segunda-feira, 26 de julho de 2010

Cada um é para o que nasce...



Oiço dizer esta frase desde criança. Não faço ideia de quem a inventou e porque a inventou.
Quem quer que fosse...referia-se ao ser humano, creio eu.
Acho porém, que ela é aplicável também a outros seres vivos, como por exemplo a esta plantinha da família dos malmequeres, que dá estas lindas e graciosas florinhas bramcas.
Reparem bem onde ela foi nascer!
Num passeio de uma rua do Borel - Amadora.
Sòzinhita, entre duas pedras - britas... longe de todas as suas irmãs, das suas primas, e das suas amigas.
Trazida pelo vento, a sementinha casualmente ali caiu, ali germinou, ali cresceu, ali floriu, e ali está devagarinho... a secar, a amarelecer, a viver os seus últimos dias de verão.
Ah! mas vou estar atenta no próximo Outubro! Quando as primeiras chuvas caírem, sei que vai re-inicar-se o ciclo de vida e, quase que tenho a certeza que não nascerá apenas uma plantinha mas decerto muitas, que resultarão de todas aquelas sementinhas que a par- e -passo se vão desprendendo da flor e caindo na terra, nos intervalinhos de diversas pedras-britas.

4 comentários:

manuel marques disse...

"Não há formosura sem senão "

Beijo.

Margarida Fernandes disse...

As minhas flores favoritas....lindas.

Beijinhos

Rosa disse...

Diria o marido, até as plantinhas têm de fazer pela vida.

Abraços.

Fernanda disse...

Ola Viviana. Obrigado pela sua visita e nao precisa de pedir desculpa quando nao o faz. os amigos nao se contam pelas visitas mas pela sinceridade delas. Eu tambem tenho estado um pouco afastada dos blogs devido a umas minis ferias. Os malmequeres sao as minhas flores preferidas e achei lindo o detalhe de ter reparado nelas. Foram as primeiras flores que comprei aqui para plantar. Um bom domingo. Fernanda e Eduardo.