quarta-feira, 22 de abril de 2009

Eu, e a Ti Ana


Foiciha de ceifar


Grupo de mulheres alentejanas a ceifar

O sol e a chuva dos últimos tempos, aliados á força misteriosa da Primavera, fizeram crescer as ervas á beira do caminho.Ficaram altas, muito altas, de tal modo que dificultam a passagem das pessoas .
Então, precisavam de ser cortadas, e sabem quem as foi cortar? Nem mais nem menos que a minha amiga velhinha, a ti Ana, lá da minha aldeia, da qual já aqui vos falei por duas vezes.
Pois é verdade, ontem ao chegar junto da nossa casa, e cumprindo o ritual estabelecido há muitos anos já... antes de entrar em casa, vamos dar a volta completa ao jardim e ao pomar, para vermos a evolução das nossas plantas, árvores e flores.
E vimos então que lá andava a Ti Ana a ceifar as ervas.
Tão pequenina... que não deve ter mais de um metro!
Vestida como uma ceifeira alentejana, ela é alentejana, com a Foicinha na mão, lá andava ela.
Aproximei-me, cumprimentei-a e conversámos um pouco.
Logo ela me disse:
"Estava capaz de a convidar a ceifar aqui comigo."
Eu achei tanta graça...e sorrindo respondi-lhe:
Que não seja por isso! Vou buscar a minha Foicinha e volto já.
Entrei no portão, logo ali ao lado, e dirigi-me ao "meu museu particular de alfaias agrícolas antigas", e peguei nas duas Foicinhas, uma que era do meu pai e outra que era da minha mãe.
Muito antigas e muito gastas, de tanto ceifarem.
Podem imaginar a minha carinha ao chegar junto da Ti Ana com as Foicinhas na mão, e prontinha para ceifar ao lado dela?
Ela ergueu-se, pegou nas Foicinhas como um mestre que percebe do assunto, e disse-me:
"São duas belas Foicinhas! Olhe esta aqui até está torta! devia ser a do seu pai, porque os homens têm um jeito de ceifar diferente das mulheres. e entortam as Foicinhas."
Disse ainda olhando o cabo:"Aqui no cabo, falta-lhe uma coisa que a minha tem, que é esta reentrânciazinha para apoiar o pulso. Lá na minha terra fazem-nas todas assim como a minha."
Bom, a seguir escolhi a Foicinha que era da minha mãe, e colocando-me ao lado da Ti Ana comecei a ceifar.
Só lhes digo que foi uma sensação única! Eu a ceifar ao lado de "uma alentejana "de noventa e quatro anos!...
Olhei o rostinho dela e ela sorria de contente.
Parou de ceifar e olhando-me disse-me: "Olhe que você ganhava a vida como ceifeira!"
Faz isso bem!"
Eu ri-me.
Depois disse-lhe: Ò ti Ana, agora cante lá a "modinha" que se canta na sua terra, na ceifa, que é para a gente cantar, as duas.
Ela achou graça mas não se decidiu a cantar
Eu creio que foi por estar triste.
Ela anda sempre triste, porque como eu já aqui escrevi, ela chora por a sua casinha no alentejo, que está fechada, desde que o filho a foi buscar para viver com ele.
Perguntei-lhe então: A ti Ana já foi á sua terra, desde a última vez que falámos?
Ela respondeu que não, que não tem quem a leve lá e ela sòsinha já não consegue ir...
"Tenho tantas saudades da minha casinha! A gente nunca devia sair da nossa casa!"
As lágimas começaram a rolar-lhe pelo rosto, enquanto ceifava ao meu lado
O meu coração ficou muito incomodado e perturbado por a ver assim, e pensei:
Um dia destes, eu, o Zé e o Jorge, metemo-nos no carro e vimos aqui buscá-la e vamos passar um fim de semana na terra dela, para ela matar saudades.
Bom, fiquei ali com ela mais um bocado, depois despedi-me , ela agradeceu-me muito e desejou-me muita saúde... e fui tratar do meu jardim.
Quando cheguei a casa contei o sucedido ao Jorge e ao Zé, e sugeri-lhe a tal viagem de fim de semana ao alentejo com a ti Ana.
Eles acharam a ideia óptima, mas o Zé disse. "O pior é se ela depois não quer voltar"...

7 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Ao despertar para mais um dia, eleve o pensamento aos céus.

Alcance, pelo pensamento, as altas paragens onde reina a harmonia...

E já não ouvirá os sons estridentes da Terra, mas as melodias suaves dos Anjos, dos Arcanjos, dos Serafins, que são mais delicadas que as brisas da manhã quando brincam na folhagem dos bosques...

Eleve a alma ao Criador e sinta o perfume das flores celestes cultivadas nos mundos sublimes.

Busque a paz interior e, só então,
levante-se para ter um bom dia...

beijooo.

renato_oliveira disse...

Olá Amiga Viviana!

Que lindo momento de Vida!

Longa vida e muita saúde para a ti Ana e, obviamente, para a Amiga Viviana!

E que linda Ceifa aconteceu! Só tenho pena por não ter participado. Gostaria muito, podem crer!

Um Grande Abraço,

Renato

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Viviana!Linda a história da Ti Ana.
Quanta sabedoria:"Tenho tantas saudades da minha casinha! A gente nunca devia sair da nossa casa!"

Uma beleza!!!!

Beijo com carinho!Sonia Regina.

esperança disse...

Olá! Bom dia!! Vivianinha, maninha querida

Gostei imenso do que escreveste da ti Ana, até me vi lá no carreiro que vai para casa dela.
Fico espantada, com a saúde de ferro e longevidade que DEUS concede a certas pessoas; estou também a pensar na ti Rosa que tem 94 anos, e como me disseste ontem à noite, tem a cara queimada de andar todos os dias por montes e vales sã que nem um pero.
Quanto ao levares a ti Ana ao Alentejo para ver e estar na casinha dela, pela ultima vez, fazes bem, vai quanto antes, pois Há muito que o teu coração pensa nisso; se a nora não deixar, ficas tranquila.
Como sabes o meu tempo tem sido e continua a ser escasso.
Abraço-te fortemente.
Esp

Ao toque do amor disse...

Olá...vim te visistar e acho que fui pega de surpresa.
Por acaso, voce faz anos hoje.
Me confirme, por favor eu quero participar desta alegria, tambem.
bejos e estou esperando a resposta, heim!!!!

bete disse...

Sempre que você fala da Ti Ana eu a fico imaginando, pequenininha, pequenininha.

Deve ter sido uma bela foto vocês duas ceifando juntinhas. Pena que ela não cantou nenhuma música da terra...

Viviana disse...

Olá Ana linda

Ai mas que belas e sublimes estas suas palavras!

Façamos isso,sim.

Seráuito bom para nós.

Olá Renato, meu bom amigo.

Obrigada prelo que me diz.

Acredite que momentos como este, são momentoa altos, da minha vida.

Obrigada por terem vindo

um abraço

viviana