quinta-feira, 12 de agosto de 2010

" A soldado desconhecida"


Hoje, o funeral.

«Josefa, 21 anos, a viver com a mãe. Estudante de Engenharia Biomédica, trabalhadora de supermercado em part-time e bombeira voluntária. Acumulava trabalhos e não cargos - e essa pode seruma primeira explicação para a não conhecer-mos. Afinal, um jovem daqueles que frequantamos nas revistas de consultório, arranja forma de chamar os holofotes. Se é futebolista,pinta o cabelo de cores impossíveis; se é cantora, mostra o futebolista com quem namora; e se quer ser mesmo importante, é mandatário de juventude. Não entra na cabeça de uma jovem dispersar-se em ninharias acumuladas: um curso no Porto, caixeirinha em Santa Maria da Feira e bombeira de verão. Daí não a conhcermos, á Josefa. Chegáva-lhe, talvez, que um colega mais experiente disssesse dela: "Ela era das poucas pessoas com que um gajo sabia que podia contar nas piores alturas."Enfim, 15 minutos de fama só se ocorresse um azar... Aconteceu: anteontem, Josefa morreu em Monte Meda, Gondomar, cercada das chamas dos outros que foi apagar de graça. A morte de uma jovem é sempre uma coisa tão enorme para os seus que, evidentemente, nem trato aqui. Interessa-me, na Josefa, relevar o que ela nos disse: que há miudos de 21 anos que são estudantes e trabalhadores e bombeiros, sem nós sabermos. Como é possível, nos dias comuns e não de tragédia, não ouvirmos falar das Josefas que são sal da nossa terra?»
(José Manuel Fernandes - Diário de notícias, 12/08/2010)

6 comentários:

gaivota disse...

é sempre tão enorme e tão nobre a missão destes anjos da paz...
nem tenho palavras, senão ficar a teu lado nessa homenagem...
paz à alma!
beijinhos

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma bela homenagem a essa maravilhosa soldado, morreu em cumprimento de sua missão.

beijooo.

acácia rubra disse...

Todos os anos, o fogo ronda os corpos.
Até quando?

Beijo

manuel marques disse...

Paz á sua alma.


Passei para deixar um beijinho e desejar bom fim de semana.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Viviana!

Quantos anônimos como a Josefa dão o melhor de si, a própria vida, para o bem de seus semelhantes...e sequer são reconhecidos!!!


Belo e triste texto!

Um beijo com carinho!

Sonia Regina.

Fernanda disse...

Ola Viviana. E' verdade, quem quer ser conhecido mostra-se mesmo do modo mais controverso, quem faz as coisas por necessidade ou amor nao precisa de se mostrar, basta sentir-se bem consigo mesmo e sentir que e' util no meio que a rodeia. infelizmente existem sim grandes pessoas sem serem nunca reconhecidas como tais