sexta-feira, 1 de maio de 2009

O exemplo do Mestre João André


Mestre João André

Foi ontem amplamente divulgado nos meios de comunicação social, a entrega pelo Primeiro Ministro de Portugal, do Diploma do décimo segundo ano de escolaridade, ao Mestre João André, natural de Salvaterra de Magos, de oitenta e cinco anos de idade, que frequentou e concluiu, o programa Novas Oportunidades na Escola Profissional de Salvaterra de Magos.
.
È com agrado que publico aqui um resumo da sua história de vida, que creio ser um exemplo a seguir.

«João André, ou 'mestre' João André como é carinhosamente chamado em Salvaterra de Magos, fez a quarta classe em criança e ainda tentou fazer o 5º ano do Curso de Mecânica, em Benavente, quando tinha 50 anos.
Do seu percurso de vida destaca os 38 anos de trabalho na Raret (retransmissor da Voz da América situado na freguesia de Marinhais), onde aprendeu com um colega a fazer desenho geométrico, mas também a passagem por duas fábricas da Bobadela (uma de tubos da Companhia das Águas e outra de caixilharia) e a colaboração de 20 anos com os Bombeiros e ainda na Misericórdia.
A isto acrescenta muitas viagens (são poucos os países europeus onde não esteve) e o jeito que lhe vem de miúdo para "criar" objectos.

A colecção das suas "obras de arte" tem crescido - tem "muito amor" ao que faz, por isso não vende nada -, tendo o sótão de sua casa preenchido com as esculturas, as pinturas e os trabalhos em ferro que têm saído das suas mãos.

Só no vitral teve a ajuda de uma professora. No resto aprendeu por si, conta, apontando a cadeira de assento em palhinha que arranjou observando um artesão que conheceu numa exposição em que participou, em Torres Novas.

Acresce ainda o gosto de pescar, que herdou do pai, pescador, e de andar de bicicleta - anda duas a três vezes por semana, "pelo menos 50 quilómetros" de cada vez.

Obtido o diploma do 12º ano, João André tem que "reflectir", porque tem ainda "tanta coisa para fazer", não escondendo a vontade de "arranjar qualquer coisa para aprender como escultura, pelo menos na pedra, para ficar mais habilitado".

O Mestre explica que teve pouca sorte, nasceu em 1924 e em 1926 Salazar entrou para o Governo «e a partir daí só os ricos é que podiam estudar».
Este aluno não tenciona prosseguir para a faculdade, mas tem muito com que se entreter. Um dos seus passatempos é o trabalho com as palavras. Faz parte dos planos do Mestre editar um livro de Poesia Popular.»

4 comentários:

Maria Clarinda disse...

MARAVILHA!!!!!!!sem palavras....
jinhos mil

Rosa disse...

Fantástico, tendo em conta que tanta gente nova tem espírito de autênticos "velhos" na sua postura perante a vida.
Belo exemplo.
Parabéns mestre André.

Boa noite Viviana.
Beijos

renato_oliveira disse...

Olá Viviana!

Já tinha lido esta noticia que me maravilhou!

Mais um belo exemplo de que nunca é tarde para aprender!

Que o Mestre João André, continue com a sua mente sã em corpo são, porque será sempre um exemplo para os jovens que abandonam, muitas das vezes, por capricho de não quererem estudar mais!

Parabéns ao Mestre André e parabéns à Viviana, por dar a conhecer este lindo exemplo de vida!

Grande abraço,

Renato

Viviana disse...

Olá Maria Clarinda

Uma vida exemplar...

um abraço, boa amiga

Olá querida Rosa,

Tambem apreciei muito a postura deste homem perante a vida.

E tambem a sua alegria...

Olá Renato, meu bom amigo

Creia que "conhecer" este homem, foi uma imesa alegria.

Fez-me bem, muito bem.

Todos os dias sabemos de tantas coisas negativas... que saber de uma pessoa assim, faz sorrir o nosso coração.

A todos sos bons amigos que aqui vieram e deixaram os seus comentários o meu muio obrigada

Tenham um bom fim de dia

viviana