segunda-feira, 11 de maio de 2009

Os últimos QUATRO "Pinguins" das Berlengas


Airo ou Arau comum - Uria aalge

Airo

Airo




O Airo é o símbolo das Berlengas
Berlengas - Peniche - Oeste
Berlenga Grande - Foto de Raul Santos.

«O airo, ave semelhante a um pequeno pinguim que escolhia as Berlengas para nidificar, e onde aparecia às centenas, está em extinção acelerada tendo este ano sido avistados apenas quatro exemplares.
As causas apontadas para o desaparecimento do airo das Berlengas são, segundo especialistas ouvidos pela Lusa, a pressão exercida pelas milhares de gaivotas, as redes de emalhar, fatais para estas aves que passam muito tempo no mar e também o aquecimento do planeta.

O airo encontra-se no Norte da Europa, sendo que a ilha da Berlenga era limite Sul da sua distribuição. Dados publicados em 1952 identificaram seis mil casais de airos (ou arau-comum) na Berlenga. «As redes de emalhar podem ter sido um dos fortes contributos para o desaparecimento do airo assim como a alteração dos habitats pela presença de predadores como as gaivotas», adiantou Ivan Ramirez, da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA)..

«O que sabemos é que nos últimos 20 anos aumentou o número de gaivotas, o porto de pesca de Peniche foi ampliado (há mais comida para as gaivotas proporcionando a sua reprodução), deu-se um aquecimento da atmosfera e a presença do airo diminuiu», disse, por seu lado, Henrique Queiroga, do departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.

«Não é possível determinar uma causa para o desaparecimento do airo», frisou Henrique Queiroga que também coordenou o processo de candidatura das Berlengas a Reserva da Biosfera da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

O dossier de candidatura está concluído e será entregue à UNESCO nos próximos meses. «É possível que seja a pressão das gaivotas (estima-se que sejam 20 mil) porque sabemos que elas são um predador que ataca outros animais e que come os juvenis», disse.

Na ilha, os quatro airos escolhem para ninho uma escarpa abrigada da insolação e são vistos rodeados por largas dezenas de gaivotas a que se juntam alguns corvos marinhos.
A pequena ave, considerada «o pinguim do hemisfério Norte», foi eleita a mais característica das Berlengas tendo sido adoptada para símbolo da Reserva Natural.

O airo das Berlengas arrisca-se agora a ser apenas um emblema e uma memória da reserva.»
(IOL - Diário)

9 comentários:

Anita disse...

O mundo é tão vazio se pensarmos somente em montanhas, rios e cidades; mas saber que alguém aqui e acolá, pensa e sente connosco, e que, apesar da distância, está perto de nós em espírito, isso torna a terra um jardim habitado.

Hoje estou super feliz, porque será?
Se poder passe lá no meu cantinho.
Beijinhos.
Um dia abençoado.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amorfraternal)

gaivota disse...

não vou às berlengas há uns 6 anos... tem p+aisagens lindíssimas e o mar, azullllll/verdeeeeeeeee
lindo!
beijinhos

renato_oliveira disse...

Olá Viviana!

As entidades responsáveis, já deviam ter tomado as medidas consideradas necessárias, para a preservação dos Airos!

A Viviana está a prestar um excelente auxilio à defesa dos pequenos pinguins!
Parabéns pelo acto civico e moral!

Grande abraço,

Renato

ManuelNeves disse...

Viva!

Imperdoável! Já não sou muito novinho e no entanto nunca fui ás Berlengas.Ou me despacho, ou quando o decidir fazer, já não encontrarei Airos.

Obrigado por este alerta.
Um bem-haja

Ana Maria disse...

Com uma formosura desse tamanho, ainda existem infinidades de pessoas capazes de destruir a natureza.
Beijinhos!

Viviana disse...

Querida Anita

È mesmo muito bom,sabermos que há alguem "aqui e acolá, que pensa e sente conosco".

Muitos, muitos parabens pela su linda filha!

Olá Renato, mu bom amigo

È mesmo isso.

Eu tambem acho que as entidades competentes já há muito deveriam ter tomado algumas providências nesse entido.

Eu...denuncio.

Olá GHsivota linda

Olhe, amiga

Eu nunca lá fui...

Mas tenho mesmo que ir.

Olá Manuel,

Se não foi...então vá!

Onde é que eu já ouvi isto?

Estou na mesma situação...tenho que me despachar e ir quanto antes.

Olá querida Ana Maria

È mesmo.

Tanta beleza!

Eo homem continua a destruir...

A todos que aqui vieram e deixaram o seu comentário, o meu muito obrigada.

Abraços

viviana

Flora Maria disse...

Mais uma obra de destruição do, dito inteligente, ser humano.
Obrigada por mostrar o "pinguim das Berlengas".
Beijo

Balzaca disse...

Sou o autor da fotografia aérea da Berlenga Grande, que publicou no seu blog. Posso saber onde a obteve? É que para além de mim, apenas uma outra entidade a possui e o meu nome deve constar obrigatoriamente na foto...
Já agora, informo-o que o processo de candidatura das Berlenga a Reserva da Biosfera, foi reprovado em Julho de 2010, embora se faça "segredo" disso...

Cumprimentos

Raul Santos

Viviana disse...

Olá, Raul

Só hoje,30/05/2011, encontrei, casualmente, o comentário que teve a gentileza de aqui deixar.

Nele me pergunta aonde consegui a foto da Berlenga Grande, que afirma ser da sua autoria.
Pois bem,só me lembro que foi através do Google.Não recordo se o seu nome estava lá. Quando a foto está identificada, habitualmente eu coloco essa indicação.
De qualquer modo, creio que tem toda a razão, eu deveria tê-la identificado.
Pelo facto peço desculpa.
O seu nome já consta lá.

Um abraço

Viviana