segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Um momento emocionante e sublime.


A minha rosa.

Ele e ela estavam sentados na primeira fila em frente ao orgão.
A congregação, de pé,cantava o último hino do culto.
Ela levantou-se e toda desiquilibrada, deitou mão da bengala de madeira que a ajuda a manter-se de pé, e caminhou pela coxia num equilibrio tão periclitante que dava a ideia de que iria cair no chão a qualquer momento.
Eu estava de pé junto á coxia e ao vê-la passar sorri para ela.
Depois, levantou-se ele e caminhou apoiado também na sua bengala que segurava na mão direita.
Ao passar por mim sorri-lhe, e, acariciei-lhe-lhe a mão magra e enrugada.
Ele olhou-me, e sorrindo pegou na minha mão e levou-a ao peito junto do seu coração, sem palavras e continuou a caminhar.
Enquanto cantava o hino as lágrimas inundaram-me os olhos e comovida, agradeci a Deus o momento único e inesquecível que acabara de viver.

6 comentários:

Fernanda disse...

Um gesto que valeu por mil palavras. Quanta sabedoria guardada , por saberem sentir sem necessariamente fazer uso das palavras. beijinhos

acácia rubra disse...

Há momentos assim que nos enchem a alma.

Beijo

manuel marques disse...

Sem dúvida um momento sublime.

Beijo e boa semana.

Fernanda disse...

Ola Viviana, passo para lhe dizer que o Rama tem um poema dedicado a um tema que sei que a sensibiliza... as chamas em Portugal... um grande senhor este nosso amigo. beijinhos e continuacao de grande sensibilidade que e' genuina em si... para com as coisas importantes da vida.

Rosa disse...

Atitudes (gestos)...que valem mais que mil palavras...

Beijos de amizade

Marlene Maravilha disse...

A vida é mesmo assim. Para muitas coisas vividas nao precisam palavras!
beijos e fica com Deus!