quarta-feira, 22 de junho de 2011

Assunção Esteves- foi hoje eleita como a primeira mulher Presidente da Assembleia da República.


Assunção Esteves - Presidente da Assembleia da República.

Hoje foi um dia histórico para Portugal. Na Assembleia da República foi eleita a primeira mulher como Presidente. Em cerca de quase quarenta anos de democracia, foi a primeira vez que um partido político, neste caso o PSD, propôs o nome de uma mulher, aliás, de uma grande mulher.Antiga Juíza do Tribunal Constituicional, onde foi também a primeira mulher a ocupar aquele notável cargo.
Foi eleita com uma margem confortável de votos: 81 por cento. Todos os representantes dos vários partidos lhe teceram considerações muito honrosas e, com todos os deputados de pé, foi largamente ovacionada.
O seu discurso foi seguido com todo o interesse, discurso esse, diferente, de tudo quanto ali até hoje se apresentou.Impressionou o seu constante sorriso e a sua alegria, caracterizada por ela de "alegria cristã".
Como cidadã deste País, e mulher, estou muito contente.Desejo muito que o bom Deus a abençoe e lhe mantenha o sorriso e a alegria até ao fim do seu mandato.
Prometo orar por ela.

Embora tendo consciência da já grande extensão deste texto, para os que se interessarem em conhecer uma parte do seu importante discurso, aqui fica. Creio que será interessante ler.

«Presidir ao Parlamento constitui a maior honra da minha vida» disse na sua primeira intervenção já como segunda figura do Estado.

Parlamento que «é a liberdade que se fez instituição» e que se «constrói sobre o discurso dos direitos evidenciado pelo voto universal», considerou a mulher que em legislaturas anteriores presidiu à comissão parlamentar de direitos, liberdades e garantias.

«Que orgulho e que responsabilidade é estarmos aqui» disse também à Assembleia. «Somos nós o cais da esperança que um domingo de Junho saiu de casa para nos eleger», mas também «a esperança dos que contam connosco para se reconciliar com a política» e ainda a «esperança dos mais fracos» que nem conseguem ir votar.

«Ou decidimos melhorar o mundo ou teremos de perguntar como se dorme o nosso sono» desafiou ainda a presidente do Parlamento, afirmando que «os lugares são definidos pelas pessoas e não as pessoas pelos lugares».

«Dedico este momento a todas as mulheres» foi uma das suas palavras finais, especialmente «às mulheres anónimas e oprimidas». E voltou a ser aplaudida de pé por todos os quadrantes.

(SOL)

6 comentários:

fvtytfyft disse...

Oxalá que esta lufada de ar fresco se prolongue cara amiga. Correndo o risco de me chamarem o que Maomé não chamou ao toucinho, que acabem com algumas enormidades a que assistimos diariamente. Por exemplo, uma pós-graduação gay no ISCTE. Não estou a brincar, podem inscrever-se aqui:

http://www.iscte-iul.pt/cursos/pos_graduacoes/14706/Apresentacao.aspx

Felipa disse...

Seria de louvar a tal alegria cristã se essa senhora, ao que dizem, não fosse a favor do aborto.
Mas os tempos são de esperança, por isso esperemos para ver.

Maria disse...

Acho que esta senhora tem muito bom aspecto e, pessoas que aprecio e acho credíveis, deram-lhe os maiores elogios.

Também dei nota da "alegria cristã", assim ela seja real e contagiante.

Muito a propósito o comentário da Felipa.

Viviana disse...

Querido Zé Luis, meu bom amigo

É sempre uma imensa alegria saber-te por aqui.

Obrigada por a informação.

Fui procurar e descobri tudinho - é mesmo como dizes...

Até chamei o Pastor Leal e li-lhe o que encontrei...
O Zé que ia a passar no corrredor e ouviu ler- quando eu descobri quem é o coordenador do curso e gritei daqui para o Jorge, na sala lá ao fundo:Sabes quem é o cordenador?

O zé responde logo:

"O Miguel Vale de Almeida""

E não é que acertou!
Sabes que se trata do primeiro Deputado Socialista á Assembeia da República gay assumido?

Um grande abraço

viviana

Viviana disse...

Olá, Felipa

Seja muito bem vinda a este humilde cantinho.

Sabe que pouco depois de Assunção Esteves falar da "alegria cristã", o deputado do bloco de esquerda que saudou a nova presidente, falou do seu regozijo por ela ter escolhido sair da sala na hora da votação, não votando ao lado do PSD contra o aborto.

Fiquei com a pulga atrás da orelha!

E relacionei alegria cristã com apoio ao aborto...e concluí logo, como a Felipa: Uma coisa não bate dcerta com a outra - ou Cristo ou o aborto.

Obrigada por a visita

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Querida Mimi

Eu confesso que não percebi "aquela alegria cristã"...por momentos entusiasmei-me...mas quando o deputado do bloco de esquerda a elogiou por estar do lado dos defensores do aborto...fiquei perturbada; como poderia ser?

Mas gostei da senhora; vejamos o seu trabalho.

Um grande abraço

viviana