sexta-feira, 12 de novembro de 2010

A lenda do Palácio de Seteais - Sintra


Palácio de Seteais - Sintra

Seteais é um dos mais belos recantos da serra de Sintra.
Conta a lenda que quando Sintra ainda pertencia aos mouros, um dos primeiros cavaleiros cristãos a subir a serra de Xentra (como os mouros chamavam a Sintra) foi D. Mendo de Paiva. No meio da confusão da debandada de uns e chegada de outros, encontrou-se junto a uma pequena porta secreta por onde fugiram vários mouros da fortaleza. Entre eles viu uma moura muito bonita, acompanhada pela velha aia.
Ao dar com os olhos no cristão, a moura suspirou por se sentir descoberta, e a velha, que ainda não reparara no cavaleiro, apressou-se a pedir-lhe que não suspirasse. Porém, reparando no olhar da ama, fixo num ponto determinado, seguiu-o e viu finalmente o inimigo, que sorridente lhe disse:

- Acaba o que ias dizendo!

Mas a velha, de sobrolho carregado, respondeu-lhe:

- O que tenho para dizer não serve para ouvires, cáfir! Os cristãos já têm tudo quanto queriam:
os nossos bens, as nossas terras, o castelo. Vai-te! Vai-te e deixa-nos em paz, conforme o combinado.
Vai-te tu, velha! A rapariga é minha prisioneira!

A moura, ao ouvir tal coisa, suspirou novamente, de medo e comoção. A velha, ao ouvir aquele novo ai, achou que era melhor confessar o seu segredo ao cristão:

- Não digas mais nada, cristão! Não digas mais nada, que a minha ama carrega desde o berço uma terrível maldição!...

- Como assim velha?!- perguntou o cavaleiro, ao mesmo tempo que a moura dava o terceiro suspiro.

- Ah, cavaleiro! À nascença a minha ama foi amaldiçoada por uma feiticeira que odiava a sua mãe por lhe ter roubado o homem que amava. Fadou-a a morrer no dia em que desse sete ais... e como vês, já deu três!

D. Mendo deu uma alegre gargalhada, e a jovem outro ai.

- Não acredito nessas coisas, velha! Olha, a partir de agora ambas ficarão à minha guarda. Eu quero para mim a tua bela ama!

A moura suspirou de novo e a velha, numa aflição sem limites, gritou:

- Ouviste, cavaleiro, ouviste?! É o quinto ai! Que Alá lhe possa valer!

- Não tenhas medo! Espera aqui um pouco... Voltarei para vos levar a um sítio sossegado!

O cristão afastou-se rapidamente e, assim que desapareceu dentro das muralhas, um grupo de mouros que ouvira a conversa surgiu subitamente para roubar as duas mulheres. Com um golpe de adaga cortaram a cabeça à velha, que nem teve tempo de dar um ai. A jovem é que, ao ver a sua velha aia morrer daquele modo inesperado e cruel, soltou um novo e dolorido ai. Era o sexto, e o sétimo foi a última coisa que disse, no momento em que viu a adaga voltear para lhe cair sobre o pescoço.
Quando pouco depois D. Mendo voltou com uma escolta, ficou tristemente espantado: afinal cumprira-se a maldição!
D. Mendo jurou vingança e a partir desse dia tornou-se o cristão mais desapiedado que os mouros jamais encontraram no seu caminho.
E, em memória da moura que desejara e uma maldição matara, chamou, àquele recanto de Sintra, Seteais
Ainda hoje, nos belos jardins de Seteais há um sítio onde se alguém disser um "ai" ouvirá um eco que o repetirá seis vezes, ouvindo-se assim sete ais em honra da moura que um dia lá morreu
.

(http://lendasdesintra.blogspot.com/2006/06/lenda-de-seteais.html)

10 comentários:

Anita disse...

Querida Viviana bom dia. Hoje está um daqueles tipicos dias de Outono. Nevoeiro, friozinho e que apetece mesmo ouvir ou ler estas belas lendas e então quando se trata de lendas sobre os nossos magnificos monumentos tanto melhor.
Obrigado pela partilha querida amiga.
Bem haja por nos dar toda esta informação.
Como eu costumo dizer até morrer estamos sempre a aprender.

Beijinhos.
Um abençoado fim de semana.
Fique bem. fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

Velton Clarindo disse...

Adoro esses contos fantastícos onde a realidade se mistura com fatos magicos e inacreditáveis.
O arsenal de lendas antigas européias é imenso, talvez por essa heterogenidade cultural.
são narrativas muitos lindas, com desfechos absurdos mas que envolvem as pessoas de modo que até hoje muitos ainda a celebram.

A atmosfera cativante dessas lendas sempre permanecem...

Abç

renato disse...

Olá Viviana!

Este blog é um "manancial" de conhecimento de Lendas e Histórias!

Por acaso não conhecia esta Lenda, nem onde tinha nascido este nome do Palácio de Seteais!

Mas fará algum (muito) sentido, depois de conhecer a Lenda!

E os contos e Lendas deste País, continuarão a encantar e a fazer reflectir o porquê de se dar o nome a muitas coisas!

Um grande Abraço e excelente Fim de Semana,

Renato

Margarida Fernandes disse...

Obrigada, mais uma vez, pelos seus ensinamentos.

O Palácio de Seteais é, efectivamente, uma jóia do nosso património.

Um grande beijinho e bom fim-de-semana

Fernanda disse...

Lendas sempre contam um pouco de historia humana e encontrar uma do lugar onde moramos, lugar onde nos afeicoamos, mais nos diz porque os sentimentos se misturam. Tambem gostei.
boa noite viviana
fernanda

Viviana disse...

Querida Anita

Por aqui o tempo está cinzento e fresco.
Tem todo o aspecto de que vai chover.

Fico contente que tenha apreciado esta interessante lenda.

De vez em quando...vou á cata delas.

Desejo-lhe um fim de semana muito abençoado.

Beijos

viviana

Viviana disse...

Olá Velton

Este Palácio é muito interessante e oferece um excelente espaço para descansar e descontrair, daí a sua popularidade.

Também gostei de conhecer a lenda.

Desejo-lhe um excelente fim de semana

Um abraço, amigo

viviana

Viviana disse...

Olá Renato, meu bom amigo

Agradeço as suas gentís palavras de apreço.

Gosto imenso de contos e lendas...daí, de vez em quando publicar aqui alguns.

Também para si um bom fim de semana com friozinho e...chuva...que aí vem, principalmente para a Região Norte e Centro.

Um abraço

viviana

Viviana disse...

Olá Margarida

Nada tem que agradecer, amiga. è um enorme prazer fazê-lo!

Quem é que não gosta do Palácio de Seteais?
Os meus filhos vão muitas vezes para lá com as crianças.

Um beijo e um bom fim de semana

Viviana

Viviana disse...

Olá Fermnanda

Eu sei que a amiga gosta de lendas e histórias...

Quanta "coisa" bonita do género a Fernanda publica nos seus vários e multifacetados blogues!?

Um brijo

viviana