sábado, 22 de maio de 2010

Que saudades das Gipsófilas...


Gipsófila Elegans Grandiflora branca. Imagem da net.


Gipsofila Elegns Grandiflora cor-de -rosa. Imagem da net.


Gipsófila vivaz. Imagem da net.

Desde que me lembro de mim, sempre gostei de flores.
De todas as flores, quer de jardim quer do campo.
Recordo que em Leiria, onde vivi dos sete aos vinte anos, nos campos cultivados á beira da estrada que ia da Estação á cidade, na primavera e verão, os camponeses semeavam belíssimos canteiros de várias flores, entre elas estavam as Gipsófilas, que eu achava tão bonitas.
Vendiam-nas depois no mercado da cidade em grandes ramos brancos.
Mais tarde, quando vim para Lisboa estudar Enfermagem, recordo que a minha mãe, que tal como eu, amava as flores, costumava semear sempre, na primavera belíssimos canteiros desta flor. Não só da variedade branca mas também da cor-de - rosa.
Desde então para cá, nunca mais vi em lado algum canteiros de gipsófilas; como diria a minha mãe: "não sei que fim levaram!"
Nem nas floristas, nem nas estufas de venda ao público, eu tenho visto gipsófilas. Apenas vejo um tipo desta planta chamada Gipsófila vivaz, que é muito diferente das outras de que eu tanto gostava, embora também a ache bonita, mas eu gostava mesmo era das outras da minha infância.
Não sei dizer porquê, mas nestes ultimos dias tenho-me lembrado delas.

4 comentários:

Angela Guedes disse...

Oi Viviana!!!
Li sua postagem e como você também sou uma amante das flores,
Fiquei curiosa para saber mais sobre o seu cultivo, esta flor realmente é muito bonita, mas não vi nada sobre seu desaparecimento.
Vi que suas flores significam ‘ternura, infância e transparência da alma’.
Lindo não é?
Beijinhos
Ângela Guedes

manuel marques disse...

Hummmmmmmmmmmmm que cheirino--

Beijo.

Viviana disse...

Olá querida Ângela

É sempre uma enorme alegria "encontrá-la" por aqui.

Eu creio que a razão tem a ver com o facto de as "antigas" srem menos duráveis...

As vivazes duram muito, muito mais.

Um beijo

viviana

Viviana disse...

Olá Manuel

Cheiram muito bem, sim.

Ou, cheiravam...

Um abraço

viviana