terça-feira, 11 de outubro de 2011

Como pode isto ser?



Ouvimos a notícia e emocionamo-nos. Uma jovem de 23 anos, grávida de oito meses, sofreu um despiste, na auto-estrada, perto de Peniche e teve morte imediata, por traumatismos neurológicos. Chamado o INEM - Instituto Nacional de Emergência Médica - tentou com insistência salvar a jovem mãe, mas apercebendo-se de que não havia qualquer resposta ou sinal de vida, fez tudo por tudo para salvar o bébé... fizeram uma Cesareana no local do acidente, imaginem! conseguindo reanimar o pequenino coração com manobras apropriadas "em cima do corpo da mãe", segundo disse o médico, emocionado... e, de helicópetro transportaram de imediato a criança para a Maternidade Dr. Alfredo da Costa em Lisboa, onde estava uma equipa preparada para a receber. O seu seu estado era grave, devido aos vinte minutos que esteve sem oxigenação cerebral. Ao fim de oito horas "de tudo por tudo" ... aquela pequenina e preciosa vida apagou-se.
Hoje, ao ver e ouvir na televisão, o jovem médico do INEM que socorreu a mãe e a menina, emocionei-me. Tanto cuidado, tanta entrega, tanta dedicação, tanto profissionalismo...para salvar alguém, que depois de tudo, acaba por morrer.
Pude ver no olhar do médico a tristeza do não sucesso.
Enquanto, comovida, pensava nisto... lembrei-me com imensa tristeza e perturbação, que enquanto o INEM lutava por salvar a vida da mãe e da bébé, também em Portugal, em várias Clinicas Privadas e Hospitais do Estado, outros médicos, sob a égide de Leis feitas por deputados da Assembleia da Repúbilca e financiados por dinheiros públicos, interrompem vidas preciosas de bébés saudáveis, que, por qualquer motivo...não lhes é dado o direito de viver.
Que cultura e que civilização é esta em que vivemos, e que leis são estas tão dispares e tão contraditórias? Por um lado tenta-se tudo para salvar...e por outro com a maior das facilidades impede-se de viver.

5 comentários:

Fernanda Maria Rocha Mesquita disse...

Ola Viviana. O ser humano e' mesmo imcompreensivel e a sociedade em que vivemos nao se comove com as leis naturais da vida. por vezes tem vislumbres de sensibilidade, quando se sentem mais fracos , mas a soberba e a prepotencia depressa os cega, destruindo aquilo que realmente os sustenta: a vida. beijinhos Viviana.

Maria disse...

Também achei impressionante essa notícia. Porém, acho que o sucesso do trabalho médico deve focar-se no dever cumprido e não no resultado, embora entenda que o desfecho é frustrante.

Quanto ao paradoxo da chacina efectuada a coberto da lei, muitas contas têm de ser dadas a Deus.

Isto é muito confuso e para nós que acreditamos na Vida, muito triste.

Lilá(s) disse...

Emocionante e reflexivo o seu post!
Bjs

Pr Jorge Figueiredo disse...

que artigo lindo irmã viviana, lembrei da publicação que fiz sobre uma igreja nos E.U.A que fez um protesto sobre o aborto.

Pr Jorge Figueiredo disse...

Lí para todos em casa, minha esposa e filhos. aprecie muito seu artigo. Graças a Deus no Brasil o aborto não é legal, embora existam muitas investidas para faze-lo. AH! solicito sua permissão para publica-lo em meu blog.