quinta-feira, 4 de junho de 2009

Como a Roseira cresceu!





Fotos da viviana
De um pequeno pé de roseira, envasado, que a Mãe pediu que eu plantasse no chão, bem juntinho ao Pessegueiro, para que crescesse e por ele trepasse, resultou esta Roseira enorme que subiu não só pelo Pessegueiro como era desejo da mãe, mas tambem por cima da Nespereira, do Abacateiro, do Lilás, do telhado da casa, e ainda um pouco por todo o lado ali á volta...
A Mãe ainda viu a roseira crescer e florescer, e trepar pelo Pessegueiro como ela queria.
Porém , nestes seis anos que faz que a mãe partiu para o Céu, a Roseira de santa terezinha, assim se chama, continuou a crescer, e a subir, e a espalhar-se por onde lhe apeteceu... de tal maneira que ela hoje é "senhora e dona" daquele espaço ali á volta.
Todos os anos ela é podada no mês de Dezembro, mas apesar disso ela está como está! Grande! Enorme!
Quando a olho e penso na história dela, lembro-me sempre da Mãe.
E sorrindo concluo que tanto a roseira quanto eu, cumprimos o desejo da mãe!
Que ela trepasse!
Só é pena que a Mãe não esteja cá para a ver, linda e grande, coberta de belíssimas pequenas rosas perfumadíssimas que enchem de odôr todo o jardim e o espaço envolvente...
Não posso deixar de recordar sorrindo, o belo e terno poema da saudosa poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen.

Quando

«Quando o meu corpo apodrecer e eu for morta
Continuará o jardim., o céu e o mar,
E como hoje, igualmente hão-de bailar
As quatro estações à minha porta.

Outros em Abril passarão no pomar
Em que eu tantas vezes passei,
Haverá longos poentes sobre o mar,
Outros amarão as coisas que eu amei.

Será o mesmo brilho a mesma festa,
Será o mesmo jardim à minha porta.
E os cabelos doirados da floresta,
Como se eu não estivesse morta.” »

(Sophia de Mello Breyner)

9 comentários:

Anita disse...

Não podemos dar vida a uma pesoa; mas podemos através de gestos e carinhos despertar nela a mais importante alegria... a Alegria de viver!!!

Vivian aestas são as rosinhas de santa Teresinha? Parecem mesmo. São lindas!!! E que bela homenagem à sua mãe...

Beijos
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

bete disse...

Emocionei-me demais com a beleza da sua roseira, há tempos não vejo uma, aqui por onde moro as pessas não tem por hábito cultivar flores, que coisa linda meu Deus.

Rosa disse...

Olá viviana.
É mesmo como diz o poema, a natureza não se compadece da nossa partida e continua como estivéssemos presentes...
ficam as recordações...
E sabe Viviana, tenho uma vizinha que tem uma dessas roseirinhas no jardim, ou melhor, no gradeamento que separa a sua casa da rua, e quando passo para ir tomar café "vamos a pé" colho sempre uma, acho-as amorosas e são tão pequeninas que não resisto a trazer uma para um solitário também ele pequenino. A vizinha "Bélita" sabe deste meu hábito :))
Lembrei agora do gladíolo da Viviana, não, nem as flores do meu quintal eu gosto de colher, prefiro vê-las até murcharem, mas as rosinhas como são aos milhares nem se dá conta eu trazer uma delas.
Até porque me dá a sensação de que são elas "rosas" a chamarem para que eu as traga para o fresco de minha casa :))

Viviana, tenha uma boa tarde.
Beijos.

Angela Guedes disse...

Oi Viviane!!!
Que Deus te abençoe por esse dom tão lindo de mostrar o que te vai na alma.
Com certeza sua Mãe ficaria muito feliz de ver sua roseira tão linda!!!
Beijinhos
Angela

renato_oliveira disse...

Olá Viviana!

E que belo é vê-las crescer! E acompanhdo por este belo poema de Sophia de Melo, direi que ficamos com "pele de galinha" ao apreciar toda esta arte!


Renato

neli araujo disse...

Olá, Vivizinha!

Lindas tuas rosas, amiga!

Deu pra sentir o perfume daqui!

beijo carinhoso,

nelita

Ana Maria disse...

Amo as rosas. Quando as vejo ou sinto o perfume , sinto algo inexplicável.
Beijinhos!

gaivota disse...

são rosas... lindas e crescem rápido, é verdade!
nesta minha casa a minha mãe também me trouxe uns quantos pés de rosas que dispusemos ao redor do pequeno jardim... pelas mãos dela...
a saudade imensa!
beijinhos

Viviana disse...

Querida Anita

Quanta verdade nessa sua frase bela!

Sim, amiga

Estas são as rosas de Santa Terezinha.


Tão lindinhas!!!

Bete querida

Sim, amiga, è tão bela, tão perfumada que nos chega a enebriar...

Então com o orcvalho da noite o odor é fantástico!

Querida Rosa

Então tem uma roseira de Santa Terezinha aí juntinho da sua casa?
Que benção!

Não é verdade que elas nos enchem de alegria e de prazer?

Faz muito bem em trazer algumas para casa...

Eu tenho-as sempre por aqui.
E sabe, quando o Jorge vai demanhã cedo ao pão (ele vai ao pão desde que casámos...há 46 anos...) ele passa por umas escadas que têm muitas roseiras daquelas miudinhas de várias cores, e então trás sempre um pequeno raminho para colocar na mesa da sala.

Angela querida,

Dá para ver que eu falo do que me vai na alma, não é?

Sim, é isso.

E sabe, boa amiga, que a beleza me impressiona sobremodo!?

Sou capaz de parar num caminho e ficar ali longo tempo obervando e admirando as coisas magníficas criadas por Deus...

Louvado Ele seja por isso.

Obrigada pelas palavras gentis deixadas aqi.

Olá renato, mru bom amigo

Vejo que como eu, aprecia a poesia da saudosa Sophia ...

Sabe que eu identificava-me muito com ela!

Que pena ter partido...

Neli, minha linda menina

Sabe uma coisa amiga?

Pensando bem...não é que acho a Neli parecida com as rosas de Santa Terezinha?

Tão bela e suave quanto elas...

Querida Ana Maria,

Com essa alma poética e essa personalidade tão feminina a bela, tem que amar de verdade as rosas, eu sei.

Gaivota linda,

Mal pronuncio ou leio o seu nome, boa amiga, lembro-me logo dessa terra bonita cheia de verde, e de flores, que são as Caldas!

Ai esse Parque!


A todos os queridos amigos que aqui vieram e deixaram os seus comentários, o meu muito obrigada.

abraços carinhosos

viviana