segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Carlos Paredes - para mim, o maior guitarrista Português


O guitarrista Português Carlos Paredes

Hoje, pretendo apresentar-vos aquele que foi, para mim, o maior guitarrista Português - Carlos Paredes.

A sua pessoa e a sua música conquistaram-me totalmete, logo da primeira vez que o ouvi tocar.
E quanto mais o ouvia mais maravilhada ficava, até que me tornei uma apaixonada por ele como pessoa humana e pela sua extraordinária forma de tocar.
Nunca esquecerei aquela vez - a única - que assisti a um concerto seu na Damaia, perto da Amadora.
A sua música tocou-me tanto que quando dei por mim as lágrimas rolavam pela minha face.
Quando terminou o concerto, coloquei-me junto á porta por onde ele iria sair, e ali fiquei á espera dele para o cumprimentar.
Quando ele apareceu pude reparar como ele era um homem tão simples, tanto na sua maneira de vestir como na seu trato com as pessoas.
Então, olhei para ele, sorri, e disse-lhe o quanto tinha apreciado a sua música e como tinha sido tocada por ela, que tinha sido a melhor coisa que me aconteceu naquele dia. Aí, ele fixou-me , fez-me como que uma vénia e disse-me: " Muito obrigado minha senhora", e lá atravessou a rua para ir apanhar o auto-cartro, pois tenho ideia que ele tinha uma vida tão simples que nem um automóvel tinha.

«Carls Paredes é sem dúvida um artista impar na história da música portuguesa. Vamos conhecer um pouco mais da vida deste guitarrista que, apesar da sua inegável genialidade musical, trabalhou toda a vida como funcionário do Ministério da Saúde, arquivista de radiografias no Hospital de São José.
Nasceu em Coimbra a 16 de Fevereiro de 1925. Filho, neto e bisneto dos famosos guitarristas Artur, Gonçalo Paredes e José Paredes, começou a estudar guitarra portuguesa aos quatro anos com o seu pai, embora a mãe preferisse que o filho se dedicasse ao piano, frequenta o Liceu Passos Manuel, começando também a ter aulas de violino na Academia de Amadores de Música.
Em 1934, muda-se para Lisboa com a família, e abandona o violino para se dedicar, sob a orientação do pai, completamente à guitarra. Carlos Paredes fala com saudades desses tempos: “Neste anos, creio que inventei muita coisa. Criei uma forma de tocar muito própria que é diferente da do meu pai, do meu avô, bisavô e tetravô”.

Carlos Paredes inicia em 1939 uma colaboração regular num programa de Artur Paredes na Emissora Nacional e termina os estudos secundários num colégio particular. Em 1943 faz exame de admissão ao Curso Industrial do Instituto Superior Técnico, que não chegou a concluir e inscreve-se nas aulas de canto da Juventude Musical Portuguesa, tornando-se em 1949 funcionário administrativo do Hospital de S. José.
Em 1957 grava o seu primeiro disco, a que chamou simplesmente “Carlos Paredes”.
Em 1958, é preso pela PIDE por fazer oposição a Salazar, é acusado de pertencer ao Partido Comunista Português, de que era de facto militante, sendo libertado no final de 1959 e expulso da função pública na sequência de julgamento. Durante este tempo andava de um lado para o outro da cela fingindo tocar música, o que levou os companheiros de prisão a pensar que estaria louco – de facto, o que ele estava a fazer, era compor músicas na sua cabeça. Quando voltou para o local onde trabalhava no Hospital, uma das ex-colegas, recorda-se da mágoa do guitarrista devido à denúncia de que foi alvo: «Para ele foi uma traição, ter sido denunciado por um colega de trabalho do hospital. E contudo, mais tarde, ao cruzar-se com um dos homens que o denunciou, não deixou de o cumprimentar, revelando uma enorme capacidade de perdoar!».
Em 1962, é convidado pelo realizador Paulo Rocha, para compor a banda sonora do filme Os Verdes Anos: «Muitos jovens vinham de outras terras para tentarem a sorte em Lisboa. Isso tinha para mim um grande interesse humano e serviu de inspiração a muitas das minhas músicas. Recebeu um reconhecimento especial por “Os Verdes anos”.
Tocou com muitos artistas, incluindo Charlie Haden, Adriano Correia de Oliveira e Carlos do Carmo. Escreveu muitas músicas para filmes e em 1967 gravou o seu primeiro LP “Guitarra Portuguesa”.
Quando os presos políticos foram libertados depois do 25 de Abril de 1974, eram vistos como heróis. No entanto, Carlos Paredes sempre recusou esse estatuto, dado pelo povo. Sobre o tempo que foi preso nunca gostou muito de comentar. Dizia «que havia pessoas, que sofreram mais do que eu!». Ele é reintegrado no quadro do Hospital de São José e percorre o país, actuando em sessões culturais, musicais e políticas em simultâneo, mantendo sempre uma vida simples, e por incrível que possa parecer, a sua profissão de arquivista de radiografias. A sua paixão pela guitarra era tanta que, conta que certa vez, a sua guitarra se perdeu numa viagem de avião e ele confessou a um amigo que «pensou em se suicidar».
Uma doença do sistema nervoso central (mielopatia), impediu-o de tocar durante os últimos 11 anos da sua vida. Morreu em 23 de Julho de 2004 na Fundação Lar Nossa Senhora da Saúde em Lisboa, sendo decretado Luto Nacional»

16 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Prazer Carlos Paredes,tive a oportunidade de saber da sua pessoa atráves dessa amiga mara vilhosa que tenho.

beijooo.

