quarta-feira, 15 de julho de 2009

As minhas primeiras amoras deste ano


Amoras silvestres - Imagem da net

No tempo que eu era criança era costume ir-mos ás amoras.
Mal elas começavam a "pintar", quer dizer, a ficar pretas, lá ia com o meu irmão ou com os meus amigos, pelos caminhos ali á volta de casa, onde elas abundavam.
Era apanhar e comer...
Naquela altura ninguem se preocupava se elas tinham pó ou não.
Claro que não existia a "Educação para a saude" nem nada que com isso se comparasse.
Mas o que é certo é que elas nos sabiam muito bem, deliciavamo-nos com elas, e ninguem ficava com dôr de barriga.
Creio até, vistas bem as coisas á distância, que elas significavam um bom aporte de vitaminas e sais minerais...
Pois bem, os anos passaram, os meus cabelos castanhos branquearam, e eu continuo a não resistir a colher umas boas amoras pretinhas e saborosas.
Ontem, quando passeava com uns amigos pela beira da nossa famosa Ribeira das Jardas, de repente dou de olhos com montes de cachos madurinhos, ali mesmo á mão de colher...
Podem imaginar o que se seguiu. Eu e a minha amiga Rosa nem pestanejámos...enchemos a mão e toca a papá-las...tal qual estavam, como quando a gente era criança.
Olhámos uma para a outra, demos umas boas gargalhadas, e sem o menor problema lá as comemos.
E tal como na nossa infância, cairam-nos muito bem...nada, absolutamente nada de dôr de barriga.
Foi uma deliciosa aventura.

12 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Viviana!

Há fatos que nos remetem a tempos mais soltos,mais livres!!!

Em meu tempo de menina quando uma de nós saboreava as amoras sempre uma dizia:"Gosta de amora?Vou dizer a seu pai que você namora"!

Bobagens infantis que permanecem em nossas lembranças como as suas amoras que devem ter estado deliciosas!

Por aqui nunca mais as vi,uma pena!!

Um beijo com gosto de amoras!!

Sonia Regina.

neli araujo disse...

Vivizinha querida,

Que delícia de experiência e que delícia de amoras!

Na minha infância colhíamos uns moranguinhos silvestres, que nasciam nos matinhos ao redor da minha vizinhança.

Eu e meus vizinhos comíamos sem lavar, mesmo, direto do chão,e nunca ficamos doente, rsrsrs

beijinho carinhoso, e espero que a amiga esteja melhorzinha,linda!

Quando uma parte do corpo ( de Cristo) sofre, todas as outras partes também sentem a dor.

Aceita minha solidariedade e meu carinho, Vivi.

muitos beijinhos fraternos,
neli

Maria Emília disse...

Já me cresce água na boca... que boas são as amoras silvestres.
Quando os meus filhos eram crianças e adolescentes, muito iamos passear para o Correio-Mór, onde brincávamos e apanhávamos caracóis, hortelã, louro, flores e, claro está, amoras. Depois, já em casa, com as que sobravam da comezaina, faziamos tarte e doce.
Bom apetite!
Um beijo,
Mimi

Viviana disse...

Querida Sónia

Por cá tambem se usava dizer isso.

Era engraçado.

Mas é sem dúvida muito gradável relembrar esses idos tempos em que tudo parecia nuito mais tranquilo e calmo.

Um beijo, amiga linda

Viviana

Viviana disse...

Neli querida

Como é reconfortante "ouvir" palavras de tanto carinho e amor cristão!

Eu sei, eu sei, minha amiga linda, que o seu doce e generoso coração sente comigo este momento mais difícil...

Estou bem.

Cheguei há pouco do funeral.

Tudo correu bem.

E lá deixámos a Julia a descansar , "olhando" uma paisagem deslumbrante da Lisboa ribeirinha, com um Tejo magnífico.

Já descansei um pouco e agora, como diria a minha mãe... vou lidar.

Um grande e carinhoso abraço

viviana

Viviana disse...

Olá querida Mimi, minha simpática comadre

Obrigada por ter enviado um e-mais á Esperança.
Ela apreciou muito.

Quanto ás amoras, eram na verdade outros tempos.

Hoje os meninos, pelo menos os meus netos não lhes ligam importancia...

Mas para "nós" foram bons momentos.

Vou aproveitá-las até lá para o fim de Agosto, que é quando elas começam a ir embora.

Tenha uma boa tarde

um beijo

com saudades

viviana

gaivota disse...

hummmmmmmmmmm, amoras, tão bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ao natural,em doce, a enfeitar uns bolos e a deliciosa chease cake...
recordações que fazem parte da minha meninice!
beijinhos

bete disse...

As nossas aqui são diferentes, mais rusgosinhas...o pessoal quase nem liga, quem come mesmo são os passarinhos, mas a maioria pega as folhas para fazer chá.

Viviana disse...

Olá Gaivota linda

È verdade.

Quanta coisa boa se pode fazer com as amoras silvestres!...

"Bora a elas!"

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Olá Bete

Ah sim!?

Usam as folhas para chá?



Um abraço boa amiga

viviana

renato_oliveira disse...

Olá, Viviana!

É uma realidade o termo que a Sonia referiu. Por cá quando iamos às amoras, referiamos aquele termo!
Afinal tão longe e tão perto!

Belos tempos em que comer amoras, fruto silvestre, nunca nos provocou qualquer dano!

Abraço,

Renato

Viviana disse...

Olá Renato, meu bom amigo

È verdade.

Alguns miudos ficavam envergonhaditos quando lhe dizíamos a tal frase.

E não é que alguns acreditavam que ía-mos mesmo dizer aos pais deles que eles já namoravam?

Isto hoje faz-me sorrir...

Um bom fim de tarde para si

um abraço

viviana