!

Vou fazê-la amanhã.

Eu sei que estou a "ver" um pouco mal..aos setenta...talvez por isso não consegui encontrar lá, a colocação de comentários.

Quanto aos meus gatos e gatinhos, agradeço a ideia sugerida.
Estou calma, estou tranquila, tudo se irá resolver, eu sei.
Um abraço
viviana

Viviana disse...

Querida Mimi
Obrigada por a disponibilidade.

Por agora, as coisas irão permanecer como estão...dentro de dias, terei que decidir e farei isso com a ajuda de Deus.
Um beijo
viviana

Viviana disse...

Querida Lilá(S)

Eu vim agora do seu blogue.
Mas que post bonito e tão interessante a amiga tem lá!

O seu Linus é lindo!
Tem uma côr suave, quase como o Teco.

Parabéns por ele e por a iniciativa em que participou e que ali divulgou.

Um abraço
viviana

Viviana disse...

Querida Carmen

Cresci com animais á minha volta.
Com que saudades recordo o "Leão" - o nosso cão da infância. Era um Galgo! Côr de mel.
E os gatos...e os coelhos, e as galinhas e os patos.

Obrigada, amiga
Ore por favor pois é a partir daí, da Oração, que eu espero a solução.
Obrigada por a informação sobre a falta do "r".
Já lá está.
Um beijo
viviana

lilasesazuis disse...

Oie, boa noite, Viviana, você é uma linda jovem de 70 anos...eu ainda não abri para comentários, é que meu blog era voltado apenas para meus alunos, colocava seus trabalhinhos e fotos...tenho uma pequena caixa onde está escrito:mensagens carinhosas...ali que meus pequenos faziam seus comentários...mas.......sabe eu me aposentei há 2 meses e não tenho mais meus pequenos, então estou colocando tudo o que achar bonito...e também comecei a visitar os blogs.
Viviana, eu pensei em fazer uma página falando dos lírios que minha avó cultivava (saudades dela...)aqui no Brasil, a florada é agora no final do ano...eu digitei no google o trechinho lindo da Bíblia: olhai os lírios do campo....abri o seu blog e logo fiquei encantada com o seu gesto tão simples e lindo da salvação da libélula...Gosto de ler suas postagens...dom bonito você tem em descrever os fatos em palavras...
bjs carinhosos,(já conseguiu lares para os gatinhos?), bjs, Lígia