quarta-feira, 14 de julho de 2010

Até logo, Alberto


Para o Alberto

Estive com ele a última vez a vinte e três de Maio deste ano, quando na nossa Igreja celebrávamos o Tradicional Dia da Família e do Lar, no qual eu fui convidada para apresentar a Mensagem da Palavra de Deus, sobre o tema em questão.
Reparei que ele esteve sempre muito atento, e, quando o Culto terminou, depois de ouvir-mos o nosso organista tocar um esplêndido Poslúdio, ele veio cumprimentar-me, agradecer-me -me e e felicitar-me, com palavras repassadas de amor cristão e simpatia. Fez questão de salientar que técnicamente a apresentação tinha sido perfeita, e que o conteúdo tinha sido muito bom, tendo ele, segundo disse, aprendido aspectos que considerava importantes e de valor para a sua vida diária.
Fiquei agradávelmente surpreendida por esta sua atitude, e claro, agradeci-lhe a gentileza.
Despedimo-nos depois, cordialmente, com um "até um dia destes,"pois ele informou-me que iria tirar umas semanas de férias.
Hoje, era meio-dia e um quarto, quando tocou o telemóvel do Jorge, era a esposa a comunicar que o Alberto faleceu com um ataque cardíaco fulminante.
E assim, sem mais, o Alberto partiu para a eternidade para junto do Deus que ele amava, e nós ficámos por aqui, meios incrédulos, a sentir já imensas saudades do nosso amigo de há tantos anos.
Até logo Alberto Velosa! A gente encontra-se.

5 comentários:

Fernanda disse...

Tudo o que viveu e se entregou jamais morre porque permanece no nosso coracao e recordacao para sempre... um bom dia e coragem
Fernanda

manuel marques disse...

A morte é de facto o fim, no entanto não é a finalidade da vida ...

Abraço.

Avozinha disse...

O Alberto era, e assim permanece, uma personagem da minha juventude. Não tive o privilégio que vocês tiveram de o voltar a ver. Assim, para mim e até ver, ele vai continuar a ser uma personagem da minha juventude. Até nos voltarmos a ver um dia.

Rute disse...

O sentimenio é de tristeza pelo afastamento de um amigo de juventude que felizmente voltou a encontrar-nos na Igreja,e com quem falei ainda há pouco tempo.Que o conforto de Deus possa ficar com todos os seus familiares,e conosco também.Até sempre Velosa!

Margarida Fernandes disse...

Há uma música espanhola (uma sevilhana, mais propriamente) que diz: "algo se muere en el alma cuando uno amigo se va".

Força, minha querida amiga.

Beijinhos e bom fim-de-semana