quinta-feira, 25 de junho de 2009

Um Poema de Florbela Espanca


Imagem da net

"Só"

Eu tenho pena da Lua!
Tanta pena, coitadinha,
Quando tão branca, na rua
A vejo chorar sozinha!...

As rosas nas alamedas,
E os lilases cor da neve
Confidenciam de leve
E lembram arfar de sedas

Só a triste, coitadinha...
Tão triste na minha rua
Lá anda a chorar sozinha ...

Eu chego então à janela:
E fico a olhar para a lua...
E fico a chorar com ela! ...

(Florbela Espanca)

6 comentários:

Maria Clarinda disse...

Lindo poema, adoro a Florbela e este poema em especial.
jinhos mil

Viviana disse...

Olá Maria Clarinda

Tambem aprecio muito a obra poética da Florbela Espanca.

Este poema que encontrei por casualidade... eu não conhecia..
Um abraço

viviana

bete disse...

A gente não se cansa de admirar a beleza dos versos dela, não?

Que alma encantada não deveria ser...

Viviana disse...

Bete querida

È verdade, amiga.

Não nos cansamos nunca de ler os poemas dela.

Hoje descobri este que eu não cpnhecia.

Achei-o tão lindo!

Ela era uma grande mulher e grande poetisa

Um beijo

viviana

renato_oliveira disse...

Olá Viviana!

Que lindo poema de Florbela Espanca!

Conheço alguns poemas de Florbela, mas este, sinceramente, não me lembro sequer de o conhecer!

E o titulo "SÓ" fez-me lembrar o SÓ de António Nobre!

Abraço,

Renato

Viviana disse...

Olá Renato,

Sem dúvida!

Tinha nesmo uma alma poética!

Mas tambem por isso tanto sofreu...

E morreu tãocedo...

Tenha uma boa noite

viviana