Viviana disse...

Olá Ana linda,

Sabe, há tanta gente que fez, ou está a fazer, coisas tão belas, que eu creio que é bom que todos conheçam.

Por isso não faço favor nenhum... é apenas o meu dever.

Tenha um dia lindo e bom
um beijo
viviana

O Carlos Paredes é um d.esses.

Anita disse...

Bom dia amiga linda, hoje certamente, tudo dará certo! O seu caminho será suavizado pela brisa, que chegará até si de mansinho, trazendo com ela o aroma das flores, que darão colorido ao seu dia!

Que bela homenagem a Carlos Paredes e infelizmente fala-se tão pouco dele. Adoro a sua música. Obrigada Viviana por não deixar esquecer este grande homem.

Beijos.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

Viviana disse...

Olá querida Anita,

desejo que tenha tido um fim de semana abençoado.

Quanto ao Carlos Paredes, foi sem dúvida um homem admirável.

A sua música... bom, a sua música alimenta o sentido da beleza, da harmonia, da coragem, que existe dentro de nós.

Creio que ninguem poderá ficar indiferente ao ouví-lo tocar.

Sempre o admirei muito, quer como músico quer como pessoa, e receio bem que a pouco e pouco ele caia no esquecimento, por parte daqueles que têm a obrigação de o "manter vivo" e actual".

Dei a minha humilfe contribuição.

Amiga linda,

Tenha um excelente dia de segunda-feira, sobre a protecção e orientação do Altíssimo.

Um beijo

viviana

Anabela disse...

Concordo plenamente, a música do Carlos Paredes emociona-me sempre.

Há muito tempo que não comentava, mas tenho sido uma leitora atenta.

Beijinhos.

Anabela

Viviana disse...

Olá Anabela,

Sem dúvida.

A música do Carlos Paredes "mexe conosco".

Gostava que lhe fosse dada a evidência merecida.

Tenha um lindo dia

Beijinhos para todos dessa linda família.
viviana

gaivota disse...

minha querida amiga, carlos paredes é eterno, é, sempre foi, será o melhor, o maior guitarrista português de todos os tempos
era fantástico e deixou-nos uma obra linda inesgotável de sucesso e sempre a ser ouvida!
felizmente há muitos jovens que gostam bastante de toda a obra e que o tocam, docemente
lina homenagem!
beijinhos

Viviana disse...

Olá Gaivota linda,

Tem razão. Ele é o maior.

Acabei de falar com um jovem amigo que toca numa banda Rock, toca guitarra portuguesa, e disse me que é grande admirador do Carlos Paredes.

Fiquei muito contente.

Agora a minha amiga diz-me que há muitos jovens a tocar a sua música "docemente"...e eu, redobro a minha alegria.

Tenha uma boa noite amiga linda

Um abraço

Viviana

Pelos caminhos da vida. disse...

Voltei amiga!

Gostei,obrigada.

beijooo.

Rosa disse...

Viviana, mais um post a que não
podemos ficar indiferentes.
Carlos Paredes, mais um nome a dignificar Portugal.
Também o admiro, também gosto das suas músicas.

Uma boa noite de descanso
Beijos

R.I.

Viviana disse...

Olá Ana linda,

Tive pena que a música não estivesse aqui quando cá veio, mas sucedeu que ocorreu um problema com a colocação do vídeo.

Espero que o seu dia tenha sido muio abençoado.

um beijo
viviana

Viviana disse...

Olá querida Rosa,

Tambem acho que ele dignificou e tornou maior, Portugal.

Recordo-me perfeitamente de o ver pela T.V. quando cantou em Londres para a Raínha Isabel II.

Lembro-me da atenção e interesse dela por a sua música.


Tenha uma boa noite e durma bem
Um beijo
Viviana

Ana Maria disse...

Parabéns ao artista Carlos Paredes.
Parabéns a você amiga por homenagear ilustres personalidades.
Beijinhos!

Viviana disse...

Olá querida Ana Maria,
Agradeço as suas amáveis palavras e desejo que o Senhor lhe conceda uma noite trqnquila de repouso.

Um abraço
Viviana

A Flôr disse...

Querida irmã!

Nesta manhã de Domingo arranjei um tempinho para a visitar e deixar o meu abracinho apertado....

Andei a passear pelo seu cantinho, e vejo que continua a postar coisas bonitas e interessantes... fiquei um bom tempo nesta "homenagem" a esta grande guitarrista Português, Carlos Paredes... aprendi um pouco mais sobre a vida deste homem que levou o nome de Portugual além fronteiras... gostei mesmo do que escreveu e tabm do vídeo...

Deus a abençõe ricamente minha querida irmã Viviana


Flor :-)**

Viviana disse...

Olá querida Flor,

Que bom que arranjou um tempinho para vir aqui...

Fiquei muito contente, acredite.
Pois, eu gosto muito da música do Carlos Paredes e admiro-o muito como ser humano, como pessoa.

Encontrei esta forma muito singela de o homenagear, pois acho que ele bem o merece.

Nubca me canso de ouvir a música dele.

Obrigada pela apreciação que faz aqui do meu cantinho; tudo muito simplezinho...maS SAÍDO DO CORAÇÃO.

Desejo que o bom Pai a cumule de bençãos e alegre o seu corçãozinho.

Um beijo
Viviana