quinta-feira, 21 de outubro de 2010

As Osgas


Osga comum - Tarentola Mauritânica. Imagem da net.


Uma Osguinha trepando a parede.
Clique em cima para ver melhor.

Na região de Leiria, onde cresci, não havia osgas, pelo menos não me recordo de as ter visto. Nessa altura nem sabia que elas existiam. Lagartixas, ou, Sardaníscas, como lhe chamáva-mos, isso sim, havia muitas.
Quando há cinquenta e seis anos nos mudámos para Maceira - Pero Pinheiro, tive o meu primeiro contacto com as Osgas, que são ainda parentes das lagartixas, mas cujo aspecto é bastante diferente.
Em toda a zona saloia, á volta de Sintra, há uns muros de pedra solta, muito antigos, que ladeiam os caminhos de terra batida. Entre as pedras, há pequenos orifícios naturais e é nesses orifícios que as Osgas se expoêm ao sol.
As Osgas tinham má fama na aldeia; dizia-se que eram peçonhentas e agressivas, que saltavam e atacavam as pessoas que passavam no caminho. Então, eu sabendo disso, cada vez que tinha de passar num caminho desses tinha mesmo muito medo. Ia sempre atenta ao menor ruído ou movimento nos muros. Ainda por cima eu sabia que elas eram da côr das pedras o que dificilmente as deixava ver.
Eu passava, caladinha, procurando não fazer qualquer ruído, com o coraçãozinho apertado. Eu via-as,quietinhas ao sol a olharem para mim...
O tempo foi passando e nunca nenhuma me atacou ou me fez mal, e eu, aos poucos fui perdendo o medo.

Na casa da aldeia que é exposta ao sol e fica num lugar sossegado e que está desabitada, só nos deslocando lá uma ou duas vezes por semana, elas têm todas as condições para se desenvolverem e viverem felizes. Vejo-as subindo e descendo as paredes tanto na parte da frente como lá atrás no pátio Aí no pátio, há mesmo muitas, algumas bem grandes e gordinhas...
Gosto de as ver e fico muito tempo a observá-las. Creio que já me conhecem e sabem que não lhes faço mal por isso muitas vezes elas não fogem, ficam quietinhas a olhar para mim. Estão dentro da casinha branca da arrecadação, vivem lá, passeiam-se por lá e alimentam-se das muitas aranhas que eu não sei porquê, abundam por ali.
Contrariamente aos tempos passados, não me causam qualquer receio ou repulsa; pelo contrário, acho-as até atraentes e simpáticas.
Quem diria, não?
A semana passada fotografei uma osguinha bébé a trepar por a parede da casa. foi subindo, subindo, até que se escondeu no telhado

8 comentários:

manuel marques disse...

As osgas também são úteis..

Abraço.

gaivota disse...

osgas, lagartixas, sardaniscas... são todas primas!
agora até aparecem nas cidades!
beijinhos

Michele P. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Michele P. disse...

Viviana
Tem um presente para vc em meu blog. Passa lá.
Um abraço,
Michele

Viviana disse...

Olá Manuel

Sobretudo para fazer desaparecer os mosquitos e as aranhas.
Um abraço

viviana

Viviana disse...

Olá querida Gaivota

Vê-lá! Li que "apareceram" osgas no Huruguai, quando elas, tanto quanto sei, só existem na Península Ibérica...

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Querida Michele

Mas que gentileza, amiga!

Não estava nada á espera...

Obrigada de coração.

Já fui buscar, é lindo.

Um beijo
viviana

Margarida Fernandes disse...

Viviana,

As osgas fazem-me tanta impressão....